Poemas, frases e mensagens de MelMartins

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de MelMartins

Coloquei docemente as minhas mãos em cada coração !

 
Abri as janelas da lua de par em par,
para ver se reconhecia aquelas formas
que sempre vejo a moverem-se
mas não tinha forma nenhuma
era apenas o meu amor
e o meu olhar que as criavam
e faziam girar...

Revirei pensamentos esquecidos
nas estrelas e arranquei-os docemente,
um a um, comecei a espalhá-los
em forma de melodia e o sol adormecido
começou a brilhar.

Coloquei docemente as minhas mãos
em cada coração, retirei toda a dor
e desolação, aspirei as angústias,
as dores e todos os tormentos
de cada ser vivente.

Por fim insuflei-lhes vida
e no lugar das dores coloquei
amor e paz e ao acordarem
respiravam diferente,
e por fim se sentiram gente
finalmente...

No coração, havia uma cantata
de amor que entoava em alta voz:

Hoje é dia de festejar
um novo dia, cheio de alegria,
tudo floresceu, quando amanheceu
tudo agora brilha com grande esplendor!

No lugar da dor, nasceu o amor,
e em cada provação, nasceu
com mansidão um hino de louvor,
porque se nós quisermos
podemos sossegar a nossa vida,
precisamos deixar de vaguear
em círculos, é tempo de acordar...

Viver, olhar para o lado
sorrir e desfrutar, ajudando,
amando e doando para o amor
germinar e sorrir abençoando.

Alice Barros
 
Coloquei docemente as minhas mãos em cada coração !

Não sujes o meu céu!

 
Não sujes o meu céu!

N asce o dia radiante, belo e resplandecente
A Tua mão sustenta-me e tudo muda ao meu redor
O meu coração preso ao teu nesta nascente.

S ussura melodias de trinos cânticos de amor
U ltrapassando as colinas, corro veloz sorridente
J asmim e crisântemos olham-me e soltam odores
E ncantada com o caracol, o louva a Deus e o grilo
S ento-me a ver os carreiros de formigas seniores.

O verde dos campos faz-me reverenciar o Criador

M istura de cheios e cores desfilam no meu olhar
E stendo as mãos e ergo os olhos para Te agradecer
U tilizas tudo ao Teu alcance para me ver sorrir.

C anto uma melodia suave louvando o Senhor!
É por isso que continuo a dizer sem cessar,
U sem tudo o que quiserem, mas não me sujem o céu.

Alice Barros
 
Não sujes o meu céu!

Os teus olhos meu amor!

 
Que olhos são esses,
meu amor!

Que se desprendem
da lua do teu olhar,
que ternura cintilante
a derramar de tão brilhante,
que mar de amor é este a sepultar
todos os meus sorrisos no teu olhar.

Que razão teria meu amor,
se não fossem as tuas mãos
a minha guarida e o teu cuidar
o meu terno e doce despertar.

Que seria meu amor das manhãs
em que me ergo ancorada,
nesse teu cuidado,
liberta da impotência
com que me reverencias a vida.

Ah meu amor!

Esses teus olhos lunares
que se vestem de céu para me abraçar
e me saciam os dias nesta tão singela
e doce forma de me amares,
que não vacila, me entorpece e me inebria
para me dar fôlego e vida a cada respirar teu,
move-se o meu coração e balança
nesta brisa que é o teu amor
que me acaricia, noite e dia.

Obrigado meu amor, por me amares!

Alice Barros
 
Os teus olhos meu amor!

Doar

 
Olho

E vejo que por detrás
de uma pessoa que fere
existe sempre uma pessoa
ferida.

Ninguém agride os outros
sem que primeiro se tenha
auto-agredido.

Ninguém faz os outros
infelizes, sem que primeiro
tenha sido infeliz.

Que estas palavras possam
provocar a nossa inteligência
e ecoar dentro de cada um de nós
chocando-nos.

Esforçamos-nos
por dar o mundo uns aos outros,
mas esquecemos-nos de nos dar
uns aos outros...

Alice Barros
 
Doar

Transparência

 
Seremos nós transparentes?
acaso já conhecemos alguém
que seja completamente
transparente?

Alguns escondem algo sobre a forma
comportamental dos seus filhos,
outros escondem algo que não se
atreveriam a dizer sobre os seus
cônjuges, e outros ainda acerca
daqueles que dizem ser seus amigos.

