https://www.poetris.com/
 
Textos -> Desilusão : 

Credulidade

 
Tags:  nada    otários  
 
A raiva penetra bem fundo, nos olhos marejados e adocicados da credulidade. Ergo a taça vazia e
sorvo pequenos goles de nada, que me retalha o corpo queimado pelo sol escorregadio de Outubro.

Sinto o nada esguichar em silêncios lívidos, cobertos de heras macias e abandonadas no cemitério dos despojos de alguém

Há sempre um alguém, que se alimenta das farpas dissimuladas espelhadas por ai.

Contemplo no espelho caduco, o rosto daqueles que ainda acreditam, estão desanimados enfraquecidos pela evaporação das energias dispersas desorganizadas, sem pólos de ligação,

O tempo perde-se cansado de conceder o tempo requerido para corrigir a deterioração do todo.

O tu…. distancia-se desta amalgama de conjecturas proporcionais ao desejo dos eternos otários como eu.

E muitos nadas sem lógica, permanecem por ai.

Escrito a 28/09/09
 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
1130
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
5
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 28/09/2009 12:56  Atualizado: 28/09/2009 12:58
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2695
 Re: Credulidade
Liliana, um texto bem escrito que me proporcionou bons momentos de leitura


"Contemplo no espelho caduco, o rosto daqueles que ainda acreditam, estão desanimados enfraquecidos pela evaporação das energias dispersas desorganizadas, sem pólos de ligação"

Viver é acreditar que energeticamente há um fio que nos liga, embora por vezes tenha que haver um corte, mas mais à frente o retomarmos...

Gostei


Beijos


Matilde D'Ônix

Enviado por Tópico
serenasemoções
Publicado: 28/09/2009 13:04  Atualizado: 28/09/2009 13:04
Muito Participativo
Usuário desde: 25/09/2009
Localidade: Leiria»»»Portugal
Mensagens: 99
 Re: Credulidade
»»»»»»»»»»»»»COMO PODEREI««««««««««««.
quero encontrar a palavra simples mas a mais certa***.
e quero encontá-la para da melhor maneira te descrever***.
quero encontrar a palavra ponho meus sentimentos álerta***.
e quero encontá-la sem nunca te magoar ou fazer sofrer***.
quero encontar a palavra vou revirar a minha mente e alma***.
e quero encontrá-la tão somente para te passar a paz e a calma***.
com estas palavras a ti me dirijo se te dizem algo não sei***.
posso até escrever de outra forma,diz-me como poderei***.

CARLOS TAVARES

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 28/09/2009 14:05  Atualizado: 28/09/2009 14:05
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3544
 Re: Credulidade
Ótimo momento de leitura, esse!
Um descontentamento com voz e percepção agudíssima de si e dos "outros".
beijo!

Maria verde

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/09/2009 14:27  Atualizado: 28/09/2009 14:27
 Re: Credulidade
Um belo texto onde te retratas vivamente. A credulidade dos sentimentos de alguém, e os despojos de uma relação caduca e infértil. o tempo se encarregará de refazer a deterioração desse todo que são os teus sonhos.

Ergo a taça vazia por ti e por todos os ótarios como tu e como eu, a este brinde não faltou a nossa amiga Dolores.

Beijo azul

Enviado por Tópico
joseluislopes
Publicado: 28/09/2009 23:07  Atualizado: 28/09/2009 23:07
Colaborador
Usuário desde: 22/03/2009
Localidade:
Mensagens: 3351
 Re: Credulidade
Cara Amiga!
Conheço talvez muito bem esse espelho, cruel, maléfico, distorcendo a realidade de uma maneira que só ele sabe.
Depois desta introdução resta-me dizer-te que o tempo repõe tudo no seu lugar, se havia brilho antes, ele está lá e irá voltar, disso não tenhas a menor dúvida.
Apesar de triste gostei imenso desse escrever, espero que no fim tenhas partido o lápis e dormido um sono em paz.
Um beijo
JLL