https://www.poetris.com/
 
 
PERDAO

QUISERA EU SER TUDO DO NADA,


DA BRISA O FRESCOR QUE AMAINA,


A VOZ INCAUTA QUE AO PEITO CALA,


NUMA DOR DE ALMA TAMANHA.





QUISERA EU SER DO NADA O TUDO,


A TEMPESTADE QUE VARRE O BRIO,



DEMENTE NESTE MUNDO CONFUSO,


COMO ÀGUA QUE DESCE O RIO,.





SOU APENAS O FINITO RISO..


O SOPRO DA NOITE QUE CHORO.


.

LAGRIMA QUE A FACE DESLIZO.



ESTE PERDAO QUE ATI IMPLORO.


POUCO SEI DA ARTE DA ESCRITA POREM DO NADA QUE LEIO DO MUITO QUE VEJO E DAQUILO QUE NAO ENTENDO SOMENTE APRECIO A UNICA CERTEZA AMO POESIA

 
Autor
daywyston
Autor
 
Texto
Data
Leituras
375
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.