https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Na Lucidez da Praia

 
Fui menino d'olhos doces,
cabelos loiros, doirados caracóis ...
Tão feliz ao colo de minha Avó
quando ouvia ... "era uma vez ..."
Tudo tão longe, tão distante
que tenho medo de esquecer!

Agora, aqui estou, ausente,
a meio duma praia tão esquecida.
Olhando o mar que nunca me pertenceu
mas que agora é meu!
A areia é a terra que me sepulta!

Em meus olhos rasos d'água
correm asas de náufrago:
estáticos, brancos,
mudos de espanto e despedida.
-Fria contemplação de mim afogado,
de mim perdido-

E aqui estou!
No abrir das ondas
lágrimas que não tinha.
No gritar dum pássaro
lábios fechados ...
e o vento ... beijo, saudade,
abandono ...

O mundo pode terminar!
Que m'importa agora?!
Sou ultima presença
nesta praia abandonada,
centro mudo de todos os planetas,
escuridão de todas as estrelas ...

Meu Amor já não é,
perdera-se entre cardos,
morrera entre nardos ...
Não mais virá!
- Só a certeza e o calor
de meu sangue tão gelado
a gritar palavras meigas,
ternuras, lembranças,
memórias levadas pelo vento -
Que náusea!

Aqui, só o mar e a lucidez da morte
permanecem,
fria-separação, dolorosa-desilusão!
Óh Senhor porque me tens tu
tão esquecido?!


Ricardo Louro

na Velha Tendinha,
no Rossio de Lisboa.



Ser Poeta é exilio
num pais de condenados
um tormento infinito
de mil olhos rejeitados!

Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
790
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Lau'Ra
Publicado: 13/10/2012 19:31  Atualizado: 13/10/2012 19:32
Muito Participativo
Usuário desde: 27/08/2010
Localidade:
Mensagens: 59
 Re: Na Lucidez da Praia
Grande poema, de essência com a qual nos podemos relacionar, de uma dor que é sua, mas que podemos sentir.

Favorito.

Abraços,

Lau'Ra.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/10/2012 22:53  Atualizado: 13/10/2012 22:53
 Re: Na Lucidez da Praia
Um canto belo saturado de tristeza e nostalgia. Parabéns, Ricardo.