https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Soneto do balbuciar gemente

 


Trago na face aparente a expressão irreal,
fato crucial demonstra a teimosia patente,
do desânimo assente do esforço fenomenal,
posto casual inobstante tal esforço ingente.

Fulge brilho celestial de compaixão ardente,
céu estrelado luzente de verão setentrional,
apenas o sorriso jovial ao pôr do sol ridente,
batendo o medo latente da maldição bestial.

Triunfam vícios potentes da ironia desigual,
onerada a tradição oral a derrota é iminente,
quiçá a tendência oriente descabido o edital.

Visto como indigente, aparição providencial,
do nobre signo moral da objeção premente,
resta o balbuciar gemente não muito formal.






[ que adianta reclamar, humilde,
expulso da varanda da frente.


...




se a pena à espada
foi o signo
escolhido
sob o vendaval.





...



enfim,



...






a finalidade do fim,




e





a inevitabilidade da eternidade






















e
também




...



indistintamente ...


fraterna fraternidade.]










Será mesmo que há?









 
Autor
ReflexoContrito
 
Texto
Data
Leituras
144
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
0
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.