https://www.poetris.com/
 
Acrósticos : 

O pró e o contra

 
Parti de um ponto para o outro ponto
e no entanto fiquei tonto, não me prontificando
a ficar pronto em um minuto, sem no entanto
está dando espanto, pra quem precisa, que me inferniza,
qualificando de conto o que me refiro

Apresentando- me sem ter encanto,
eu desconto no santo o que já perdi.
O preferível não me diz tanto,
mas no entanto eu nada previ..

Vingança descarta qualquer aproximação,
o verbo é conjugado na voz da negação,
o pró, no entanto tingiu o mundo e feriu o meu canto
e trouxe a tona o que tentou me atingir.

Em golpe a golpe
numa feroz projeção, suja-me todo sem nenhuma piedade,
sepultando o morto que deixa a castidade ao desprezo de toda a cristandade..

Ho! Infiel de onde vem para onde vai
vã consciência que hora me invade /
e tenta me frustar em toda minha competência
a minha existência me pede e se despede de toda truculência
que me lança ao descuido sem nenhuma reverencia.

A minha demência explode
e me sacode em um acorde dentro do meu sonho
e não há como negar, mas me imponho,
sem nunca poder reclamar..

o mundo gira, o que tem de bom cansa,
a galera avança, e reclama e proclama
uma nova revista, sádica, revisionista, produto
de um ensaio geral, que serve para qualquer mal,
sem nunca poder ser totalmente lida. A imagem é perseguida
e o santo não SABEMOS QUEM FOI.



Chicão de Bodocongó foi a melhor maneira de homenagear o bairro que moro a trinta anos na cidade de Campina Grande ( Bodocongó ), Paraíba. O meu nome é Francisco de Assis que é acompanhado pelo sobrenome Cunha Metri e faz pouco dias que venho publican...

 
Autor
ChicãodeBodocongó
 
Texto
Data
Leituras
429
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.