https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Dedos

 
Quando me fingi de planta,
santa me foste em altar,
vestindo escarlate manta
em olhos com cor de mar

Quando de pedra eu me fiz,
rígido rochedo, penha,
os dedos diziam "venha!
Comigo serás feliz."

Pueril quem crê em dedos
nevados, de longas unhas,
que chamam a si, em vão.

Não há sequer testemunhas
Dos meus mais reclusos medos:
Teus dedos dizendo.. Não!




Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
286
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
44 pontos
18
5
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
RaipoetaLonato2010
Publicado: 04/07/2017 23:51  Atualizado: 04/07/2017 23:51
Colaborador
Usuário desde: 13/03/2010
Localidade: Paulínia-SP
Mensagens: 2629
 Re: Dedos
'Não há sequer testemunhas
Dos meus mais reclusos medos:
Teus dedos dizendo.. Não!'

Um fecho magistral.


Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 05/07/2017 04:20  Atualizado: 05/07/2017 04:47
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1556
 Re: Dedos
Agora é de pedra...
O último terceto abrilhanta o soneto.
Mas gostei da ideia.
Nada é perfeito. Aquilo que nos traz alegria também pode magoar.
Até os dedos.
Poema digital...

Abraço irmão.


Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 05/07/2017 04:28  Atualizado: 05/07/2017 04:28
Luso de Ouro
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5279
 Re: Dedos
este me cativou!

... sem mais,


Bjo


Enviado por Tópico
F.Serra.Pintor
Publicado: 05/07/2017 10:28  Atualizado: 05/07/2017 10:28
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2016
Localidade:
Mensagens: 1112
 Re: Dedos
Gyl um lindo soneto bem construido, destaco talvez um resumo se mo permite:

"santa me foste em altar,
os dedos diziam "venha!
rígido rochedo, penha,
Pueril quem crê em dedos
Que chamam a si, em vão.
Dos meus mais reclusos medos:
Teus dedos dizendo.. Não!"

Abraços
F.Serra


Enviado por Tópico
Lucineide
Publicado: 05/07/2017 13:32  Atualizado: 05/07/2017 13:32
Colaborador
Usuário desde: 06/12/2015
Localidade:
Mensagens: 1251
 Re: Dedos
Dedos nem sempre dizem o que gostariam de dizer. Tenho medo da reprovação ou da aprovação dos dedos. Mas esses que escrevem aprovam muito bem a poesia que saiu de teus dedos. É sempre bom ler suas poesias. Abraços poéticos!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/07/2017 13:35  Atualizado: 05/07/2017 13:35
 Re: Dedos
Oi

Ah! Os dedos, os meus andam congelados... rsrs

Porém a poesia descongela por aquecer o coração com emoções...


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 05/07/2017 14:35  Atualizado: 05/07/2017 14:35
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Dedos/ PARA GYL
Tão simples são os dedos, e tão empoderados de silêncio e de decisão, ao aceno de "sim" e de "não".

Como aprecio essa ponte incrível que você faz entre o gesto e o ato , entre o pensar e o agir, entre o olhar e o sonhar.

Genialidade poética!

Te amo de paixão, Gyl, aplausos!


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 10/07/2017 12:05  Atualizado: 10/07/2017 12:05
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29062
 Re: Dedos
Os dedos cutucam coisas, muitas vezes faz o ser delirar


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 13/08/2017 21:50  Atualizado: 11/02/2019 11:27
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12278
 Re: Dedos P/Gyl
Um poema fabuloso, genial, só de mestre! Abraço Vólena
*****


Os dedos são cinco
em cada pé, cada mão
têm cá um feitiozinho?…
se uns dizem logo, sim
outros dizem logo, não.
E é a isto que eu chamo
espírito de contradição.