https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Jerenino

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Jerenino

prisioneiro da mente

 
O prisioneiro da mente
sendo honrado nas palavras mil linhas
não me contém,
expressar meus sentimentos sozinho sem ninguém.
onde companhias
sobre o eco do silêncio do nada,
entre o suspiro da solidão
e a frieza da madrugada.

atordoada infelicidade
amarga no sonho
de um triste poeta ,
dentro de uma prisão
sem grades.
Ah! que sentimentos formulamos?
- se existe amor em todos os caminhos não carecem mensagens
que pouco amamos.

paixão passa longe,
como a um inimigo,
- lembranças a minha porta na noite do suplício.
comtemplo tristemente,
das janelas desta prisão...
o castigo de uma alma
que desafia o coração.

E o som da liberdade
na sintonia de multidões
seja que aproximadamente,
liberdade para o solitário poeta
prisioneiro da mente.

(jerenino)
 
prisioneiro da mente

Entre a névoa

 
O enigma da rua
É um grito
de silêncio,
Em uma noite sem lua
e sem estrelas, no paradigma
do tempo.

Entendo
por entender
Que solidão
não é sofrer,
Sofrer é viver,
viver
é sobreviver.

Muito além
do que
Sonhar...,
muito além
Do que saber;
é saber
que estás
vivo,
Vivendo
pra sonhar
Muito além
do infinito.

Acho que enfim
Me tornei poeta, não
Sei mesmo
se sou,
Sou parte
da minha
história;
Do sentimento interpretador.

Entre
a névoa
da solidão
No coração nasceu
uma flor,
a alegria
do poeta
Veio lhe
de encontro,
Nos braços
de um
Novo amor.

(Generino)
 
Entre a névoa

prazer que não satisfaz

 
Gosto que não satisfaz

O peso de uma lágrima contra o peso de uma balança ,
Pesa se mil toneladas
Na tristeza sem esperança.

Dor que fere a alma,
seol que tira a calma,
Na última esperança,
Lutando contra lágrimas,
No último pesar da balança.

Gota nascida das pálpebras,
Que desabafa
quando desaba, sólidificando coração.

Tão clara como sal,
Salgada como mar,
O pesar de um desgosto,
Na decepção de se amar.

Águas de nascente, nunca
Corre para traz,
A dor de uma lágrima,
É prazer que não satisfaz.

(Jerenino)
 
prazer que não satisfaz

Perdoe me coração triste

 
Perdoe-me coração triste,
não posso cuidar de ti.
de tanto amar nesta vida,
assistindo esse amor me traí.

De que serviu pétalas de flores
em forma de coração,
se dormias apaixonada,
na magia de outra paixão.

_ cheguei até perdoa - la
mais não me perdôo pelo que fiz,
foi por esta fraqueza,
tornei me triste e infeliz.

Perdoe me coração triste!
ferido encontra-se de paixão,
do amor que não te amou,
mais quebrou te na decepção.

Até quando... até quando
oh tristeza!
farás tu parte de mim?
perdoe me coração triste
não devias sofrer assim.

(jerenino )
 
Perdoe me coração triste

Um menino que chora

 
De estrada,em estradas triste andavas,
Rumo ao centro do destino
De carência triste chorava.

O coração não ficou quieto,
--sofrendo a infidelidade,
Andando por trilhos deserto.

Meus olhos se enchem d'água
-- as gotas borram me as letras,
-- a lembrança traz me mágoa.

-- tenho medo, nesse caminho encontrar-te,
Mas o gole de um vinho
-- faz me ver-te em toda parte.

Aproxima se a noite nas altura,
No céu brilham estrelas d' aurora,

(Perdido na noite escura...escreve um menino que chora )

Jerenino Oliveira
 
Um menino que chora

labirinto da solidão

 
ser sozinho e andar sozinho...é um labirinto
infinito sem fim,
onde poucos românticos haviam passado,
em uma estrada sombria onde muitos poetas já haviam passado.

lágrimas de amor em gotas são encontradas,
sob suas calçadas
no fim do labirinto,
do paraíso na chegada.

nos tempos de liberdade,
... a tempos de aflição,
correndo me a felicidade
longe de minhas mãos,
em noites de tempestade
andei te capturando,
nas imagens que encontrei,
me perdendo fui andando,
nos trilhos que nunca encontrei.

na madruga gela os ponteiros do tempo de um quarto.
enquanto
torno me poeta prisioneiro do tempo e do espaço.

