https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Eureka

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Eureka

Um abraço

 
Um abraço

Seria muito pedir-te um abraço
um abraço longo e bem apertado
que me acalmasse o coração
e me confortasse da tua ausência

Olha amor,
já tarda minha alegria por ver-te
Minha paz
em sentir-te nesse terno abraçar
Minha alma,
se tu soubesses, tão pequena
desnutrida com falta de ti e do teu carinho

Coisa pequena e simples
quase sem importância
que me salvaria a vida
desta vez tão fraquinha

Um abraço apenas para ressuscitar a minha vida

Eureka
Oeiras, 18 de Dezembro de 2016
 
Um abraço

Dormir? Jamais!

 
Dormir? Jamais!

Não, não quero adormecer sozinha
Ainda espero pela tua presença
Aqui a meu lado aquecendo-me e
Fazendo-me viver só mais um dia

Não posso deixar-te ir embora
E não te posso mentir porque
estas lágrimas são toda a saudade
de um beijo teu e do teu carinho

Levaste o meu coração para longe
Sem ele eu fiquei assim adormecida
Pequena e tão fria, quase nada,
Sozinha... nessa Vida

Na viagem de vida a que me impuz
Na tua sombra eu semprre segui
E chorei por tudo o que vi entristecer-te
E sorri feliz com todos os teus triunfos

E me senti a mulher mais feliz do Mundo
Perante a eterna beleza do teu querido olhar
Bendita a beleza existente em ti eternamente a me fazer respirar e sonhar.

Maria, 1 Janeiro 2017
 
Dormir? Jamais!

“Outono, no banco do Jardim”

 
“Outono, no banco do Jardim”

Na voragem de cada outono
as folhas pintam-se de cores quentes
contemplo o interior de cada pensamento
numa qualquer folhinha amarelada
num banco de jardim solitário
pelo meio de uma liberdade que
a solidão do momento me proporciona

E para que as ideias possam vagar
por entre toda a beleza que pulsa
eu me deixo quedar absorta a admirá-la
pequena no meu tamanho e medida
feliz na simplicidade dessa beleza impar
que se mostra e se deixa admirar naturalmente
perfeita, magnifica e mágica em tudo o que contem

E porque a alma não pode
alimentar-se apenas de realidade,
é preciso deixar-se sonhar
sonhar intensamente e
deixar-se levar pela irrealidade
de uma felicidade que
quase nunca está presente na vida
de um amor imenso, tantas vezes
não correspondido
de uma realização pessoal
ou profissional que não acontece
e, por momentos, transportados nos sonhos,
somos felizes na imaginação possível
de tudo o que deveria ser e não o é
enquanto a mente divagar o tempo necessário para sonhar
a vida avançará um pouco e saltará
com mais força um desgosto, um desamor,
uma profissão mal paga, uma dor que não passa...
quiçá, apenas uma dor de alma!

Eureka, um domingo de outono chuvoso no jardim
 
“Outono, no banco do Jardim”

Perdida ... de amor

 
Perdida ... de amor

Esta alma perdida
Segue peregrina
Uma esperança

Minha vida toda
Eu enchi de amor
E muitas alegrias

São tuas querido
Para guardares
Em tua vida

Tudo que existe meu
Será um dia teu
onde então encontrarás

Mil vontades de carinho
Sempre existentes em mim
A te entregar com meu colo

Uma refeição eu faço
Um remédio eu tenho
Para todas as maleitas

E poderes contar comigo
Tu talvez não te apercebas
Do quanto eu sou capaz

Por ti daria mais que a vida
Daria o Mundo inteiro
E tudo o que lá existia

E ficaria de fora a ver-te
Ser feliz com tudo isso
E com outra qualquer

O meu amor por ti é algo de muito especial
É a minha completa ausência de escrúpulos
Em te poder entregar tudo o que quiseres
E se me quiseres a mim, vais ter de me pedir.

Sim, este meu amor por ti é tão grande assim.

