Poemas : 

Poesia não mata a fome...

 
O poeta vive com a cabeça nas nuvens
Num mundo mais imaginário do que real,
Pois a realidade que existe é mortificante
E o poeta quer existir no que pode ser criado!
O poeta quer viver da sua poesia,
Porém ela não mata a fome!
D'alma sim, do corpo não...
Centenas de poetas só foram reconhecidos
Após suas mortes miseráveis...
Alguns tornaram-se gênios imortais,
Mas milhares de poetas marginais
Arrastaram suas vidas em trabalhos inglórios,
Porque a poesia não mata a fome
E a fome do corpo dói, corrói e destrói a alma...
Busco um trabalho para sentir que realizo e produzo algo que é palpável...
A poesia é uma fumaça de palavras feito algodão doce
Que consigo tocar e orquestrar em versos para que me leias...
Mas tú? Consegues tocar?
Mata a fome da tu' alma,
Não mata a fome do meu corpo!
Poesia não mata a fome...
E eu como todo dia, verso por verso, palavra por palavra, estrofe por estrofe
E cago ritmo, melodia e rima todo dia...
Quer comer também?
Poesia é comida que não sacia!
Tu comes e nunca mais deixas de comer...

Brendda Neves


'A vida é bela'

 
Autor
Brendda Neves
 
Texto
Data
Leituras
604
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/07/2021 20:39  Atualizado: 01/07/2021 20:41
 Re: Poesia não mata a fome...
Gostei, que dúvida cruel, a realidade quer sair mas o coração não deixa ir.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/11/2023 17:47  Atualizado: 10/11/2023 19:40
 Re: Poesia não mata a fome...
https://www.editorafolheando.com.br/pd ... -no-diva.html?ct=&p=1&s=1


"Poeta no divã", de Brendda Neves, é um livro-retrato de uma poesia em movimento. Uma obra lírica, insatisfeita com o estado permanente das coisas, da língua e da vida, sobretudo com os eus de sua autora. "Poeta no divã", vai além de uma obra ficcional, é um relato inconformado e autêntico de como a poesia nos ajuda a enxergar a vida.