Sonetos : 

NO HOJE-AGORA

 
Tags:  SONETOS 2024  
 
NO HOJE-AGORA

Importante é o que está acontecendo,
Enquanto tenho o corpo em movimento.
Pôr no tempo presente o pensamento,
Mesmo sem haver nada de estupendo.

Tudo deve passar n'algum momento,
Sob pena de sentir-se apodrecendo.
Só costuma não crer no que está vendo
Quem se ignora desde o nascimento…

É preciso deixar o que passou
Para não se apegar ao que ficou
Ou mesmo s’exilar em velhas ilhas.

No hoje-agora — não ontem ou amanhã,
Eu viva a minha vida tendo o afã
De encontrar no caminho maravilhas!

Betim - 22 05 2024


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
281
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
17 pontos
3
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 24/05/2024 11:16  Atualizado: 24/05/2024 11:16
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3674
 Re: NO HOJE-AGORA / RicardoC
olá Ricardo

se é certo que não podemos renegar do passado que somos feitos, as estações por onde passamos, algumas delas até saímos para apanhar o comboio na estação mais lá à frente. é importante viver o presente, tal como é importante mudar de estação,( as tais ilhas, como dizes no teu soneto), dançar com elas para não se ficar num inverno permanente.

atenciosamente
HC

Enviado por Tópico
Beatrix
Publicado: 24/05/2024 12:07  Atualizado: 24/05/2024 12:07
Super Participativo
Usuário desde: 23/05/2024
Localidade:
Mensagens: 101
 Re: NO HOJE-AGORA / RicardoC
Olá.

Perfeito: hoje-agora - não ontem ou amanhã

Parece bastante simples, mas não é. Antes uma sensação de que o passado estará sempre ali para nos assombrar e que o futuro é de tão grande incerteza que nos dá medo.

Isso - passado, presente e futuro - é o relógio de cuco a mostrar cada segundo que passa, passou, passará, já passou, vai passar. Ou seja, a dada altura parece que os três momentos são apenas um. Será?

Parabéns pelo soneto perfeito e pela técnica tão precisa, bem como pelo tema. Muito pertinente. Daria horas de conversa.

Obrigada, Ricardo.

Beatrix