Maria,
Coruche, 19 de Junho de 2016
 
Perdida ... de amor

Pequena bailarina

 
Pequena bailarina

Consegues ouvir a música?
ela sempre te ouve e sente a ti
tuas aspirações de bailarina
teus sonhos de voar no sonho
e ser feliz na imperfeita vida
existente no teu corpo de mulher

muitas viagens, muitos sonhos
inúmeras músicas para ouvir
saltos altos deslizando na rua
no bater de suas solas zangadas
que a tua mente pode prometer

mas é sempre possível aquietar-se
na visão de uma Lua à luz do dia
o Sol sempre será uma alegria
e amar não é para toda a gente

baila, baila, desliza nesse sonho lindo
num chão de madeira tu rodopias
em pontinhas graciosas abres os braços
e abraças os justos desse Mundo inteiro

na música que te inspira tu te realizas
dançar é sempre o alimento para a mente
plié, chaussé en arrière et devant en première
que faire le ballet c’est surtout nécessaire

dança, baila, pequena bailarina que a vida te espera
e será sempre na dança com que tu sonhas essa deliciosa magia
que a vida terá o devido sentido nos gestos que fazes todos os dias
apaixonada a menina sensível, dança para a Vida.

Maria, 8 de Março de 2017
 
Pequena bailarina

Fragil se faz o sentir

 
 
 
Fragil se faz o sentir
numa juventude passada entre música,
pista, escola, praia e os teus braços
uma pena, uma lágrima, um sorriso,
e um riso aberto dançado afortunado

Depositados ternamente em minhas mãos
os beijos haveriam de fluir devagarinho
que teus lábios não são beijoqueiros
e meus lábios vivem sedentos de ti

Absurdo o amor ausente me instigava
a sentir-me culpada como uma parva
e no momento em que outra idade
exigente tudo definia e se declarava

Quão graciosa a mão afaga a face
num sorriso feliz e franco
e no olhar o brilho desse sorriso
haveria de revelar todo o amor

A esconder-se cobarde por trás dos lábios
e que se perdia nos beijos prometidos,
uns quantos na face outros nos lábios
doces, suaves, assim tão apaixonados

Mas, desse amor, importava saber o quanto,
o quando e o como, pois que por certo,
imponente o amor comanda a vida de quem ama

Maria
Praia da Torre, 09 Julho 2016

Música " Temple of Love " dos Enigma, acessível atravês do Youtube.
 
Fragil se faz o sentir

O teu encontro com Deus

 
O teu encontro com Deus

Nos últimos dias senti-te desistir da permanência
Aqui nesta vida terrena, tal era o teu sofrimento
E eu sempre guardava o que via para mim própria
Reconhecendo o teu direito de escolha sobre a vida
Nada mais me aprovera nesses momentos sagrados
que amar-te e mimar-te nessa solene espera por Paz

Mas chegou uma morte para levar-te desta vida de dor
E não mais irás sofrer nesse desassossego sem razão
Certo é que a paz irás em breve alcançar nesse destino
E nada mais te irão roubar todos os dias que passarem

É chegado o frio momento da despedida e da coragem
Em deixar-te partir deste nosso reino fisíco já sem dor
Mas que buscaria eu mais que te poder dar senão paz
De hora avante nada mais vais sofrer , e isso é bom

Deus te aguarda para te guiar ao reino dos Santos
E nesse reino irás ser feliz na paz encontrada sem dor
Minha tristeza eu troco em nome dessa paz minha flor
Vai, e nem olhes para trás, em frente está teu destino

Minha suave flor, teu legado se faz sentir no pretérito
Que soubestes viver honradamente em todos os dias
Minha Rosa, meu amor, em beijos traçaste toda a vida
Mulher apaixonada, livre de maldade que tanto amou
Nesse exemplo eu já adulta encontrei o meu destino

E te peço perdão por dias infames de incompreensão
Agora sei que estás ao lado de Maria, tua Mãe do Céu
E nesse Céu celeste pleno de paz, amor e recolhimento
Finalmente vives a tua vida com Deus Nosso Senhor

