https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de DianaBalis

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de DianaBalis

Canto Verde

 
Distrai a manhã cingida
Com mimos e apelos saudosos
No ar o risco que desmorona os muros
Pintura de beleza e viço.
Correntes do mar, águas salgadas
Avançando nas passagens.
Cobrem os pés dos descalços e desvalidos.
Homens de mente ruidosa,
Cometem fiscos.
Calada e cercada de abelhas,
Descanso entre as folhagens.
 
Canto Verde

Voar

 
Voar
 
Voar do passarinho
Fino fio em equilíbrio
Descobre migalhas de carinho
Come restos com brio
Surge ligeiro e sombrio
Todos seremos o desalinho
Desse canto que virou pó.

Diana Balis. Rio de Janeiro, 5 de novembro de 2017.
 
Voar

Peixe

 
Peixe
 
Colore a vida e nade contra à mare
Rebeldia é chama de dia quente
Renasce contra o córrego da vida
Amanhece e já chove.
Os sem terra, sem água, sem árvores ou moluscos,
Unem-se as areias e desterros,
Só transcorrem as lágrimas agudas oriundas da esperança
Falta o reflorestamento, peça ajuda as borboletas.
Viva com atitudes
Nade e reflita,
Mas suas nadadeiras continuam sem asas..

Rio de Janeiro, 24 de novembrpo de 2014. Diana Balis.



Autor Pintura: Renato Zorzenon
 
Peixe

Noite sem luar

 
Noite sem luar
 
Sou uma trova de um soneto sem rima
E maldita num veludo escuro encorpado e aquecida.
Abasteço a fronte da pele que chora minguas entre as mágoas,
Nada vale a pena...
A vida me acolhe e visita,
O visível abalo da dor cálida se veste e despe.
Sinta o corpo ao vento, ar em movimento, freme, treme, congela,
Ajeita o resto de mim que despenteia a cabeceira
E perto da estante uns livros,
Vagos sentidos do existir.
Nessa noite serei sua página em branco.
Imprima seu sorriso e colha seus frutos.
Anote seus obstáculos,
Para na emersão do horizonte
Revelar a negra noite sem luar.

Rio de Janeiro, 25 de maio de 2011.
 
Noite sem luar

Saudade

 
Saudade
 
Do Mar aberto com as cantigas do Roberto.
De Meninas que cresceram, e hoje já tiram as fitas para rapazes de além-mar.
Dos fogos de artifícios coloridos, atuais artifícios, para nós atirarmos fogo ao ar!
Vida resumida em ondas, vão e vem, invadindo nas praias, as poesias descritas em areias
Hoje, levando as esperanças...de cá para lá! {Vamos todos voltar para Portugal!}
E para agradar Iemanjá, jogarei flores brancas de roupa azul.
No desejo, o Homem sedutor, gentil e honesto, desses que abria a porta para eu passar!
Saudade de viver o vintém sem juros, e guardar o dinheiro debaixo do colchão.
Das cantigas de ninar e sobremesas gostosas, como as balas de coco e as balas chitas.
Saudade das quermesses em Igrejas.
Hoje, as propriedades públicas estão virando Templos religiosos sem impostos, para servirem as coletas da fé financiada!
Saudades do passado...
Desejo aos leitores um Feliz 2018.
O melhor presente será: (Comida colorida! {Caso tenha o que comer} o desejo sairá barato)
Desejo Saúde!
Desejo Amor!
(Mas como tem gente que nem aprendeu a AMAR, {ofereço um Curso online, mas aviso que vou cobrar!} Porque até amor hoje, está difícil de encontrar!)

Gisele Lemos
Feliz 2018! Paz, saúde e prosperidade com humor, aos amigos leitores.
 
Saudade

Palavra

 
Palavra
 
Lavra o verbo que adormeço
No encanto de pensamentos
Crio rotinas imagináveis em livros absolutos
Caem os flocos de neve e meus pés dissimulam
Pensa grande
Pesa enorme
Como árvores frondosas das florestas desarmadas
Flym como monte
Sustenta seu gado
Pastoreie campos e semeie girassóis.
Pensa na lua, que é récita ao tempo.
Espaço só conhece na Terra.
Vamos viver o futuro!
Escalavra e acorda.

Rio de Janeiro, 22 de maio de 2018.
 
