https://www.poetris.com/
Poemas -> Reflexão : 

Déjà vu

 
Tags:  vida    solidão    tristeza    rimas  
 
Déjà vu
 
Às vezes eu minto, às vezes eu choro
Às vezes eu rio, às vezes sinto ódio
Isso é normal, não sou especial
O meu mundo é igual, puro caos
Ando de mãos dadas com o mal,
Ando de mãos dadas com o baixo astral
Eu perdi os meus sentimentos,
Eu perdi os meus bons momentos
Tudo o que restou levo como passatempos
Cada dia me vejo mais sonolento,
Cada dia me afundo mais no tormento.

Em poucas ocasiões eu me apaixono
Em certas estações, fico no abandono
Acabo desmoronando, mas me recupero
E quando me vejo no espelho, estou como antes.

Tem vezes que não quero levantar
Tem vezes que o pesadelo me faz acordar
Sonhos? Sim, às vezes
Em grande parte, eu apenas escuto o meu choro
Nada mais importa, com tanto que eu me sinta feliz,
Ao menos uma vez, antes que a minha tristeza me sucumba
Não há cura, a vida é curta, então tento curti-la
Talvez eu não esteja aqui no ano que vem, talvez sim
Só quero que haja fim as minhas súplicas
Que eu encontre uma fuga dessa atormentada luta
O campo de batalha em minha mente está em cinzas,
Espero que a felicidade se torne minha linda vizinha.

 
Autor
AteopPensador
 
Texto
Data
Leituras
123
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.