De alguma forma uns escondem-se
atrás de preconceitos, outros atrás
da sua cultura, outros atrás da falta
de tempo, que quase sempre fazem questão
de mencionar, para não fazerem nada mais
do que aquilo que pretendem fazer,
sem se incomodarem muito com aquilo
que poderiam e deveriam fazer...

Nos dias de hoje muitos se escondem
atrás da forma neurótica de se acharem
sempre com a razão e não admitem
as suas falhas...

Muitos têm tendência a esconder-se
atrás dos seus símbolos de status
que têm na sociedade,e são especialistas
em esconder-se atrás dos seus títulos
académicos, buscando posição social
e outros valem-se de contas bancárias,
todos estes valem-se daquilo que têm
para aparecer...

O ser humano de todas as raças e culturas
seja de que condição social forem,
têm uma tendência histórica tão enraizada
de camuflar os seus defeitos e não admitir
as suas insanidades maquilhando-as.

É necessário que saibamos quem somos
que retiremos toda a maquilhagem
e que limpemos todos os disfarces
para que o amor possa brotar
sem que as cores sejas mascaradas
por pinceladas artificiais,
amando genuinamente com excelência!

Os piores disfarces não são aqueles
que se escondem uns dos outros,
mas aqueles que muitos escondem
de si mesmos, são esses que levam
os traumas para o túmulo,
ao invés de os restaurarem nesta vida
concertando-os e acertando-os.

Que possamos cada vez mais falar
da nossa nudez em vez de falarmos
da nossa roupa...

Que possamos olhar para o nosso passado
como uma época de lutas e que tenhamos
a coragem de falar delas dando testemunho
das nossas vitórias...

É chegado o momento oportuno em que
saldaremos as nossas dívidas,
encarando de frente os nossos débitos
com a vida.

Que possamos extrair um belo e harmonioso
pensamento do nosso mestre: Estar doente
é uma escolha humana, mas continuar doente,
poderá ser, a nossa maior estupidez, que
o nosso Deus não aceita que escondamos,
Ele apenas admite as nossas tolices e
imperfeições, mas não admite que as
maquilhemos, camuflando-as...

Que seja a nossa humildade
o caminho de regresso ao melhor
de nós, para que possamos
ter a vontade de deixar cair
o que nos rouba a tempo
e abraçar o que nos espera
rumo à felicidade, vencendo
e sendo cada vez mais felizes,
alegres e transparentes
uns com os outros...

Alice Barros
 
Transparência

Chove e o perfume é inebriante

 
Vejo um brilho estonteante no céu,
descem pétalas de flores, são de jasmim
caiem como uma chuva rompendo o véu
querem permanecer em mim, flor de mim

Choro a tua partida e aqui comovida
prometi que ficava apenas a contemplar
a chuva que do céu viria com forma de vida
atenuar o meu sofrimento para eu respirar

Chove e o perfume é muito inebriante e intenso
são gotas de jasmim,que perfumam flor de mim
inalo-as e sinto-te, o ar impregna-se e penso
que não é justo teres partido a sofrer assim.

Fiquei aqui dormente quase sem expressão
adormeceu-me o sorriso e aí no paraíso
nem consegues enviar-me um motivo ou razão
para que eu volte a esboçar um sorriso.

Chovem do céu sem cessar cintilantes estrelas
desfiadas com os seus fios todos desalinhados
as luzes quase todas fundiram-se,agora só elas
brilharão quando os fios forem concertados.

Brotam flores de jasmim mesmo de dentro
do meu coração, são agora elas o indício
de que estarás comigo sempre no centro
porque flor de mim és sempre o resquício

De tudo o que tenho e num grito possante
rasgo o peito e dilacerante carrego o coração
e te entrego além céu, devolve-mo brilhante
pois não suporto mais a dor da perda e a emoção

de te ter visto segurares-me a minha mão
e pedires-me que fossem apenas o jasmim
e o seu perfume aquilo que teria no coração
para te lembrar e encher de sorrisos,flor de mim.

Alice Barros

Nota:

Escrito em: 31/08/2010 04:39:05
Reeditado em luso poemas

http://atelierdejesus.blogspot.com/20 ... perfume-e-inebriante.html
 
Chove e o perfume é inebriante

Dando lugar ao amor!

