Poemas : 

O que não sou, sou

 
Não olho por onde ando
nem sei separar o ali
do quando;

às vezes, calo-me com um grito

e quedo
agito.

Amiúde não digo, não ouço, não creio,
não penso
nem sei de mim imenso,
ou então
não.

Não sou para definir
nem paro de ir.

O que renego
é
também parte do meu ego.


Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra, não respondo.

 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
267
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alemtagus
Publicado: 24/12/2023 10:25  Atualizado: 24/12/2023 10:25
Membro de honra
Usuário desde: 24/12/2006
Localidade: Montemor-o-Novo
Mensagens: 3148
 Re: O que não sou, sou p/ Rogério Beça
Que pedaço de gente tiraste aqui a toda a gente, no íntimo somos uma desconfiança de nós próprios ou uma certeza disfarçada de dúvida que provoca outros a irem em busca do que realmente é, em nós.

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 17/05/2024 22:34  Atualizado: 17/05/2024 22:34
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18319
 Re: O que não sou, sou
Os seus fins sempre me contagiam. Esses versos nos atravessam por inteiro. Abençoada caneta. Bjs