https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Do pó ao pó

 
<div style="text-align: center;"><a onblur="try {parent.deselectBloggerImageGracefully();} catch(e) {}" href="http://2.bp.blogspot.com/_XRCU_gS6XWg ... as_2.jpg"><img style="cursor:pointer; cursor:hand;width: 400px; height: 326px;" src="http://2.bp.blogspot.com/_XRCU_gS6XWg ... Q/s400/curvas_2.jpg" border="0" alt="" id="BLOGGER_PHOTO_ID_5320969961809896722" /></a>
</div><span class="Apple-style-span" style="font-size:medium;"><span class="Apple-style-span" style="font-family:'trebuchet ms';"><span class="Apple-style-span" style="color: rgb(102, 0, 0);"><div style="text-align: center;">
</div><div style="text-align: center;"><span class="Apple-style-span" style="color: rgb(132, 0, 0); font-style: italic; ">Chora pelo que jaz morto,</span>
</div><span class="Apple-style-span" style="color: rgb(132, 0, 0); "><div style="text-align: center;"><span class="Apple-style-span" style="font-style: italic; ">entrega ao pó o que é pó.</span>
</div><i><div style="text-align: center;">Não adianta o pranto,
</div><div style="text-align: center;">nem reza e vela pra tanto.
</div><span class="Apple-style-span" style="font-size:medium;"><div style="text-align: center;">Morreu, acabou,
</div><div style="text-align: center;">deixa enterrar.
</div><div style="text-align: center;">Nada pode fazer voltar
</div><div style="text-align: center;">o que a vida te arrancou.
</div><div style="text-align: center;">Desfaze de tuas memórias,
</div><div style="text-align: center;">limpa gavetas, rasga os rascunhos,
</div><div style="text-align: center;">vestígios ocultos que mantém guardado,
</div><div style="text-align: center;">lembranças frágeis de breve passado,
</div><div style="text-align: center;">que não se sabe se houvera.
</div><div style="text-align: center;">Despeça sem choro
</div><div style="text-align: center;">das sombras que te assombram
</div><div style="text-align: center;">daquilo que se fora.
</div><div style="text-align: center;">Agarrar-se aos restos é vegetar,
</div><div style="text-align: center;">agonizar qual moribundo,
</div><div style="text-align: center;">na esperança que algo aconteça.
</div><div style="text-align: center;">Talvez uma alvorada, que desponta antecipada.
</div><div style="text-align: center;">Quiçá primavera, onde a paineira floresça.
</div><div style="text-align: center;">Mas não há alvorada, nem muda-se a estação.
</div><div style="text-align: center;">Não há sol no céu, nem da paina há o botão.
</div><div style="text-align: center;">Só as lembranças que teimam
</div><div style="text-align: center;">em assombrar tua visão,
</div><div style="text-align: center;">cobrindo com manto de dor,
</div><div style="text-align: center;">tua vida na solidão.
</div><div style="text-align: center;">Liberta dessa canga pesada,
</div><div style="text-align: center;">que aprisiona teu coração
</div><div style="text-align: center;">e atropela a caminhada.
</div><div style="text-align: center;">Desfaze do que jaz morto,
</div><div style="text-align: center;">exorciza essa paixão,
</div><div style="text-align: center;">entrega o corpo ao chão.
</div><div style="text-align: center;">Morreu, acabou.
</div><div style="text-align: center;">Deixa enterrar.
</div></span></i></span></span></span></span><div>
</div><div><span class="Apple-style-span" style="color: rgb(102, 0, 0); font-family:'trebuchet ms';"><span class="Apple-style-span" style="color: rgb(51, 51, 51); line-height: 19px; font-family:Verdana;font-size:13px;"><div class="widget HTML" id="HTML7"><div class="widget-content"><align:center><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.5/br/" rel="license" style="color: rgb(204, 0, 175); "><img alt="Creative Commons License" src="http://creativecommons.org/images/public/somerights20.png" style="border-top-width: 0px; border-right-width: 0px; border-bottom-width: 0px; border-left-width: 0px; border-top-style: none; border-right-style: none; border-bottom-style: none; border-left-style: none; border-width: initial; border-color: initial; " /></a>
<span dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/" property="dc:title" href="http://purl.org/dc/dcmitype/Text" rel="dc:type">aβsynto Vocέ</span> by <a property="cc:attributionName" href="http://www.luso-poemas.net/userinfo.php?uid=5238" rel="cc:attributionURL" cc="http://creativecommons.org/ns#" style="color: rgb(204, 0, 175); ">K4AKIS'Production</a></align:center></div><div class="clear" style="clear: both; "></div>


"Se me esqueceres, so uma coisa, esquece-me bem devagarinho."(Mario Quintana)
Open in new window

 
Autor
kryssfour
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2310
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
12
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Edilson José
Publicado: 05/04/2009 01:56  Atualizado: 05/04/2009 01:56
Colaborador
Usuário desde: 12/04/2008
Localidade: SP
Mensagens: 5591
 Re: Do pó ao pó
Belo poema. Os grilhões que aprisonam devem mesmo ser quebrados. Mas a lembrança que se solidifica como boa, que fique amarrada sempre!
Só fará bem!
parabéns, excelente!
Edilson


Enviado por Tópico
Junior A.
Publicado: 05/04/2009 02:31  Atualizado: 05/04/2009 02:35
Colaborador
Usuário desde: 22/02/2006
Localidade: Mg
Mensagens: 894
 Re: Do pó ao pó
Eu bem queria, e o fiz por várias vezes,
Mas algo, algo parece da terra brotar,
E volta como pecado, manchado,
Sem que se possa apagar,
Sem que se possa esquecer, só sofrer,
Essa nódoa, chamada passado.
Não se dá ao descanso, não consigo viver.

Mui bueno, pena que eu como médico que vivo apregoando que mata o tabaco, insisto, persisto em dar tragos,
Até na morte quem sabe descansar.

Parabéns Poetisa. Perdoa-me o desabafo, fora bem propício o poema.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/04/2009 14:49  Atualizado: 05/04/2009 14:49
 Re: Do pó ao pó
kryssfour,

Belo poema ! Parabéns

Na vida há poemas e paixões que não passam de rascunhos. São enriquecedores, nada mais, não justificam a existência.

Bjs,

paulo




Enviado por Tópico
sisnando
Publicado: 05/04/2009 16:49  Atualizado: 05/04/2009 16:49
Colaborador
Usuário desde: 21/10/2008
Localidade: Fafe
Mensagens: 589
 Re: Do pó ao pó
Clap,clap,clap, parabens!
Bonita busca às correntes que nos prendem. E claro conseguir rebentar-las e ir em frente, significa superar-nos e evoluirmos! Mas existem correntes do passado que devemos preservar como colunas vertebrais da nossa personalidade e ser!
Beijo


Enviado por Tópico
glp
Publicado: 07/04/2009 01:11  Atualizado: 07/04/2009 01:11
Da casa!
Usuário desde: 26/02/2007
Localidade: Belas
Mensagens: 464
 Re: Do pó ao pó
Excelente!

Bjos