https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

- TREM -

 
Vou . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
saindo . . . . . . . . . . . . . de mansinho . .
. . . . . . . . . . . . da estação . . . . . . . . . . .
. . . . . devagarzinho . . . . . . . . . . . . . . .
deslizando . . . . . . . . . . . . . pelos trilhos
. . . . . . . . . .num chiado . . . . . . . . . . . .
vou partindo . . . . . . . .vou rasgando a
ventania. . . .pelas curvas do caminho
. . . .disparando . . .num rompante. . .
vou seguindo. .
paro, não paro, paro, não paro, paro ,não paro
Passa boi, passa boiada,
Passa galho de ingazeiro,
Passa campo, passa estrada,
Passa um buritizeiro,
Passa rio, passa ponte,
Bambuzal passa pertinho,
Passa um belo horizonte,
Passa breve um passarinho,
E vou. . . . . . . . .
Sigo contente, sigo contente, sigo contente, sigo contente,
Sopro forte a fumaça,
Sopro grosso, sopro fino,
Passa mato, mato passa,
Passa burro com menino,
Vai passando cachoeira,
Fazenda, cerca, lagoa,
Passa tanta bananeira,
Passa brejo com taboa. . .
Paro, não paro, paro, não paro, paro, não paro
Passa casa, passa fio,
Passa moça na janela,
Passa cadela no cio,
Co’uma fila por trás dela,
Passa túnel, passa poço,
Pescador com seu caniço,
Passa velho, passa moço,
Passa porco bem roliço...
E vou. . . . . . . . . . . . .
Sigo contente, sigo contente, sigo contente, sigo contente,
De repente passa carro . . .passa prédio
. . . . . . passa gente. . . . . . . .propaganda
. . . . . . . . . . . de cigarro . . . . . . . . . . . . . .
Numa placa. . . . . . . . . . . . .bem à frente
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . passa moça que
passeia . . . . . . . . . . . . . . tanta graça . . .
em sua forma . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
meu apito . . . . . . . . . . . . . . . . . alardeia . .
. . . . . . . . . . . . . . . vem chegando . . . . . . .
. . . . . . . . . . a plataforma . . . . . . . . . . . . . .
paro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .não paro . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . paro . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . não paro . . . . . . . . . . .
. . . . . paro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . não paro . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .paro.


Frederico Salvo.

PS.: Inspirado na poesia "Trem de ferro" do poeta brasileiro Manuel Bandeira.

(republicação)


Direitos efetivos sobre a obra.
http://pistasdemimmesmo.blogspot.com/

 
Autor
FredericoSalvo
 
Texto
Data
Leituras
1025
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
8
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 21/09/2009 21:35  Atualizado: 21/09/2009 21:36
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: - TREM -
Fredy,
não tenho comentado muito o que escreves,mas ler leio-te habitualemtne.
E agora... comentar-te menos ainda... rsrs
acredita.
Este poema além da sua originalidade, remete-nos
quase para a sensação inigualável quando andamos
de comboio. É assim que chamamos ao vosso "trem"
Gostei muito!

Um abraço, meu caro Poeta

Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
arfemo
Publicado: 21/09/2009 22:15  Atualizado: 21/09/2009 22:15
Colaborador
Usuário desde: 19/04/2009
Localidade:
Mensagens: 4812
 Re: - TREM -
...perdoa companheiro poeta Salvo, mas este vai direitinho para presente de Natal de meu menino! ainda estou sentindo a melopeia dessa galopada de um comboio com alma...

Abraço fraterno
arfemo

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 21/09/2009 22:21  Atualizado: 21/09/2009 22:21
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: - TREM -
Querido Fred, eu já havia lido da outra vez, mas, é sempre bom relembrar esta sua inspiração. "Trem de ferro" de Manuel Bandeira, é um dos meus preferidos, pelo talento que este poeta consagrado tinha de falar das coisas simples da vida, com tamanha maestria.

Bjos daqui.

Enviado por Tópico
MarciaOliveira
Publicado: 21/09/2009 22:22  Atualizado: 21/09/2009 22:22
Da casa!
Usuário desde: 27/07/2008
Localidade:
Mensagens: 432
 Re: - TREM -
"Um trem-de-ferro é uma coisa mecânica,
mas atravessa a noite, a madrugada, o dia,
atravessou minha vida,
virou só sentimento".
(A.Prado)

O meu fez parada em BH.
Carinho,
Má.

Enviado por Tópico
Julio Saraiva
Publicado: 21/09/2009 22:25  Atualizado: 21/09/2009 22:25
Colaborador
Usuário desde: 13/10/2007
Localidade: São Paulo- Brasil
Mensagens: 4206
 Re: - TREM - p/Frederico Salvo com louvor
resumindo:

um poema digno, digno, digno. e bote digno nisto. um poema digno do homenageado - manuel bandeira do brasil, como queria drummond.

bravo, salvo!

j.

Enviado por Tópico
laise
Publicado: 21/09/2009 23:00  Atualizado: 21/09/2009 23:00
Colaborador
Usuário desde: 16/06/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 746
 Re: - TREM -
Me senti sentada neste Trem...pois estes dias andei de Trem em BENTO GONÇALVES...e olha sempre é bom recordar os passeios de trem.

Beijos com carinho de Sane.

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 21/09/2009 23:08  Atualizado: 21/09/2009 23:08
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: - TREM -
Belo poema, muito original do ponto de vista gráfico e do conteúdo, perfeitamente articulados.

Parabéns!

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 21/09/2009 23:36  Atualizado: 22/09/2009 01:25
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3544
 Re: - TREM -
no decorrer da leitura fui lembrando do poema que te inspirou, "trem de ferro", e te digo que não fica nada a dever na criatividade e na poética magistral.
abraço!

Maria verde