Talvez não cicatrizo
minhas feridas
se não for livre para voar,
coração de poeta torna um homem sensível ao toque do verbo que se conjuga amar,
a razão enraíza os versos
do fundo do meu coração.
meus poemas revelam quem sou

mesmo não parecendo,

sou
prisioneiro do amor
escondido nos sentimentos!

enquanto o coração não para no fim do labirinto
esperançoso nesse evento.

encontra-se a chegada além do infinito paraíso do amor divino.

(jerenino )
 
labirinto da solidão

poesia querida

 
Estiquei a linha
Do meu pensamento,
Como poeta peregrino,
Estou perdido no tempo.

[Resgate de lembranças, feliz ainda tenho.]

Da distância,
A dor me alimenta...
Na força da suplência,
No suplício que detenho.

A força como a linha de um momento,conduz meus pensamentos;
pensamentos que devotam longe os sentimentos
interligados.

A poesia do amor,
Inspira-me a vida.
Às vezes feliz,
às vezes sofrida.

Assim me declaro
e nunca paro.
Continuo sempre a dizer:
ti amo minha poesia querida ,razão
do meu viver .

(Generino)

Tavez não seja poeta mais meu sentimentos rabisco,
Assim disfarço
A minha maneira de ver
Que não estou sozinho.
 
poesia querida

Eterno aprendiz

 
Eterno aprendiz

Entendo a vida
Como entendo a poesia,
em cada sentimento que
completa meu existir.
existir que completa
Minha vida em completo amor...amor em louvar pelo amor que nasci.
Nascido para amar
Amando em ser feliz,
A chave desse enigma,
É com amor que
assim completo me fiz,
Se não mata me deixa
Mais forte, além
De ser nesse mundo,
Sou filho do amor,
Por isso vivo aqui estou,
Quem sou eu? de onde
Eu vim? para onde vou?
Por isso estou aqui,
Eterno em mim, em mim
Aqui, viver um intenso amor, como eterno aprendiz.

(Jerenino)

Entender o amor
Quanto mais aprendo mais me formo
Mais preciso
Aprender.
É uma faculdade que não tem fim.
 
Eterno aprendiz

Sinceras razoēs do amar

 
Queria ser poeta mais não sou!
Como escrever pensamentos?
Se todo dia sou engolido por meus sentimentos.

Dificilmente lanço uma rima em silêncio.
Queria amar um alguém;
Mais olho do meu lado... e não vejo ninguém.

Mais quando houve pra mim nunca me fez bem;
Aprendi olhar pra frente e deixar o passado.

Amei tanto uma vida, e nem sequer fui amado;
Escrevi uma vida...
Como um tolo apaixonado.

Serei eu um poeta?
Serei um alguem amado?
Espero a noite chegar...
Pra confirmar quem eu sou...

Sou alguem que sonha em ser poeta.
Para eliminar sofrimento e dor.

Sair do complexo de um homem angustiado;
E entrar com o coração de um homem completo e apaixonado.

E em fortes paixoēs me inspirar...

E finalmente conseguir entender...As sinceras razões do amar.

Pikeno poeta com k.
Sonho com amor de amar e ser amado.
Mais se para sofrer melhor ficar solitàrio
 
Sinceras razoēs do amar

sentimentos

 
em silêncio descendo as escadas
vem a lei da sentença palavra,
ao abater-se de uma vida.

adormeço me em sono eterno
em uma viagem só de
ida.

No desfecho de seu tempo
aprendi que a vida de luto,
com sofrimentos.

Transparecido no romper
de uma lágrima...
no suspiro de um lamento,

com a triste face beijada
pela ultima brisa do vento,
quando a saudade vem
e nos faz voltar no tempo.

