https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Minimalistas : 

... e eu

 



és um rio
que passa
e deixa em mim
destroços e saudade

e eu...
sou aquela margem
sem saber
o que fazer
com tantas lembranças






 
Autor
MarySSantos
 
Texto
Data
Leituras
507
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
28 pontos
8
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 03/02/2022 16:47  Atualizado: 07/02/2022 04:43
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 2116
 Re: ... e eu
Acho muito bem feita a construção do poema, com duas estrofes que fazem a definição de suas personagens: o sujeito poético, na forma do "... e eu..." que dá o título e um tu, uma personagem secundária com relevo de personagem principal.

A metáfora do rio, como definição do ser humano é um clássico relativamente pouco difundido.
Assim como a vida, ele nasce na fonte, tem um curso com um leito e detritos, e tem uma foz que pode ser o mar, na maioria das vezes, mas pode ser um lago, ou outro rio. Cabeça, tronco e membros. E como o Homem, ele é passageiro, como diz o segundo verso tão bem.
Os dois últimos versos da primeira estrofe começam a estabelecer a relação com o sujeito poético, e há nos "...destroços..." alguma aspereza e desagrado. Ou apenas a referência a algo transformador para o sujeito poético, sendo que o "...em mim...", com que essa estrofe termina, duma relação de intimidade, aparentemente, bastante profunda, em que a "...saudade..." é impossível de ignorar.

Mas a segunda estrofe, que identifica o sujeito poético, tem o encanto de o definir como parte do rio (um: eu sou uma parte de ti).
Mas estranhamente, como todos os rios têm duas margens, ao definir-se como uma das margens, põe-se o leitor em suspenso pensando em quem, ou o que, será a outra "...margem...".
E os "...destroços..." voltam a estar em cima da mesa.

As "...saudades..." da primeira e as "...lembranças..." na segunda estrofe trazem uma complementaridade assinalável e dimensionam um poema de dor para um nível maior.

Obrigado pela leitura

abraço


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 03/02/2022 22:27  Atualizado: 21/09/2022 16:10
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29909
 Re: ... e eu
Um leito a procura de suas águas onde trai de si, amantes sentimentos


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/02/2022 22:28  Atualizado: 06/02/2022 22:28
 Re: ... e eu
*esse teu "...e eu" é tão eu!
Vesti-me desses versos e percebo que sinto-me, tantas vezes, assim.
Amo tua poética
Admiro-te muito
Beijoka*


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 21/09/2022 13:15  Atualizado: 21/09/2022 16:09
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29909
 Re: ... e eu
Um algo tocado por lenbramças, que vem dos teus olhos, tendo de mim a percepção que te amo loucamente de corpo alma e coração e mente, tudo por ti eu me resplandece, quero fazer amor com você

martisns