 
Cada despertar
nova vida,
assim se constrói
o amor passo a passo,
com fios de ternura reluzentes,
todos diferentes,
repletos de cores,
multicolores
e por fim
a manta tecida
malha a malha,
nesta doação
de se ter tudo
e não ser nada,
dando lugar ao amor!

Alice Barros
 
 Dando lugar ao amor!

Cobre-me de vida

 
Ah meu amor!

Chamo-te de céu,
meu manto e meu amparo.

Cobres-me com a doçura da brisa
do teu amor, que como estrelas
a cintilar, pingam brilhos
neste doce e suave amar.

Vestes-me de realeza com as pérolas
que caiem do teu olhar,
com elas saras as minhas dores
porque de dor te vestiste para me sarar.

Ah meu amor!

Olho para ti e os meus olhos que calo
na ânsia imerecida desta dor
que só tu cobres de amor
nesta melodia de quereres a embalar
o meu corpo que me quer abandonar.

Ah meu amor!

Veste-me de flores, faz das pétalas
o odor da vida, do perfume faz cair
todos os queixumes para me alimentar de ti.

Ah meu amor!

Nesta entrega suave e profunda
grita-me o amor em cada célula,
para que a vida as regenere
e do amor tece laços que se desprendam
e se soltem como libélula
para nos teus braços poder descansar
e no teu amor me poder saciar.

Alice Barros
 
Cobre-me de vida

A mão do meu coração

 
Quando os meus olhos
se cruzam com os teus
meu amor, percorres o meu olhar
e é através dele
que todos os sentidos se reúnem
para festejar
a mais bela forma de amar.

Quando seguras
na mão do meu coração,
meu amor, é Deus a levar-me
por caminhos de paz
e na tua companhia
sinto segurança meu amor,
porque és o mais belo que Deus me deu.

Quando oro contigo meu amor,
rompem-se as correntes
o mundo se quebra dentro
dos minutos do tempo
e tu meu amor mudas as vontades
através do pensamento
que como um unguento sara o ferido.

Quando estás ao meu lado meu amor
juntamos as nossas vozes
e em uníssono, festejamos a coragem
de juntos celebrarmos
todos os momentos de dor vividos.

Quando prostrada me refúgio
nos braços do Pai,
é a tua mão que ao longo dos tempos
segura a minha, nesta doce sintonia
que desce com a alegria de te ter
a cuidar-me e a abençoar-me
nesta vida que bela nos escorre por
dentro do coração, sempre em celebração.

Quando as investidas do inimigo
nos querem tragar,
é a voz de Deus que ouço
e o teu olhar que trago preso
ao meu vem como um bálsamo
a derramar.

Quando por fim meu amor,
nos alheamos do mal que recebemos
em troca do bem que fazemos
vem por fim o consolo de acolhermos
a essência que és TU, querido Jesus
e assim celebramos o amor que do perdão
é irmão para vencer momentos de ingratidão.

Alice Barros
 
A mão do meu coração

Quando durmo as palavras transformam-se em imagens

 
Se os sonhos desaparecerem
os pensamentos desaparecem também;
assim como se os pensamentos desaparecerem
os sonhos desaparecerão também.
Se o dia for vazio de pensamentos
a noite também será vazia de sonhos...
os sonhos não me permitem dormir
e os pensamentos não me permitem que acorde...
tenho a certeza que é fácil perceber:
se os sonhos desaparecem o sono será total;
se os pensamentos desaparecerem
o acordar será total,
não existe muita diferença entre os dois,
a única diferença é manter os olhos abertos
ou fechados.

Alice Barros
 
Quando durmo as palavras transformam-se em imagens

Psicopatas na internet /sociologia

 
O que me impressiona?

A lata dos que têm lata.

O que me dá náuseas?

A mentira compulsiva
dos psicopatas da internet.

O que me dá pena e compaixão?

As vítimas que caiem nas suas mãos
e depois do abalo e de serem ludibriadas
acreditarem na história que eles tão habilmente
compõem para se justificarem.

Elas movidas pela emoção,
com o coração apaixonado,
dependentes das vãs palavras,
vão seguindo o trilho,
do brilho que vem do inferno,
qual calor a dilatar
numa emboscada refinada,
qual teia que se agiganta
a tecer a armadilha cheia de magia,
que vão colocando ás presas
que cegas, continuam a beijar-lhes as mãos.

O que me revolta, são as voltas
que a mentira dá e vai assim camuflando
tecendo uma capa de verniz com a suavidade
de meninos-aprendizes vestidos de pureza
que já como pais e mestres nesta escalada
vão tecendo as suas malhas,
não passam de gafanhotos
estes psicopatas da internet
que são cordeiros disfarçados de lobo.