Palavra

Convite a 1a Antologia Revista Poesia Legal

 
Convite a 1a Antologia Revista Poesia Legal
 
Convite a participação de novos autores e poetas
A Revista Poesia Legal, será lançada em março de 2015, no Rio de Janeiro.
A Revista Poesia Legal será realizada em parceria com autores e poetas.
O olhar a paisagem, um poema por meia página, sobre a foto que o escritor escolher de sua Cidade (com os direitos de imagem permitidos e poesia).
Os Poetas são nossos convidados, a revista é cultural.
Todos receberão no mínimo 5 revistas e escreverão em meia página, toda colorida com as fotos e 3 linhas de biografia.
As Revistas serão distribuídas nas escolas e hotéis de nossa Cidade.
Editor da Revista: Neri Paula
Coordenação Geral: Gisele Sant Ana Lemos
Nossas propostas posso enviar por email: dianabalis@gmail.com
Inscrições até dia 15 de fevereiro de 2015.
 
Convite a 1a Antologia Revista Poesia Legal

Nuvem de Prata

 
Nuvem de Prata
 
Carrego comigo o solo
No cheiro de jasmim
O sereno apreço
É canto de passeio
E relva abatida.
Gorjeiam passos entre as margens e marés,
No alvorecer, remete cartas à alguém,
Distante e tão longe, que é perto.
A alma acalentada, cobiça seus beijos molhados.
O suor é de sedenta espera.
Por tantos anos escrevo
E você,
Como vai meu amor?

Diana Balis, escrevo cartas de amor a alguém que desconheço.
 
Nuvem de Prata

Neblina

 
Neblina
 
Tem uma página em branco esperando por mim. Ela me condiciona ao vício de escrever. Porém os assuntos fogem das minhas tremulas mãos. Caem como folhas ao vento e inertes, entre as passagens dos caminhos por onde andei e percorri, uma floresta, uma cachoeira, um rio, uma pedra, um azul e uma partida. Quem me dera pudesse eu, apenas dizer sobre quem parte...Porém, nos lábios vermelhos e aguçados, só posso dizer de mim, e do que fui um dia, a mente que invente algo rompente e com o despropósito de sentimentos. Como se eu conseguisse, como se fosse fugir do vazio que drago na boca da noite, e adentrando a roxa, coxa, e negra dos cerrados sentimentos, cerro os olhos com uma tênue água que cabe no peito da solidão que neblina meu ser...Rio de Janeiro,11/09/13. Diana Balis.
 
Neblina

Amor Boreal

 
Tempo de comer frutas nos quintais
Caminhar de mãos atreladas em florestas tropicais
Desabitar almas alheias em prol da vida voraz
Respaldar as carícias e os beijos ardentes
Aguardar entre as colchas e retalhos
Abraçar o movimento no instante fecundo
Cobrir de emoção os olhares grisalhos
Cantar no visceral entardecer
Aplaudir o novo amanhecer
Ir fundo no mergulho ancestral
Desterrar o inferno astral
Vibrar no encontro real
Viver o amor boreal
 
Amor Boreal

Amo

 
Amo
 
Sinto um acalanto sagrado
Nesse desejo incontido
Rasga-me por dentro todos os sentimentos
Num drama de afago e fogo
Lento gosto o amargo tosco ensejo
Uma brisa suave
Em morno mar
Cabe-me à veste
Tolhida e sem amigos
Revertido num longo vestido de seda
Sem acessórios íntimos,
Choro compulsivamente
Sinto tanto medo?
Como amar com dor?
Se esse amor, nem me chama?

Rio de Janeiro, 31 de janeiro de 2015.
 
Amo

Adoração

 
Adoração
 
Um lugar comum de mãos dadas
E o sino toca para dizer-me bom dia
O afago nos cabelos
Um beijo macio e suave para acalmar
O laço de fita vermelha nos cabelos das meninas, filhas, que brincam no quintal
O fogo amarelado da lenha preparando a comida
O frio e o agasalho
Entre os sorrisos e abraços
O touro a me congelar a espinha e o medo
Um rato roendo as botas
Um gato correndo da toca
Um gesto, uma veste, despe?
O corpo nu suave alinhado a cama entregue O amor
Meu amor
Estou esperando com as malas prontas.

Diana Balis
Rio de Janeiro, 23 de novembro de 2014.
 
Adoração

Poesia Revista 2018

 
Convite as leituras
Amigos escritores
Poesia Revista é online.
Visitem o site:
www.poesiarevista.com
Escritores que participaram:
14 Estados do Brasil, Portugal e Angola.
Gisele Sant Ana Lemos
Editora
 
Poesia Revista 2018

Calor e sol

 
Calor e sol
 
Ventanas adentram em corpo desnudo
Praias cariocas entregadas ao sol
Mar azul entre as ondas brilhantes
Homens caminham olhando as pernas sitiantes
O mergulho no esporte com prancha e remo
Dedilha o horizonte da busca
Chegarei a calmaria do Porto e ensejo
Jamais viver sem o ser distante...
Amo a calmaria do olhar amante.