Minha doce Mãe, te amo ainda e sempre na eternidade dos tempos vindouros

Eureka
01 de Junho de 2009
 
O teu encontro com Deus

Imaculada

 
Imaculada

Me aquieto na tua ausência
no meu jeito a me guardar
a minha pele e a minha carne
que só conhecem anseios por ti

os meus olhos tudo me dizem sobre ti
que és belo, suave e terno para mim
em meus braços te recebo e te guardo
com meu corpo te visto do meu eu

ao teu lado o desejo surge sempre
na naturalidade de um gostar completo
no reconhecimento de todas as sensações
já registadas, a ti quero e a mais ninguém

e assim não carece a existência de qualquer equívoco.

Eureka
 
Imaculada

Teu caminho menino

 
Teu caminho menino

Onde estás menino do riso envergonhado
Por onde foste que eu não vi quando saiste
Segue sempre os caminhos iluminados pelo sol
Bebe sempre a água pura que borbulha da fonte

À noite guarda o teu corpo em casa e na tua cama
E não abras a porta a quem desconheces ainda
Se o sono demorar a chegar, pensa em mim aqui
Pensa no meu colo, no meu mimo e carinho

Nunca emprestes a tua alma a quem te procurar
Vem directo para casa ter comigo para eu a guardar
Lembra sempre o teu propósito nessa vida que levas
E muito importante, não te esqueças onde está o amor

Onde sempre esteve desde o inicio,
nas minhas mãos e no meu coração esperando por ti!

Eureka
 
Teu caminho menino

O que é um estupor?

 
O que é um estupor?

Um estupor é uma coisa ...
que não chega a ser pessoa
que não sabe respeitar o outro
que nada do que faz tem valor

que xinga e ofende porque sim
é sempre infeliz e desprezível
aparece porque lhe apetece
nem sequer espera pelo convite

é completamente ignorante, e
como tal nada tem a partilhar
geralmente é mal amado(a)
o que dá um péssimo resultado

tudo o que diz é destrutivo
nada vale, nada adianta
e coitado(a) apenas inventa
junto de pessoas em um lugar

veio agora um(a) aqui ao site
com nome de coisa estranha
entropeçando no que pertende
sem que uma pessoa se aguente

que vá para o fundo do quintal
cavar sua própria funda sepultura
aqui não terá lugar nem voz alguma
neste site distinto de prosa e poesia

que o diabo o leve e guarde lá longe no inferno
que arda nas labaredas que tão fácil alimenta
e nem tente voltar, qual retalho chamuscado(a)
de um inferno fumegante a cair aos pedaços

aqui estamos num lugar de paz, onde se pretende
partilhar algo que cultive o gosto pela escrita
e pela aprendizagem dia a dia nas leituras
onde todos vivem no respeito a que se dão.

Eureka, 10 de Maio de 2017
 
O que é um estupor?

Quem é Eureka?

 
Quem é Eureka

Tem vezes que Eureka
não tem coragem para escrever,
não tem coragem para comentar,
não tem ânimo para ler os amigos.

E, tem vezes que Eureka
envia tudo para o alto e manda brasa,
num falatório, por vezes demasiado longo,
que vos torra a paciência e a sua boa sorte.

Que fazer com Eureka?
Ser-se seu amigo? Talvez
Fingir não se ter aborrecido? Decerto
Relevar sua insistência? Muitas vezes

Mas Eureka ama intensamente
Seu eterno namorado, ai pois que sim
Fazer leituras de vossas poesias, claro.
Imaginar-vos como serão, evidentemente.

Eureka vive sempre intensamente e no limite,
Não tem meio termo, por mais que tente
Não quer ser vulgar, nem se propõe a artista
Não é poeta, não é escritora, apenas partilha

E, se vocês a pudessem ver no seu recanto
Como tão diferente seria do que a imaginam
Pois Eureka é mulher/adolescente ainda
Se nega a crescer e a se tornar adulta para a vida
Pois foi na infãncia que descobriu toda a sua alegria.

