https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

“O que ficou do “alheio” - Soneto

 
Tags:  amor    desejo    alma    prazer    versos    noites    vicio    engano  
 
“O que ficou do “alheio” - Soneto
 
“O que ficou do “alheio”

Não posso acreditar que caí nesse engano
No teor expressivo que nos versos empregas
Se fui apenas teu vicio... Teu desejo insano
Fui passional e inteira nas minhas entregas

Se teu cansaço, minhas águas não curaram
Se perdida de amor, só consegui ver miragem
Se apenas o prazer do meu corpo te ataram
Então na varanda não haverá mais aragem...

Dos teus veículos desço, mesmo em movimento
Nem vou na alma reter nenhum sentimento
Mas neste ardiloso jogo, não serei arrebatada

A varanda que um dia foi de sonhos, permeio
Servirá só de abrigo, pras sobras do “alheio”
Tuas noites pra sempre, de solidão fadada.

Glória Salles

Open in new window


Glória Salles

 
Autor
GlóriaSalles
 
Texto
Data
Leituras
1041
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
29 pontos
21
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 19/01/2009 21:30  Atualizado: 19/01/2009 21:30
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12081
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
E fica a solidão resta a poesia muito bela como esta.

Beijos


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/01/2009 21:31  Atualizado: 19/01/2009 21:31
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Glorinha,
Retornas com um poema metafórico e com excelentes imagens poéticas.Gostei muito!
Bjins, Betha.


Enviado por Tópico
quidam
Publicado: 19/01/2009 21:31  Atualizado: 19/01/2009 21:31
Colaborador
Usuário desde: 29/12/2006
Localidade: PORTIMÃO
Mensagens: 1438
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Eu leio muito a Ledalge, tornou-se uma das primeiras amigas aqui no site, mas ela agora tem escrito pouco (anda muito ocupada e feliz com seu amor) e a Glória, não a substitui, mas completa-a... São duas das melhores poetisas em sonetos que tive oportunidade de conhecer por aqui

Jinho




Enviado por Tópico
mim
Publicado: 19/01/2009 21:37  Atualizado: 19/01/2009 21:37
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2008
Localidade:
Mensagens: 2858
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Já tinha saudades de ler os seus poemas sempre transmitindo tantas emoções...

Beijos doces


Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 19/01/2009 21:55  Atualizado: 19/01/2009 21:55
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3544
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
lindo poema onde destaco estes versos:

"Não posso acreditar que caí nesse engano
No teor expressivo que nos versos empregas
Se fui apenas teu vicio... Teu desejo insano
Fui passional e inteira nas minhas entregas"

as vezes é assim...
beijo


Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 19/01/2009 23:07  Atualizado: 19/01/2009 23:07
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Aqui temos a Glória, novamente, na sua sublime essência poética.

Lindo soneto.

Beijinho


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/01/2009 23:40  Atualizado: 19/01/2009 23:40
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Fico feliz com o teu regresso!
A rosa vermelha faltava no colorido dos comentários!

Beojos com carinho


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/01/2009 01:20  Atualizado: 21/01/2009 01:20
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Querida Gloria! Estive afastada deste site. Estou de regresso e a melhor noticia me foi dada! Estou feliz! E mais feliz ainda pela leitura deste magnifico soneto!
Maravilhoso, cheio de imagens e metáforas belas.

Beijo azul...Sempre!


Enviado por Tópico
Fhatima
Publicado: 21/01/2009 01:21  Atualizado: 21/01/2009 01:22
Colaborador
Usuário desde: 12/02/2008
Localidade: Joinville - SC
Mensagens: 3386
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Glória,

Soneto intenso, de uma amor mágico e belo, me detenho:
A varanda que um dia foi de sonhos, permeio
servirá só de abrigo, para sobras do "alheio"
Tuas noites pra sempre, de solidão dadada.

Parabéns poetisa.

Fhatima


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/01/2009 18:14  Atualizado: 21/01/2009 18:14
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
amo sonetos, este por falar de uma certa mágoa, ficou harmonioso. bj

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 22/01/2009 13:30  Atualizado: 22/01/2009 13:30
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11172
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
Glorinha,
Voltaste em força para nos deliciares com os teus maravilhosos sonetos.
Beijinhos no coração.
Nanda

Enviado por Tópico
krystyna77
Publicado: 22/01/2009 20:50  Atualizado: 22/01/2009 20:50
Muito Participativo
Usuário desde: 17/11/2007
Localidade: Moita
Mensagens: 99
 Re: “O que ficou do “alheio” - Soneto
"A varanda que um dia foi de sonhos, permeio
Servirá só de abrigo, pras sobras do “alheio”
Tuas noites pra sempre, de solidão fadada."..



Como sempre, adoro o que escreve... Já sou fã!


Beijos