https://www.poetris.com/
 
Mensagens : 

Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...

 
Perdoem-me…


A todos os que me amaram…

Peço desculpa pelo que irei em breve fazer. Não sei quando, nem se calhar o porquê… Talvez porque cresci… ou porque abri o olhos como sempre me disseram para fazer…
Espero que se lembrem de mim com o sorriso que nunca tive…
Peço-lhes desculpa, também, por mais uma partida nas vossas vidas. Peço desculpa por alguma vez, ou agora ter magoado alguns de vós; nunca foi por mal…sempre fui, e serei, uma eterna criança triste…
Desde a morte do meu pai, que tudo na minha cabeça se tem afundado num mar negro e imaginário, em que sou grande, como nunca fui ou serei na vida… Desde essa tragédia, minha e da minha família, que eu disse ser forte! Mas sou fraco, demasiado fraco! Escondi as lágrimas, para os que amo não sofressem… perdoem-me por isso os olhos secaram e essas mesmas lágrimas não libertas refugiaram-se naquilo que vulgarmente chamamos de alma, mas que é mais uma parte deste nosso cérebro…
Ai tudo começou o silêncio (que agora faz eco em mim), e com esse perturbador silêncio, veio a escrita… Mundo só meu, onde ninguém entra… Eu devia ter pedido ajuda, mas nunca o fiz! Arrependo-me profundamente, desse meu tolo erro, mais um entre tantos, que diariamente me consomem. Peço desculpa àqueles que me deram o ombro para chorar, que eu não acedi…
Voltando ao meu mundo; foi esse que me acolheu, em falsas promessas de uma duradoura felicidade… E foi nele que me fui mergulhando…mergulhando…mergulhando…até não saber mais voltar…
E agora que não sair, sufoco em mim! Desculpem ter mergulhado e não saber voltar…
Desculpem por ser fraco! Por ser tolo! Por não aguentar! Por talvez vos ter feito sofrer… Desculpem, nunca foi minha intenção…

À Daniela! Sempre amarei, e devo um particular pedido de desculpas, desculpa por amar-te! Desculpa… Nunca o quis, mas infelizmente, aconteceu… Vi nela uma hipótese de fugir, de escapar do meu mundo!... Sempre recusei amá-la! Mas é inevitável, tão meiga, o meu pai adorou-a!
E eu amo-a, Desculpa fazer-te sofrer, e amar-te mais em segredo, do aquilo que gritava ao mundo!
Mãe; por ir destruir tudo aquilo que foi um dia, apesar da perda do seu companheiro… vi-a sorrir, e é disso que me lembrarei quando estiver sabe-se lá onde…
Desculpe Pai; por ir mais cedo do que devia e pelas coisas que devia ter dito e não disse
Aos Irmãos; tenham a força que nunca tive!
Ao resto da Família; desculpem-me e aproveitem todos os momentos uns com os outros…
Aos amigos; os verdadeiros, e os que conviveram comigo, ou que eu não achei verdadeiros…
Obrigado a todos!
Mas isto é inevitável…

Lembrem-se de mim com um sorriso, que poucas vezes foi verdadeiro…
Quando se lembrarem de mim… Pensem que estou a voar, como sempre o fiz…

“Enquanto criança, nunca imaginei o meu futuro…”

“Que a morte traga, a felicidade que nunca tive em vida!...”

Desculpem…

Por: Tiago Filipe Jesus Silva Freitas… 02/12/08
 
Autor
Blackbird
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1186
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
10
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 02/12/2008 20:23  Atualizado: 02/12/2008 20:50
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12125
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Esta carta perturbou...contem uma mensagem de despedida, espero que não seja real.
A morte não trará felicidade ela só se alcança em vida e por muito que pareca que não vai aparecer, ela virá...vou ficar aqui a pedir pela sua felicidade.
Estarei disponivel para o que precisar.
Beijos

Enviado por Tópico
rosamaria
Publicado: 02/12/2008 20:48  Atualizado: 02/12/2008 20:48
Colaborador
Usuário desde: 10/09/2006
Localidade: Mindelo - Vila do Conde
Mensagens: 1016
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Tiago
Esta carta deixou-me inquieta, sinceramente. Sei que não o conheço, sei que não me conhece (pertenço ao Luso-Poemas à muito tempo), mas queria dizer-lhe que se sente tudo aquilo que aqui escreveu, não tem que pedir desculpas a ninguém. E sabe porquê? Porque tem uma vida inteira à sua frente para viver e ser feliz. Há momentos na nossa vida que nos parecem muito cinzentos... mas acredite Tiago, eu que já palmilhei muitos anos sei dizer-lhe que a vida tem muitos momentos lindos que merecem ser saboreados.
Desculpe de fui inconveniente, mas ofereço-me para qualquer coisa que precise, uma palavra, ouvir apenas...
Quero acreditar, que esta carta e apenas a expressão de uma ficção literária.
aceite com ternura um beijinho
Rosamaria