Pessoas com má aparência física,
isoladas do mundo exterior,
que vivem na frente de computadores
assumindo várias personagens
e sem nenhum pudor vão cavando túneis,
seduzindo vítimas; não têm sentimentos,
narcisistas, manipuladores, egocêntricos,
controladores, calculistas não conhecem
outra sala, entre o quarto e o wc.

E chegam com floreados e saem de fininho
escrevendo apenas para impressionar,
estendem o tapete com as flores do inferno
aonde caiem os carentes emocionais,
e vão tecendo enredos cheios de promessas vãs
mantendo relações paralelas.

As vítimas não lhes vêem a cara apenas
lhes ouvem a voz pensam que têm o controle
de tudo mas são apanhados nas próprias teias
e contradições, lemos as suas palavras
tecidas pelo engodo do lodo fétido,
abrilhantadas com as vestes da delicadeza
são iscos impregnados, de astúcia
podres e bolorentas de tão ocas e vazias
tecidas com primor para cativar
com falso e fingido amor,
que nada é senão, fruto das suas emoções
e das suas almas doentes e dementes.

Que pena, é tempo de abrir os olhos,
é tempo de acordar, não se deixem enganar
porque andam aí lobos à espreita.

São inúmeras as vítimas feitas ao longo
dos tempos, são viciados, têm lata e lábia
para seduzir, hoje vim aqui pra advertir,
tenham cuidado.

Estejam alerta porque o inimigo ele vem sempre
com a voz do bem, e é astuto como ninguém,
faz o mal parecer bem e dá a volta
por cima das desconfianças,
lançando suas tramas,
acusando quem os denuncia
virando o jogo a seu favor.
Transformam as palavras em melodias,
tecidas com mestria, seres infames
estendendo flores do inferno,
neste céu de Deus que é meu e teu.

Cuidado!

Alice Barros
 
Psicopatas na internet /sociologia

Peregrinações repletas de amor!

 
A emoção é efémera e irracional!
Irracional no sentido de estar totalmente
fora dos nossos hábitos e de nos sujeitar,
á magia com que nos presenteia.

Nós acolhemos uma emoção
e encontramos espaço disponível para ela,
quando nos dispomos a fazê-lo.

A emoção é como um milagre que nos visita
dia a dia, ela é maravilhosa quando surge
do inesperado e nos leva á invenção
e à renovação prodigiosa do presente.

As emoções da infância têm uma vitalidade
com particularidades de tal forma fortes,
que para mim equivalem a vagas de fundo,
que me erguem e me enchem de inquietação
antes de me depositarem nas margens,
de um quotidiano inalterado.

Quando penso que jamais serei visitada
pelas emoções da minha infância,
fico a recordá-las, com imensas saudades.

A emoção tem a particularidade única
de deixar uma marca, de lançar uma semente
dentro de nós, um fermento que vai levedando
e crescendo que poderá renascer e ressurgir
num determinado momento e num contexto
totalmente inesperado.

Esta visita ao museu do meu pensamento,
são como peregrinações repletas de amor,
que me suscitam emoções que vão da serenidade,
à alegria em que me encontro, neste contentamento
que me traz à memória, a unicidade de cada momento vivido.

Estas visitas aproximam-me sempre de Deus,
nunca O vi, mas posso senti-LO e a Sua presença
é tão real e é graças a Ele, que nesta paz me conheço
e sou mais existente.

Quando afirmo que sou mais existente,
refiro-me a ser eu mesma, nesta comunhão
de entrega a entrega, de emoção em emoção
e é aí que reside a qualidade de cada emoção
por mim vivida, e tão profundamente sentida.

A emoção faz-me sempre ir mais longe,
no grande e maravilhoso mistério, que me compôe a vida,
nesta firmeza determinada de ser.

Por muito efémera que seja a emoção,
ela permite-me aproximar-me do Divino, que habita em mim
que me protege, e é quando me perco, para ouvir a voz do exterior,
que ela me trai.

O papel da emoção é levar-nos um pouco mais perto,
o mais perto possível, do amor universal.

Alice Barros
 
Peregrinações repletas de amor!

É tempo!

 
É tempo de olharmos nos olhos
de quem amamos, pedirmos desculpas
por aquilo de que nos temos alheado.