Ai, ai... tem vezes que Eureka se mostra nuínha
E vocês nem se dão conta da sua transparência
E, envergonhada, tem vezes em que Eureka
Se mostra retemperada como uma senhora deve

Mas, tem vezes que vocês nunca poderiam imaginar
Até onde vai a dualidade brava desta Eureka/pessoa
Ora sanguinária e feroz, ora doce e enamorada
Eureka pode ser uma boa amiga para qualquer um
Ou
Eureka se torna inflexível, austera e implacável
Tudo isso faz de Eureka a Maria dos Reis Rodrigues
Esta aqui, que não tem pejo em vos dizer tudo o que for preciso
A bem ou a mal da verdade, pois é essa a sua perseguição.
A verdade, a beleza de tudo o que vive nas palavras e no Mundo

Eureka/Maria
 
Quem é Eureka?

Última despedida

 
Última despedida

Sozinha pequena insignificante
Com os olhos cheios de lágrimas saudosas
A alma encolhida dentro da decepção de uma vida inteira
E sensível sempre atenta à tua sombra onde quer que estejas
Ainda aguardo uma estrelinha reluzente lá no céu azul que possa dizer-me:
- “Espera que ele virá, ele ainda virá para te segurar nas mãos e te beijar antes de adormeceres”-
Depois poderei partir de consciência tranquila, porque nos despedimos sem equívocos.
Um dia eu saberei o que tu querias da vida e depois poderei sonhar com a vida que poderíamos ter tido.

Eureka, 01 de Julho de 2015
 
Última despedida

Minha flor, meu tão grande amor

 
Minha flor, meu tão grande amor

De tudo o que fiz na minha vida
Ser mãe foi a minha minha maior realização
Nove meses durou esse sublime amor
De alegria e de tudo o que melhor eu já senti

Quando nasceu, a minha flor era perfeita
Maravilhosa cresceu sempre brilhando única
Quando começou a parecer-se com um adulto
Eu vi algo mágico a acontecer na sua presença

Em qualquer lugar onde a minha flor chegasse
Crianças pequenas, bébés e outros seres inocentes
Reagiam sempre felizes perante a sua presença
Viravam os seus olhos para ela e sorriam-lhe

Brincavam com ela e queriam o seu colo,
Os que já andavam sempre caminhavam para ela
E em seu colo se calaram muitos choros e inquietações
Inexplicavelmente... e eu a tudo sempre assisti

Minha flor tão querida é mel para a Vida
Ela é tão especial e tão doce, a minha filha
Ela é o meu galhinho, a minha continuação
Desta árvore que me considero nesta Vida

Firme, determinada e com muito amor
Eu a eduquei tão bem quanto fui sabendo
E todos os dias enquanto crescia ela brilhou
Mas brilhou intensamente como o Sol no céu

E, na sua presença tudo se aclara e tranquiliza
Ela é uma pura estrela a iluminar os caminhos de todos os que a conhecem
Eu sou abençoada com a sua existência e com todos os seus mais belos sorrisos
Filha adorada, tu és a maior estrela no Universo e na minha vida
E eu te rendo homenagem pela benção da tua existência.

Amo-te muito Joaninha.

Mãe, 16 de Julho de 2016
 
Minha flor, meu tão grande amor

Nas estrelas do céu

 
Nas estrelas do céu

É noite
Lá em cima no céu escuro
Saltitam as luzes pequeninas
São estrelas, são satélites
São almas que já partiram

Aquieto-me
No meu pensamento mais intimo
E tento encontrar quem tanto amo
E que já lá está olhando por mim

Suspirando
Sinto as lágrimas descerem na minha face
São minhas luzinhas a tentar dizer onde estou
Para que meus amores me vejam aqui

Na saudade
Sempre me tento enganar que possam voltar
Porque nada pôde ocupar o seu lugar aqui
Egoistamente me sinto abandonada por eles

Ainda assim
Resigno-me perante o poder do Universo
Que me lembra a minha existência insignificante
E quanto mais me revolto mais me magoo

Na dor
De todas as ausências mais sentidas
Há uma que me sangra muito o meu coração
És tu mãezinha querida que tanto amo ainda

Teimosa
Continuo meu penoso diálogo celeste contigo
Conto-te o mesmo de sempre aguardando um sinal
E tento lembrar as respostas que sempre tinhas

Vou dormir
Embriagada na dor da tua falta tão dorida
Na esperança de sonhar com a minha infância
Onde tu exististe de forma tão plena e bonita.