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 02/12/2008 20:56  Atualizado: 02/12/2008 20:56
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Abri esta página, guiada por uma intuição qualquer já que habitualmente não o leio.
E não quero acreditar no que acabo de ler.
Fiquei num desassossego horrível depois de o ler. Espero que esta carta seja de facto ficção, que o que deixa nas entrelinhas não seja de forma alguma verdade.
Sei que não me conhece. Sou apenas alguém que escreve e que gosta de falar de emoções. Então... é com essa mesma emoção que lhe digo que a VIDA VALE sempre a pena ser vivida, independentemente dos dissabores e das malditas partidas que ela nos vai pregando.
Os pássaros negros, azuis, brancos ou amarelos, nasceram para voar. E é um voo para a vida que eu lhe peço que faça, fervorosamente.
Estarei aqui se precisar de uma palavra amiga, de uma amiga. Sempre! Beijinhos
Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 02/12/2008 21:09  Atualizado: 02/12/2008 21:09
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8368
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Olha Tiago, vou dizer-te uma coisa, acabei de ler o teu poema FELICIDADE depois de ter lido este texto; pois considero o FELICIDADE uma grande lição, simples de aprender, mas grande, a melhor das lições a dar ou a receber. E tu, dizes que te vais? Deixas-nos aqui desamparados? Nós que te lemos, que te comentamos, que te estamos a oferecer nossas mãos? Não nos largues, porque nos deixarás cair! Precisamos de ti. Muito! O que escreves é muito importante! Muito mesmo! Não o diria se não tivesse lido tudo o que escreveste e não tivesse entendido a tua alma...Olha, um abraço daqueles que recomendaste, para ti, muito apertadinho.
Conceição

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/12/2008 21:16  Atualizado: 02/12/2008 21:16
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Olá, Blakbird.

Não o conheço, não porque quis não o conhecer, nossos caminhos simplesmente não se cruzaram.
Não sei sua idade, mas não deve ser velho. Todos nós passamos por momentos que parecem intransponíveis. E se alimentarmos as desgraças, elas crescem, e assumem o sol, a lua, as estrelas,
a felicidade, o amor.Mas se alimeantarmos a vida de coisas boas, verá que a luz existe, as sombras, não. Procure estender a mão aos que precisam de você, verá quantas pessoas têm problemas na vida. Não é só você. Afaste o olhar da terra e olhe para cima, talvez encontre a sua luz.

Um forte abraço meu amigo.

Ulysses

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/12/2008 21:17  Atualizado: 02/12/2008 21:20
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Tiago.
Li esta sua carta, homónima, e não fui capaz de deixar de pensar em todas as vezes em que me suicidei.
Vou contar-lhe a primeira vez.
Estudava em Coimbra, tinha umas 18 ou 19 translações( esta expressão pertence ao poeta Laureans) no papo. E havia noites em que tinha igual número de cervejas.
Escrevia poemas desde tenra adolescência. E parecia que o mundo só existia porque eu escrevia.
Verdade.
Eu pensava que era uma espécie de Mário de Sá Carneiro reincarnado no Jim Morrison...
Um dia apanhei uma piela daquelas. Queria que o mundo acabasse.
Não era uma borracheira por diversão sabe? Era mesmo para vomitar as tripas.
Queimei na porta da república de estudantes onde vivia toda a minha criação poética (pouca coisa...),e só não ardi também porque não tombei na fogueira, encostei-me às escadas.
Fui descoberto irregelado umas horas depois pelos meus colegas. Assim que vomitei as tripas e me aqueceram com cobertores, acabei a noite a gritar na janela do meu quarto que havia nascido um homem novo.
Acordei a vizinhança toda e foi um sururu que meteu policia e tudo.
E não é que no dia seguinte, com uma ressaca tamanha do camião do lixo, tinha mesmo nascido um homem novo?
Sabe quantos vezes já me suicidei depois disso, com alcool ou sem ele?
Nem eu.
Renasci de todas as vezes.
Há sempre um novo amanhã, que é quase sempre hoje. Agora.
Li o seu texto, e sorri de pensar no homem novo que o escreveu.
Não sei porquê, mas teimo em pensar assim.

Enviado por Tópico
De Moura
Publicado: 03/12/2008 22:58  Atualizado: 03/12/2008 23:01
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2007
Localidade: USA / NJ
Mensagens: 752
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
CARAMBA TIAGO!!!

Eu nem dei conta desta carta, Meu Deus. Que loucura que tontice a tua... já te disse tantas vezes que a vida não é fácil para ninguém, todos nós sofremos duma maneira oude outra... e tu Tiago percisas de ajuda, estás muito metido na tua tristeza...
Que bom que não o fizes-te, já pressentia que algo não andava bem,pois fujiste...e nada mais disses-te...já te disse e acho que fui sincera o suficiente para poderes confiar em mim, sempre te disse que podes dizer-me qualquer coisa. Pois te compreendo e muito, bem. Não é fácil viver neste mundo podre, mas cabe a nós fazermos dele um lar, e vivermos na melhor maneira possivél, com a familia e amigos.

