Poemas : 

TAnTo DeNtRo DeLa!

 
Que cheiro bom da panela.
Sobremesas com canela.
No jardim flor amarela.
Tarde de primavera singela.
Na tela pintura tão bela.
Cravo vermelho na lapela.
Numa história a cinderela.
Santos e beatas na capela.
Guerra das estrelas, nova sequela.
No mar prateado barco à vela.
Alguém perdido numa viela.
Cão a correr sem a trela.
Arado sulcando a courela.
Alma absorta num a janela.
Revoltos os lençóis de flanela.
Corpo que leva sacudidela.
Língua que se entaramela.
Guarda que o pelácio zela.
Do todo alguém tirando parcela.
Do cinto apertando-se a fivela.
Mãos ágeis rodando a manivela.
Um rio e àrvores na ourela.
Por fim acaba-se a querela.
Prisioneiros em diminuta cela.
Cavalo com vistosa sela.
Bem vendido por bagatela.
Gente que no chão se estatela.
Rede qualquer que se desmantela.
Regimento que se aquartela.
Palavra que no cérebro martela.
Vida que nos interpela.
Elixir que cura a mazela
e, o meu amor, preso no dela!

E ABRAÇOS SIDERAIS
DA AMIGA AO INTEIRO DISPOR,
MaRiA cOtOvIa«*+*» «*+*»


 
Autor
Mariaa
Autor
 
Texto
Data
Leituras
3103
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/05/2015 00:51  Atualizado: 07/05/2015 00:51
 Re: TAnTo DeNtRo DeLa!
Amei tua poética bela, rima inteligente
com rompantes e abundantes " elas".

Uma leitura deliciosa e divertida, meus parabéns!

Bjs,

Alice

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 08/05/2015 22:27  Atualizado: 08/05/2015 22:28
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12485
 Re: TAnTo DeNtRo DeLa! P/ Mariaa
Ora de tanto ela
ate fiquei amarela,
e corri para a janela
e pior a sequela...
tropecei e caí nela
ia partindo a costela
que graça aquela...
ficar com uma mazela
tudo por causa dela!
Fui buscar uma tijela
fiz um chá de marcela
e bebi tudo por ela
pobre da minha goela
tal a queimadela.
Fiquei numa cela
e na gorge a flanela.
Mas já me pus bela,
e passeei a cadela
de seu nome, Cinderela!!
Pronto com a balela
Maria Cotovia. SEM ELA

Vólena