Nesta saudade imensa, que não tem fim, eu continuo a amar-te mãezinha.

01 de Maio de 2015
Eureka
 
Nas estrelas do céu

Arte de te amar

 
Arte de te amar

Essa arte do meu amar-te
tão intensa e delicada
quasi renda amortalhada
em meu peito e coração

tece tece, um gentil carinho
num afago cego e desmedido
em seda mansa que te aquece
brota a pura água que te sacia

olhos postos em ti fico sorrindo
porque tu és assim tão bonito
como jóias raras em meu regaço e
eu trago-te algo mais que um abraço

trago-te uma vida inteira de alegria
afago os teus caracóis endiabrados
beijo os teus olhos do meu céu azul
e cubro-te com meus ínfimos carinhos

em minha casa não existem paredes
o seu tecto é feito do mais belo luar
onde jamais o amor se esquecerá
de ti, de mim e do nosso bem querer

trocam-se sorrisos, beijos e mimos
por olhares, lábios e mãos gentis
mão na mão, nós seguimos namorando

e na paz urgente com que sempre se faz
em minha vida o meu amar-te, dia a dia
assim nascem todos os meus dias

sobe o Sol, desce a Lua, ambos alumiam
e poderes pernoitar sempre em minha vida
ou acordares pela manhã em meus braços
tu sabes que eu estarei sempre na tua vida

olho nos teus olhos e beijo os teus lábios
numa homenagem diária ao nosso amor
porque amar-te tornou-se a minha arte.

Maria, 1 de Maio de 2016
 
Arte de te amar

Parabéns amiga

 
Parabéns amiga

Parabéns querida amiga
Obrigada por existires na minha vida
Parabéns pela tua beleza partilhada
Por tua imagem e juventude irradiadas
És vida, és alegria, és a esperança de cada dia
Pela alma sempre ardente dessa amizade
Pelas palavras que sempre tens para comigo
E nessa separação de um oceano inteiro
Onde as ondas te trazem até mim
Na brisa maritima que me susurra o teu sorriso
Nas bonitas nuvens que posso contemplar
Por gostares de mim e principalmente de ti
Gosto muito de ti assim
Linda na beleza da tua natural existência
És um caminho de Deus em aberto
E me concedeste a honra de ver esse caminho
Até ao teu coração eu sempre sigo
Para sentir essa alegria que me faz feliz e
Por tu fazeres parte de minha vida
Eu te desejo que sempre sejas feliz
Obrigada amiga querida
Obrigada Janna

Eureka/Maria
 
Parabéns amiga

O meu caderno quadrículado

 
O meu caderno quadrículado

havia um mistério na escrita feita
sobre uma folha quadriculada
as letras contorciam-se para nele
harmoniosamente se desenharem

simbolicamente ou não comecei a perceber
que bloqueava as minhas palavras nas quadrículas
numa razão agora mais fácil de compreender,
havia de aprisionar todas as emoções nessas folhas
e dessa forma eu conseguia escrever.

e nessas quadriculas eu consigo viver intensamente.

Eureka
 
O meu caderno quadrículado

Chora pequeno coração chora

 
"Chora pequeno coração, chora"

I – chora pequeno coração chora

Deixa-te enternecer nesse gentil carinho
nessa formal aglutinação de fraternidade
nessa homenagem ao amor já emprestado
comove-te e deixa-te chorar baba e ranho

Suspira na alegria e deixa a boa surpresa fluir
respira fundo e enleva-te nessa gratidão
que nunca sentiste por esse doce carinho
é a hora de receberes do que tanto deste

Nos olhos bem abertos as lágrimas tilintam
prestes a jorrar numa cascata de gratidão
todo o carinho que sentiste e foi surpresa
o que para ti era normal dares, recebe-o agora