Ai Tiago!!! Que angústia menino que voa mais alto, nas nuvens, vem um pouco para baixo para te podermos tocar, com nossa amizade, e nosso amor. Abre o teu coração a todos, Sê TU!!! Tu és lindo, tens um coração nobre e simples.

Um beijo, meu querido amiguito, Welcome Back, but Please don´t go away again...you need help...You Know I m always here for you.

Esta carta somehow foi a tua salvação, o teu desabafar, o que te destruia a alma...

Cina

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 03/12/2008 23:17  Atualizado: 03/12/2008 23:19
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Blackbird,

Há momentos em nossa vida que tudo parece querer desabar, principalmente enquanto somos jovens.
Pensamos que a vida é uma coisa e na sua sequência de percurso tudo nos surge (ou quase tudo) de maneira diferente. Muitas vezes nos dá vontade de desaparecer.
Julgo que você seja um jovem...a perda de um pai, nesse sentido, é uma situação inexplicável para nós. A minha mulher perdeu o seu pai (com o qual tinha uma empatia, para além do significado de ser pai, muito grande), quando ainda tinha 18 anos. Foi o fim do mundo, foi o querer abandonar tudo, foi o recorrer a medicamentos para o póprio estado psíquico, e para poder conseguir dormir. Ainda hoje, e já lá vão 30 e tal anos este assunto mexe muito com ela.
A vida é feita destes contrastes, mas todos estes contratempos (para desanuviar um pouco), sucedem-se para nos irmos examinando, para irmos compreendendo o que é a vida. Alguém o deve estar a observar, e querendo que (apesar de tudo) esboce um sorriso e parta para a luta. Novos problemas irá enfrentar na sua vida, mas, certamente, também lhe hão-de surgir coisas bonitas (as tão proclamadas vitórias), as suas pequenas (para si grandes) passagens de novas fasquias. É a vida.
Medite. Pense no que lhe é querido. E pelo menos pelo seu pai, siga em frente...ele iria (irá, esteja onde estiver) gostar de vê-lo ultrapassar todos os obstáculos.

Um forte abraço.

P.S.-Se precisar de algo, uma simples palavra... estarei ao dispôr.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/12/2008 14:03  Atualizado: 04/12/2008 14:05
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
Tiago,
Não posso dizer que sinto a tua dor, somos humanos e cada um sente-a de modo diferente.
Quem me dera poder dar-te mão e dizer-te:
- Não é a vida que está errada, embora os muros que por vezes surgem são complicados demais para os derrubarmos.
Sei do que falas nesta tua despedida dolorosa, a primeira vez que tentei o suicídio, ainda muito jovem pensei que não fazia falta a ninguém, nem sequer dei valor ao sofrimento que provoquei em todos aqueles que me amam, principalmente ao sofrimento desesperado da minha mãe, que quase nem dormia só para me aconchegar a ela com todo o seu amor.
Depois vieram outras tentativas e ainda bem que foram falhadas mesmo já estando muito próxima da morte.
Não é a vida que está errada, somos nós. Não foi fácil lutar contra o silêncio e as palavras que não queremos ouvir. Não é fácil lutarmos contra este dilema.
Hoje sei que foi um acto de cobardia mesmo sabendo que muitas vezes somos chamados e tratados de loucos mas na hora do desespero só sabe quem passa por elas.
Estou a expor uma parte triste da minha vida sem qualquer complexo.
Quero que sintas que o mais importante é levantar a mão e pedir ajuda, não é fácil mas não existe nada mais belo que a vida, abro-te a minha mão para o que precisares.
E quando tudo passar, vais ver o amor pode tudo…
O mais importante é pedir ajuda e depois aprender a caminhar de novo mas sempre olhar para o horizonte da vida de cada um de nós.

Beijinho enorme
Não te esqueças que todos precisamos de ti
Conta comigo, força…estou aqui.

ConceiçãoB

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 04/12/2008 14:27  Atualizado: 04/12/2008 14:33
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3489
 Re: Adeus Luso Obrigado! E Desculpem-me...
deves ser bem jovem, poeta!
eu já pensei assim. Já pedi perdão assim.
já pedi socorro assim...

já quis partir pelo menos umas 5 vezes.
Talvez a pior delas e com maior(in)certezas foi quando perdi uma prima amada, que com apenas 15 anos se foi em um trágico acidente, um tio em consequência do alcoolismo, minha avó, que se foi de depressão pela morte desse tio, que era seu filho e meu amado pai em um acidente também. Isso em um espaço de três anos, apenas...

Eu quis partir quando os meus erros ficaram maiores que meus acertos.
Eu quis partir porque outros partiram.
Eu quis partir porque partiram meu coração.
eu quis partir quando não olhava mais para o meu semelhante e fiquei egoísta, navegando em mar alto... sozinha.

Tudo passa...

Por isso, por tantos exemplos aqui expostos, e maravilhosos depoimentos e palavras de alento de poetas queridos e amigos teus, seja feliz apenas! e queira tempo...

beijinho no coração.

Maria Verde