https://www.poetris.com/
Poemas : 

Poesia sem graça

 
Poesia sem graça

Quieto na sala de estar,
O tempo sabia de tudo .
Olhava sem questionar,
Trabalhava sempre mudo.

Morava em sua companhia ,
Um passarinho maluco ,
Que pulando se exibia,
Chamava sempre por Cuco .

Cuco nunca aparecia,
Naquela sala de estar.
Ou ele não existia,
Ou mudara de lugar.

Ao tempo pouco importava ,
Alguma lamentação,
Daquele que se atrasava,
Perdendo sua condução.

Pois como bom comandante,
Mandava sempre recado
Por seu pássaro ajudante,
Muito bem disciplinado .

Do tempo, não tenho ranço.
Pois não tem culpa de nada .
Do passarinho e seu avanço
Tenho saudade danada.

Lu


A poesia corre em meu sangue
Como a água corre no rio
Sem ela sou metade de mim
Meu nome é fruto de poesia.





 
Autor
Lucineide
 
Texto
Data
Leituras
87
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.