https://www.poetris.com/
Fernando Pessoa : Da nossa semelhança
em 18/01/2012 16:52:34 (2810 leituras)
Fernando Pessoa

(Ricardo Reis)




Da nossa semelhança com os deuses

Por nosso bem tiremos

Julgarmo-nos deidades exiladas

E possuindo a Vida

Por uma autoridade primitiva

E coeva de Jove.





Altivamente donos de nós-mesmos,

Usemos a existência

Como a vila que os deuses nos concedem

Para, esquecer o estio.





Não de outra forma mais apoquentada

Nos vale o esforço usarmos

A existência indecisa e afluente

Fatal do rio escuro.





Como acima dos deuses o Destino

É calmo e inexorável,

Acima de nós-mesmos construamos

Um fado voluntário

Que quando nos oprima nós sejamos

Esse que nos oprime,

E quando entremos pela noite dentro

Por nosso pé entremos.


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 18/01/2012 17:00  Atualizado: 18/01/2012 17:00
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2087
 Re: Da nossa semelhança
O heterónimo Ricardo Reis é descrito como sendo um médico que se definia como latinista e monárquico. De certa maneira, simboliza a herança clássica na literatura ocidental, expressa na simetria, harmonia, um certo bucolismo, com elementos epicuristas e estóicos. O fim inexorável de todos os seres vivos é uma constante em sua obra, clássica, depurada e disciplinada. (Fonte: Vida e Obra)

Opinião pessoal: Fernando Pessoa sabia utilizar os simbolismos dos seus conhecimentos esotéricos, por isso e por outros motivos, ele sempre demonstrou uma liberdade imensurável em sua escrita. Sua obra é admirável.

Helen De Rose

Links patrocinados

Visite também...