II – chora pequeno coração chora

Eu sentia todo esse amor em minha volta
e identificava apenas a existência do que dava
nunca sentira qualquer retorno ou gratidão
e tudo isso eu achava normal e coerente

Mas veio esse terrível dia tão assustador
que eu nem supus conseguir ultrapassar
por esses medonhos mal estares, um inferno
o coração trepando todo pela garganta
quase conseguindo sair pela boca fora

A alma já de perninha de fora da janela
a respirar tão dificilmente, e eu patinava
pensava e despensava no desespero de um
orgulho magoado e quase fui fazer asneira

III – chora pequeno coração chora

Mas o Sol brilhou e eu entreguei tudo a Deus,
sem qualquer esperança em poder sobreviver
sim, porque eu agora posso contar:
o quanto estive tão demoradamente doente

E como pensei não voltar a falar ou a escrever
sofri tanto que tive de desistir de viver e amar
e desistir é algo de muito grave para mim
e foi o que envergonhada me vi obrigada a fazer

Mas, e porque haverá sempre um mas
sobrevivi após uma, duas, três, quatro noites
sem dormir, mas em que repensei todas as ideias e
deixando o coração chorar toda a sua imensa tristeza
eu descobri o de sempre, o óbvio, o natural em mim

IV – chora pequeno coração chora

Porque eu quero viver, e até nem sei ficar quieta,
então bora lá sacudir as penas, fazer-se viver
e deixar-se nascer novamente, qual belo cisne
flutuando num lago, todo ele feito de esperança

E amar, porque é de amor que eu preciso e
há que semeá-lo por todo o lado para que nasça,
e para que exista em todos os outros corações
em toda a parte e a toda a hora em que respire,
Limpando todas essas lágrimas de emoção, pelo amor e pela fraternidade bonita que hoje eu recebi.

Lisboa, 11 de Janeiro de 2017
Maria

Para as minhas amigas: Isabel, Catarina e Maria de Fátima.
 
Chora pequeno coração chora

“Nosso Carinho”

 
“Nosso Carinho”

Meu corpo,
O museu de todo o teu carinho
Embalado em mel de rosmaninho
Sempre presente enquanto viveres,

Teu corpo,
O museu desse meu carinho
A guardar-me mil oferendas
De várias décadas de amor,

Teus olhos
Todo o meu céu límpido
A brilhar a luz que me alumia
Nessa terra àrida e infeliz,

Nos teus lábios
Todos os meus beijos preferidos
Beijo agora e mais tarde ao deitar
Adormecendo na tua conchinha,

Coisa doce, mais terna e bonita
Existindo assim em minha vida
Como se a eternidade já ganha
E gravada em nossos corações,

Nos salvasse dos dragões
E de todas as libelinhas
E dos palhaços ricos dessa vida,

E num trapézio alto nós dois a voar
Coração apertado ligeirinho pelo ar
De cá para lá e de lá para cá.

Amor e vida completa nessa bendita magia.

Lisboa, 24 de Março de 2017
Maria
 
“Nosso  Carinho”

Silhuetas

 
Silhuetas

Na silhueta de um único verso
Branqueias brandos sorrisos
De vidas apaixonadas em vão
E o vento volteia teus pensamentos
Dos mais simples aos feios embustes
Enquanto desperdiças todo o amor
Que eu te continuo a dedicar

Tua luz é como aquela fria
Pedra que precede o soalho
E é ainda o riso por nascer
Na face lívida o doce sorriso
De tudo o que tu definires
O será para todo o sempre

Queria dizer ao Mundo que não,
Que aqui tu já não pertences
E de olhos escancarados tentava em vão
Dar ênfase à verdade do que dizia
Perante o teu semblante tão perscrutador
Nada havia de conseguir mentir-te
Conhecias-me demasiado bem
Para te convencer do que não era.

E, numa silhueta todo o meu amor se desenhava à tua frente
Para falar da infinidade do quanto ainda te amo.

Eureka
Janeiro 2016
 
Silhuetas

Eureka