É tempo de namorarmos,e dizer um amo-te
com toda a ternura que o podermos fazer,
ou olhar nos olhos e dizer não me sobra
tempo para te amar, ando muito envolvido
com os meus afazeres.

É tempo de dizer:
Ensina-me a amar-te.

É tempo de perdoarmos, de compreendermos
de minimizar as diferenças e também
as ofensas.

É tempo de não sermos donos da verdade,
e de não nos levantarmos com manias
e exigências.

É tempo de fazer tudo com amor,tolerância
e paciência,esperando menos dos outros
e dando o melhor de nós mesmos.

É tempo de aceitarmos tudo aquilo
que não temos o poder de mudar
sem todavia nos conformarmos
com aquilo que podemos transformar.

É tempo de admitirmos as nossas fragilidades
e desvendarmos as nossas capacidades
repensarmos as nossas vidas,
fazermos um acerto e um concerto.

É tempo de reciclarmos o nosso interior
e admitirmos que não somos deuses,
estabelecer estratégias, com vigilância
para atingirmos os nossos objectivos,
plenos de sabedoria e confiança.

É tempo de repensar os nossos sonhos
reavaliá-los e lutar por eles,
sacudir a poeira das nossas emoções,
fazer das coisas simples, uma melodia
com acordes repletos de alegria.

É Tempo de reconstruirmos manhãs ensolaradas,
no cume de nós e do mundo, amando com amor,
profundo dar força aos sentidos e dar abrigo
ao amor que vem de mansinho buscar guarida.

Alice Barros
 
É tempo!

O Meu jeito de dizer que te amo!

 
O Meu jeito de dizer que te amo!!!

Olho para ti e com o olhar te enlaço
e te revelo o meu pensamento,
com as mãos te busco
e te puxo para dentro de mim,
enquanto te despes de ti,
vais- te vestindo de mim,
e é aí que se dá a fusão
sentes-me e nada mais
é importante para ti
do que decorares-me
para que eu seja
como uma melodia de amor
que ecoe sem que seja preciso
soletrar-te os acordes
da melodia que juntos
tantas vezes tocamos
em dias em que nos sintonizamos
nesta doce harmonia...
Quero que me revisites
porque em cada dia.
Enlaço-te e revejo-te em mim,
enquanto me visitas,
escutas e analisas
a minha alma
vejo-te na beleza
com que contemplas o meu ser
e aí nos tocamos
em doces carícias sentidas,
enlaçadas por sentimentos,
sublimes que nos enchem,
transbordam e nos fazem sentir únicos
nesta dádiva pela pureza que destila
e derrama dos nossos seres!

Amo-te com sentido.

Por: Alice barros
 
O Meu jeito de dizer que te amo!

Esse teu coração cobertor, cobre-me os sobressaltos!

 
Minha mãe, minha amiga, minha companheira
és a minha heroína a ti coroo rainha.

Dos teus dias fazes o meu eterno refúgio,
nos teus braços, encontro as lágrimas
que engoles e são elas que percorrem
as minhas veias, no toque deste abraço,
são nelas que me cobres e guardas a vida,
nessa oração dos teus olhos vertida.

Todo esse carinho, com que me agasalhas
esse teu coração cobertor, cobre-me
os sobressaltos, transforma as tempestades
num terno sussurrar enquanto me embalas
e dizes:
Já passou, já passou, tudo vai ficar bem!

Seguras a minha mão e sofregamente,
tocas a minha tez pálida, febril e delirante
e expulsas em nome de Jesus, todo o mal,
Desesperas, mas disfarças, a expressão
do teu rosto com um sorriso vigoroso.

Olho-te, por entre um olhar escondido,
e não te apercebes que vejo a tua dor,
que também é minha, oh minha mãe
alma minha, que te quero como nas noites
em que me embalavas.

Naquele choro entre o medo da trovoada
e a aflição do sarampo e da tosse convulsa
naquelas picadas de agulhas em que dizias:
1-2-3, já passou e batias palmas á menina
que para ti era valente, mesmo sem o ser.

Aí mãezinha, já profetizavas, que eu seria forte
nesta agonia de sofrer, a erguer-me e a vencer
sem ter feito nada por merecer neste dia a dia.

Amanhã é quase véspera do teu aniversário,
e o maior presente que te posso dar é eliminar
todos os obstáculos, voar nestes quilómetros
e dizer-te que as lágrimas que tens chorado
por não poderes estar comigo, são acolhidas.