Diana Balis
 
Calor e sol

Liberdade

 
Liberdade
 
Ser livre

Ontológico, reflexivo, contingente de ser humano, silogismo final, ser nascido e livre.

Ser Livre

Vi ler ser
Ser, Li, ver
Se live
Se livre,
Ver, li, se...
Velhice.
 
Liberdade

Volta revolta

 
Volta revolta
 
Quero ser nós
Ataduras enroladas
Braços e destinos
Desatinos desmedidos.

O medo do incerto
O desejo de ir
Isca de vontades
Volto amordaçada.

Embrenhada expectativas
Vida de escrituras
Caneta de bico de pena.

Livre ao escrever
O ser volta
Da revolta.
 
Volta revolta

Nunca esqueci seu amor

 
Nunca esqueci seu amor
 
Nunca entre tantas vozes vieste me ver.
Entre letras e suspiros, fui eu quem desejou te ter.
Você me iludiu com o gole de cachaça que respingou em minha camisola.
Bebeu meus sonhos, e foi tão cedo embora.
Amei os poemas, os livros e nem me dei conta, da realidade de sua vida mesquinha e egoísta de paisagem paulista...
Jamais serei a estátua de Nossa Senhora da Aparecida, em pé, imóvel e distante.
Teremos os risos e nos caminhos das madrugadas de jornalistas, nem comerei a pizza de tomates secos e rúculas da rua Augusta.
Você mostrou a bandeira de Portugal na embaixada
Ouvimos os cantos gregorianos na Igreja de São Bento e sussurros dos mendigos nas calçadas. Vivi todos poetas modernos e contemporâneos mas me lembrou os poetas desiludidos e esmagados pelas doenças de pulmão, fuma tantos cigarros ao dia, que nem me cabia em sua mão.
Fico eu e Cristina César a olhar de longe.
Poeta de ilusão.
Foi sem despedidas, cobrarei no céu e alcançarei todas as estrelas já cobertas por ti.
Amo a entrelinha que justificou toda essa experiência inexistente.
Amor, amar você sem nunca saber de ti.
 
Nunca esqueci seu amor

1a Antologia Revista Poesia Legal, lançamento dia 27/03/2015.

 
1a Antologia Revista Poesia Legal, lançamento dia 27/03/2015.
 
A Revista Poesia Legal é um projeto

de poesia e intercâmbio de coautores
nacionais e internacionais. Uma
proposta inovadora de escritores e
artistas plásticos do Brasil e de Portugal.
Visa a aproximação do escritor
junto ao leitor adolescente. A escrita
literária está envolvida com “O
olhar a paisagem” das fotos e pinturas
apresentadas por seus 61 autores.
Com a revista, criamos mais
um espaço de expressão da vida
na interlocução de poesias com as
paisagens. A Revista Poesia Legal é
um projeto Cultural que com certeza
chegou para marcar uma época
social de participação e luta, porque
nós fazemos a diferença através da
Cultura. Homenageamos o poeta
Manoel de Barros e outros artistas
expoentes do cenário cultural nacional.
Os poetas integrantes do cenário
cultural brasileiro são do Ceará,
Mato Grosso do Sul, Minas Gerais,
Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande
do Sul e São Paulo. Há também representantes
de Portugal, Barcelos
e Lisboa, e temos certeza que sua
aceitação será excelente junto aos
leitores.
Gisele Sant´Ana Lemos e Neri Paula (Coordenadora e Editor)
 
1a Antologia Revista Poesia Legal, lançamento dia 27/03/2015.

Amor de primavera

 
Amor de primavera
 
Alcança a ternura da pétala
Cai suave como jasmim
Branco é pedido de paz
O amor como avatar
Correndo passarelas distantes
Percorrendo labirintos descontentes
Nem tudo são as flores que cheiram
Por vezes esse desalinho
Agrada o olhar
Vejo tão longe,
Nesse instante,
Sinto o amor brotar.
Como a blusa que declina,
Dispo à sina
Aceitando só o piscar
Cauteloso
Nunca negou um luar
oh flor perene.
 
Amor de primavera

Grito de alerta

 
Grito de alerta
 
Grito de alerta
Conto as cancelas fechadas
Amarroto todas as camisas
Cansada de desamor
Fogem todos os pássaros ao horizonte
Apelam para as lágrimas contidas
Revigora que a vida é breve luta
Beija logo que o tempo passa.
 
Grito de alerta

Diana Balis