https://www.poetris.com/

 
Offline
levyabreu
O penhor sublime do amor
Nos lençóis acólitos almas suspiram, insólitos gemidos ávidos exalam; corpos fervem, febris ru...
Enviado por levyabreu
em 03/04/2016 18:20:52
Offline
levyabreu
Ao marulhar doce das ondas
Ao marulhar doce das ondas, sentindo a brisa suave, trilhar o caminho do horizonte sob o voo inc...
Enviado por levyabreu
em 21/03/2016 20:36:51
Offline
levyabreu
Vergonha de mirar as estrelas
Não saberia dizer o que sinto realmente quando percebo cair sobre nós as luzes do céu. Borbolet...
Enviado por levyabreu
em 11/03/2016 01:38:20
Offline
levyabreu
Tua alma tem furos
à poetisa Ângela Tua alma linda tem furos! Em momentos de quietude, no silêncio vazam pens...
Enviado por levyabreu
em 07/03/2016 00:26:46
Offline
levyabreu
Emblemas de beleza magistral
Na calada da noite magistral, surgem estrelas desenhando emblema da beleza celestial, como cont...
Enviado por levyabreu
em 06/03/2016 00:38:32
Offline
levyabreu
Em Sampa, não sei viver diferente
Não sei viver diferente nesta cidade cinzenta de estupidez e gasolina. Respirando anidrido carbô...
Enviado por levyabreu
em 02/03/2016 22:42:12
Offline
levyabreu
Meias opiniões
Não quero felicidade pela metade, outro tanto seria da tristeza. Nem quero meias palavras, ou m...
Enviado por levyabreu
em 12/02/2016 19:09:05
Offline
levyabreu
paixão irreprimível
Ainda amo. Queria ao menos poder manter silêncio sobre isso, mas a intensidade desta paixão é i...
Enviado por levyabreu
em 05/02/2016 13:37:14
Offline
levyabreu
Pássaro transitório
Na verdade, a felicidade foi como um pássaro. Pousou, cantou. Não ficou! Encantou e partiu.
Enviado por levyabreu
em 01/02/2016 19:04:10
Offline
levyabreu
Na obscuridade de um adágio nulo
Queria poder sentir pela janela a brisa vernal farfalhando a folhagem, na tarde inundada da tép...
Enviado por levyabreu
em 06/12/2015 12:53:22
Offline
levyabreu
Hiato providencial num inverno
Depois de uma pausa hiemal, hiato que queria providencial, uma estação não trouxe linimentos,...
Enviado por levyabreu
em 05/12/2015 23:45:28
Offline
levyabreu
Adônis caído no cais
Desde a magia da luz que se deu, alçando o capuz, fulgindo no breu, pendão sofrido, fogo de Pr...
Enviado por levyabreu
em 29/11/2015 18:39:38
Offline
levyabreu
Continue acreditando
Continue acreditando, inobstante razão mais pura nos sonhos mais enlevados, acalentando com tern...
Enviado por levyabreu
em 23/11/2015 08:41:40
Offline
levyabreu
A última pétala do vetiver
Muito abaixo dos patamares do universo, baixo o ponto de fusão, apegos vejo à tresloucado ver...
Enviado por levyabreu
em 22/11/2015 15:52:05
Offline
levyabreu
Entre os lábios apavorados
Sabia que viria como a noite, esperando tomar-me o sono, no meio do sonho de um sonho nas noite...
Enviado por levyabreu
em 21/11/2015 13:48:02