Ao chegar de uma alma
no seu fim,
uma canção de fechamento.

o frio dos tempo trarão saudades
da presença fraterna,
que se chama amizade

(pikeno poeta jerenino)

(''eterna saudades adormeceu-se um grande amigo que jamais será esquecido'')
 
sentimentos

coração sem razão

 
Caminha coração para o fundo do poço seguindo extinto sem noção.

O coração é cego
Sem o equilíbrio da razão.

Sempre se engana
No que sofre em desrespeito
A paixão.

Cai com facilidade
Na magia passageira
Da sedução.

Que se resume num
Futuro de sofrimento
E decepção.

O que olhos não vêem
O coração não sente,

Não se pode seguir
Um amor sem raciocínio
Decente.

O amor verdadeiro
Com a razão consciente.

Faz de mim para o amor
Eterno sobrevivente.

(Jerenino)
 
 coração sem razão

O grito do silêncio

 
O grito do silêncio
Ensurdeceram se meus
Ouvidos , pois nada se
ouviu , no eco noturno
Da quarta enluarada.

Da cidade religiosa...,
Pseudônimo , de capela;
Corre se a brisa da noite,
O assoviar na cidadela.

Os passos em
desalentos,em
silêncio se aproxima!
O dobre sino da matriz,
Lá em baixo se declina.

Quem será ? que passa a
noite,
No sombrio da madrugada!
São gritos da meia noite,
Prelúdios da rua fantasma.

O grito do silêncio,
Nas correntes do vaivém!
Anúncioso em teu eco,
-muito prazer eu sou
Fantasma também.

(Jerenino)
 
O grito do silêncio

Estou bem

 
Espelhos embaçados
Refletem meus
Passados...mostrando que estou bem.

Dolorosas lágrimas mostram que estou bem.

Vivo na solidão
A espera de mim mesmo..., sei que estou bem!

Encontro comigo mesmo,
Encontro me, e não encontro ninguém.
Mesmo na vida
Só..., ainda sei que estou bem.

No abismo do coração, não há
Conhecimento
Sem equilíbrio,
De ambos sempre fui refém, nos meus
Cálculos incalculáveis...sei que estou bem.

Comecando um novo tempo portando sentimentos

vou muito mais
Além...,amando a mim mesmo,
Continuo... sentindo que não amo ninguém.

Mais sempre
Sei que estou bem.

A terra do amor
É um antigo fato,
Como a terra da flor,sou feito de pedaços.

Quem sofre por amor..., não descansa em nenhum braço,
Mais o conforto
De um carinho... e de um abraço,
Mostrará que eu estou bem.

(Jerenino)
 
Estou bem

chave do enigma

 
Tantas portas
e tantas chaves como enigma
Indecifrável,
Tranco ,
e quando solto,
Ao transbordar me em poesias.

Como nos ares dança o vento,
em arrepio triste alegria:
se versam
hoje meus pensamentos.

Uma alegria lápidada,
Em que triste
se repousa nos olhos de um só momento.

No triste compor dessas palavras
Banhadas no
constante desses versos, marcando se
Com lágrimas,
no reflexo de um pensamento.

A porta aqui se fecha a porta que se abre,
Quebraram teus espelhos, em estilhaços pelo nada.

(Jerenino )
 
chave do enigma

Lagrimas

 
Lagrimas
 
Nos meus olhos
a se pesar,
Pomba branca
batendo asas,
Além do horizonte
voou!

Tristes mães choram crianças, inocentes
que o triste naufrágio
levou.

Lágrimas!
Alegria que se foi,
No luto que voltou;

Lágrimas!
Que a raiz do
Brasil hoje chora.

Lágrimas!
No rosto brasileiro,
Que lamenta hoje
Também chora.

Lágrimas!
Banham meu rosto
Na voz do Brasil,
perda dos irmãos,
Que para o além hoje partiu.

Lágrimas!
Dos olhos que
Correpodem ao
coração, lágrimas.

No vento triste
que levou...,
Lágrimas!
Na saudade
que restou.

lágrimas!
Quando a pomba
branca ao
infinito voou,
Lágrimas!

Nas lembranças
de outrora!
O coração poeta
também chora.