Amo-te tanto mãe querida, amanhã será um dia
maravilhoso, em que te coroarei rainha
com as palavras que desfilam do meu coração
para o teu, neste terno querer que te envolve
Oh minha mãe, minha vida, que me és tão querida!

Amo-te tanto mãezinha!

Alice Barros
 
Esse teu coração cobertor, cobre-me os sobressaltos!

Existe um tempo...

 
Todas as coisas
se movem ciclicamente,
existe um ritmo
natural e espontâneo
tudo se move a este ritmo,
tudo segue esse curso.

Assim como está escrito:
Há um tempo certo para cada
propósito debaixo do céu...

Sábio é quem o entende
e feliz quem o aplica.

Ouço a melodia das flores
ao vento, vejo a beleza do invisível,
sinto, os puxões e encontrões que a vida
me dá, mas sei que existe um tempo
para correr e outro para descansar
tempo para rir e para chorar,
tempo para reter e tempo para deixar ir...

Alice Barros
 
 Existe um tempo...

Expectativa ou esperança?

 
A nossa expectativa
é movida pela emoção...

A nossa esperança,
já essa, mora dentro do coração
e quando a vemos em algo que escolhemos,
somos responsáveis pelas escolhas
que fazemos.

Tudo o resto,
faz parte do aprendizado.

Sofremos, aprendemos e crescemos
e mesmo que estejamos sós,
saberemos que o importante é
que amamos independentemente
de tudo o que recebemos...

Vivemos...

A nossa esperança
é um investimento que fazemos...

Alice Barros
 
 Expectativa ou esperança?

A mais bela forma de amar!

 
Era uma caixinha de cristal,
cabia dentro do peito
de tão transparente
era tão frágil e bela
tudo cabia dentro dela,
mas o que mais se agigantava
dentro, bem lá no mais profundo,
era a longanimidade
que era um grande atributo
que habitava no meu coração,
cujo trono era de Deus,
virei-a, limpei-a, olhei-a
e na beleza deste olhar
descobri a mais bela forma de amar
que jorrava do néctar
do meu e do Teu olhar,
sendo amor!

Alice Barros
 
A mais bela forma de amar!

Diálogo

 
Quando dialogamos não ousemos pensar
que o diálogo é espontâneo se este
não for sincero e singelo, com gestos
doseados, para que possamos abrir
o livro da nossa vida.

Através das nossas palavras
e expressões faciais, os outros
fazem uma leitura da nossa vida.

Quando dialogamos devemos falar
sobre aquilo que as pessoas
necessitam de ouvir e não apenas
sobre aquilo que nos dá prazer.

Dialogar é também ouvir aquilo
que os outros têm para nos dizer,
e não aquilo que queremos ouvir.

Dialogar não é falar por falar,
emitir sons e falando do que é usual
ou trivial dizer-se.

Dialogar é entregarmos-nos para que
possamos com todos os sentidos
ter consciência de que dialogar
não é conversar...

Diálogo é o aprimoramento
e aprofundamento do conhecimento
do outro, é tirar as máscaras sociais,
chorar, falar de fragilidades, derramar
as inseguranças, diluir os temores,
restaurar os traumas, confortar e edificar.

Quando aprofundarmos os nosso diálogos
veremos que o verdadeiro conhecimento
que os outros têm de nós se revela
através do nível do nosso diálogo com eles.

Dialogar em suma, é certamente sair da esfera
do egoísmo para abraçar sem heroísmo a esfera
do humanismo, doando-nos em troca da paz que sentimos
ao abraçar este compromisso sentindo
e sorrindo sendo feliz pela partilha e doação.

Alice Barros
 
Diálogo

Paz!

 
Paz!

Quando a paz nos invade
rejeitamos os invasores
todos os opressores
e caminhamos apoiados na verdade
dela somos admiradores
rejeitamos todos os temores,
porque de branco se veste a nossa vida
nesta paz que nos transcende
nesta chama que se acende
fruto da oração,
na terra da nossa consagração
fruto da intimidade
que se veste de realidade
sem adivinhação
que é fruto da confusão,
que semeia a ilusão na terra
da aflição.
Subimos ao monte sagrado
e aí a paz nos invade
nos constrange e nos reveste
com as alvas vestes de Jesus
que por nós morreu na cruz!

Alice Barros
 
Paz!