Poemas : 

Extração de dente

 
Tags:  dor    insônia    febre    dentista  
 
Open in new window

Extração de dente

Dias atrás eu estava muito incomodado
Pois tinha um dente bastante infeccionado
Resolvi encontrar um profissional na lista
Liguei ao seu consultório e marquei a hora
Peguei o meu carro e quase sem demora
Cheguei ao consultório deste dentista

Olhou-me o dente e com um ar de sorrir
Disse: - Este dente eu tenho que extrair
Pois ele já está totalmente estragado
E mandou-me deitar naquela sua cadeira
Talvez em um minuto da minha bobeira
Aceite que o meu dente fosse arrancado

E com uma seringa tão grande e tosca
Pediu que eu abrisse bem a minha boca
E foi uma eterna secção de tortura
Doía tanto que eu chegava até suar
Lágrimas dos olhos peguei a derramar
Na garganta, senti gosto de amargura

Depois veio com um tipo de boticão
Antes cutucou o dente com um bastão
Torceu, puxando o infeccionado dente
Aí a dor que eu passei foi tão cruel
Que parecia estar subindo para o céu
Pior que ser atacado por uma serpente

E na hora da minha triste despedida
Achei que aquela dor foi descabida
Pensando que aí nunca mais voltaria
Pois a dor foi por demais deprimente
Foi doído como se extraía um dente
Nos tempos que não havia anestesia.

Chegando em casa a dor não parou
E o sangue a sair ainda continuou
Por mais o menos dez horas a fio
Com muita dor e uma febre danada
Eu fui dormir somente na madrugada
Ao acordar senti arrepios de frio.

jmd/Maringá, 18.04.12


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
2197
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.