Lágrimas!
Sofrimento que
Em minha alma ficou...,
lágrimas!

Que o bom Deus
As enxugue,
A todos com amor!
Com carinho assim
console...,lágrimas.

(Jerenino)
 
Lagrimas

onde o sol bate mais cedo

 
Onde o sol bate mais cedo

Na sanidade do
sentimento,
A luz do dia que brilha
mais forte nas ruas estreitas,
As margens
de um
pensamento.

No espaço da noite,
Na brisa
do vento.
Em toda quebrada,
sem perder
o brilhar
De sua claridade se espalhando
pelo ar
Andando
ao relento.

Como poeta pensador,
Falando
das marés
Da dor nostálgica
que ficou
no tempo .

(Generino)
 
onde o sol bate mais cedo

Sonho perdido

 
Aprendi assim viver saindo da agonia,
mais ainda sinto falta
de uma doce companhia.
minha alma ainda chora...

(Os desgostos de outrora... )

Toda noite sim me lembro ,você dormindo a meus braços
feliz eras meu coração,
um canto lírico ardente
no calor de uma paixão.

( A noite chego a me lembrar)

Horas da saudade
que flutuam pelo ar,
O brilho irradiado da lua,
foi testemunha de nosso amar.

( Sonho realista...)

Enquanto dormias contigo triste sonhavas,
em teu ouvido baixinho
dizia que te amavas.
Se me deixares sozinho minha vida seria nada.

( O sonho perdido...)

caminhando em meu lado
um sonho que se perdeu,
_ amei tanto um amor
que nunca me pertenceu.

(jerenino )

A noite é um açoite de quem vive na solidão .
 
Sonho perdido

enigma misterioso

 
enigma misterioso
 
O pássaro e o trovador

Em busca da tranquilidade
Da harmonia do infinito
Para distante da mente,
Um pássaro de asas longas
Voou!
Na imensidão do horizonte
Nada se encontrou
No sideral do espaço,
Na mente inspirada
De um amavel sonhador.
Voando na utopia
De sonhos pulsantes,
Um enigma decifrado
Aos olhos de um trovador.
A suave brisa do vento...,
No brilhar esperança no sol
Sussurra no silencio,
Um cantico de amor,
Na força da união
Entre o passaro,
e o trovador.

(Generino)
 
enigma misterioso

Triste lembrança minha

 
Escondida
No reflexo
Dos meus
olhos la
Estavas...
Tão linda
Miragem delirante;

Preciosa aos
Olhos nus...
Uma flor irradiante.

Abalaste meu coração me tornando em instantes(...)

Num homem sonhador,
com um menineiro errante.

Dos crimes que cometi...
Foi um dia ter
Te amado.

Ao cair em teus braços ...
Como louco apaixonado.

Entender teus sentimentos...
Foi essa minha sentença.

Ao saber que meu amor...
Por ti não fez diferença.

Perdi as lembranças
Do teu amor...
Algo que em mim não restou.

Nem se quer existia...
Apenas a solidão.
Que em meu peito ainda ardía.

A tristeza e o que sobra...
Amargura e o que fica.

A uma semana no quarto trancado sem ver a luz do dia...

Foi bom!
Pois conseguir sentir o amor da propria poesia.

(Pikeno poeta)
 
Triste lembrança minha

Crepúsculo dos olhos

 
Ergui os olhos
no brilhar
e na brisa
Infinita
do horizonte.

Pude assim
contemplar nostalgias
de quimeras
Na mente peregrina.

Pirata em busca
De felicidade
da chave do baú
Cristalizado em diamantes.

Fecho meus olhos
Ao enxergar
Novo destino
Sem rumo
e sem tropeço.

A linha
da estrada
Na saída uma luz
O findar de um labirinto
E um novo recomeço.

(pequeno.poeta)
“Sonhador
Como romeu,
Peregrino caminheiro,
Gritando saudades
No calor
e na frieza
No compor...
dos versos meus”

(Generino)
 
Crepúsculo dos olhos

O amor é chave que
abre muitas Portas.
Enquanto ele existir
Existirá a chance do
Poeta sorrir