https://www.poetris.com/
Poemas : 

Rio e ribeirinho

 
Tags:  poema    reflexão  
 
Rio avenida!
A todos desafia
para jornada sem fim,
por igarapés e afins!
Barco, baleeira, voadeira...

Rio moradia!
A vida acorda, tardia,
apoiada em estacas,
em redes esticadas!
Casa, flutuante, palafitas...

Rio mercadoria!
Na margem, no mercado
tem erva, peixe no atacado
e fruta nativa que convida!
Porto, trocas, correria...

Rio harmonia!
Cheia e vazante, todo dia,
conversam com a mata.
A enchente dá a vida,
mas, também, alaga e mata!

Cumprindo acordo fluvial
convivem rio e ribeirinho,
acreditando ser tudo normal
onde o rio é o vital caminho
de seu cotidiano natural.

 
Autor
Helio.Valim
 
Texto
Data
Leituras
124
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ZESILVEIRADOBRASIL
Publicado: 27/07/2021 19:04  Atualizado: 27/07/2021 19:04
Membro de honra
Usuário desde: 22/11/2018
Localidade: RIO - Brasil
Mensagens: 753
 Re: Rio e ribeirinho
...o poema me proporcionou recordar duma breve estadia que fiz em Santarém (faz tempo)...vi da praça da colina o encontro das águas do Tabajós com o Amazonas.

"Rio harmonia!
Cheia e vazante, todo dia,
conversam com a mata.
A enchente dá a vida,
mas, também, alaga e mata!"


Aqui transcreveste com propriedade o que ouvi dalguns citadinos ribeirinhos dizerem sem alardes. Gostei!
Um abraço caRIOca!