Poemas -> Reflexão : 

O homem de pedra

 
 
O HOMEM DE PEDRA

De um monte de pedras escurecidas,
Esverdeadas por musgos invasores,
Modelaram teu rosto,
Teu corpo,
Teu pranto;
Cresceram teus membros rígidos
Daquela pedra fria, indiferente...

Sob o peso do martelo imponderável,
Lacerando a rocha sólida,
No espaço de polir,
Fizeram-te sorrir.
Revestiram-te com a argamassa
Que recobre os poderosos.
Invadiram o âmago da pedra,
Que pulsou como coração,
Com a força telúrica da grande criação.

Colocaram-te,
No pedestal dos predestinados,
Em meio ao povo que te fez
E te amou pela mão do artista,
No desejo da perfeição.

Desapareceu um dia,
No encanto de um butim fetichista,
Misturando-se em meio à multidão.

Nunca mais foi encontrado o homem de pedra.
Confunde-se, hoje,
Ao mais comum dos mortais,
Nas praças,
Favelas,
Congressos
E catedrais.

 
Autor
Frederico Rego Jr
 
Texto
Data
Leituras
1468
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
0
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.