https://www.poetris.com/
Poemas : 

Las ganas

 
Como as teclas baralhadas de um teclado
Em dia de festa da taça
Relembro-me de certos momentos do passado
A que tudo e a nada achava-mos graça

Mas ás vezes pareço um demónio subido dos infernos
Uma espécie de divindade maldita
Em que todos os abismos internos
Se mortificam nesta forma de escrita

Achava eu que conhecia todos os abismos da dor
E que neles encontrava o meu abrigo
Não conhecia eu o amor
Que só dói se não o tenho comigo

5 mais vinte é a minha real idade
Umas vezes de mim eu fiz segredo
Em outras me fiz rancor e maldade
Em breve serão 6 mais vinte, até tenho medo

Ás vezes demasiadamente me amedrontei
Com medo da minha hora de "morrer"
Morri no dia em que me apaixonei
E morto de amor começei a viver




MINHA POESIA MALDITA...
VEM DE MINHA ESCURIDÃO
E MINHA POESIA LUMINOSA
DE MINHA FONTE DE INSPIRAÇÃO

Peace & love
FidesinOculisMeis 2019®

 
Autor
FidesinOculisMeis
 
Texto
Data
Leituras
58
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.