https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de RonanCardoso

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de RonanCardoso

Bocavento

 
O céu da cidade agora é sempre cinza
nunca mais saiu o sol, desde que
Tito Manja-Léguas! Famoso Bocavento...
Pássaro caminheiro entre os homens
Passou a contemplar a cidade
de cima dos prédios
Tocando sua gaita ininterruptamente
Mas ninguém sabia o porquê.
É que Tito escondia um segredo:
Prestidigitador do vento,
Fazia música para deprimir seus males
Assim seus demônios sentavam tristes
Encantados com o outono e as árvores
E ouviam seu canto sem nada dizer...

(Ronan Cardoso)
http://ronancardoso.blogspot.com.br/2016/06/bocavento.html
 
Bocavento

NOVO LIVRO!

 
NOVO LIVRO!
 
Amigas e amigos da poesia,

Acabo de publicar um livro!! Após muita frustração com a falta de apoio a escritores iniciantes, especialmente dentro do universo da poesia, desisti das editoras e das gráficas, ou seja, da publicação material.

Resolvi, então, publicar independentemente pela plataforma Kindle, da Amazon, na forma de um e-book. Com 234 páginas, esta obra, de título FORA DO CENTRO, reúne poemas que escrevi nos últimos 7 anos, frutos de minha inquietude.

Num futuro próximo, espero conseguir a publicação física, mas até lá, muitos e-books precisarão ser vendidos, rs. Peço que indiquem a familiares, amigas e amigos que gostam de poesia. Este seu amigo poeta ficaria imensamente grato.

Para adquirir um exemplar basta seguir o link abaixo ou, no site da amazon.com.br, procurar pelo meu nome ou pelo titulo da obra. Qualquer dúvida, estou à disposição, me chame inbox. Espero que apreciem este trabalho. Sem mais, deixo abreijos.

https://www.amazon.com.br/dp/B01KVX8PMU
 
NOVO LIVRO!

Atitude

 
Altíssimo esplendor do dia, canto do pássaro solar, pálpebra inevitável de abrir. O sol parece ter mais efeito dentro que fora de mim. Acordei cedo e entediado e todo mundo sabe que tédio é energia sendo espancada pela inércia, coisa perigosa. Então inventei de fazer uma caminhada no parque, para fazer jus a toda forma de existência que acordou para este momento em que estou vivo. Me alonguei.

E lá fui eu, com musicalidade. Desci as ruas farejando o frescor matinal por cada poro do corpo, da alma e da mente, bebendo lucidamente a atmosfera em passos de dança de partículas. Cheguei no parque sorridente e pleno de espírito, em respeito à natureza, e me embrenhei numa trilha mais fechada. Bosques me fazem sentir de forma mitológica as presenças de dentro e as de fora, gosto de caminhar em transe, meditando a jornada. Foi então que o encontrei, sentado à beira do caminho. Um garoto que lia concentradamente não o mundo, mas seu livro. Impliquei com isso. Fui lhe dizer que estava desperdiçando tudo. Ele nem notou que eu estava ali. Desperdicei meu tempo. Decidi continuar com minha própria loucura controlada, todavia assim que virei as costas o garoto disse:

- A terra inteira é um grande girassol ingênuo, um bulbo rodopiando, uma esperançosa flor atravessando a imensidão sob as promessas da luz. Viver é encontrar e se perder das suas paixões.

Assim que terminou de falar, ele sacou uma caneta do bolso e fez anotações. Só então percebi que não era um livro, mas uma espécie de caderno (ou diário). O rapaz, certamente poeta, teve a mesma ideia que eu, mas não podendo caminhar na via láctea, sentou-se em meio às árvores para que a galáxia caminhasse dentro dele.

Manhã incomum, pinceladas de sinais que parecem me dizer um quadro. Voltei para casa fazendo três caminhadas, as minhas e a do poeta e, ao chegar na portaria do prédio, esbarrei com minha vizinha, Linda, que segurava um vaso com um girassol. Ela me sorriu, sorri de volta, sem saber se era sonho meu, dela, da flor ou do poeta do parque...

Acordei entediado. Encucado, pensei mais do que fiz. Chateado por ter sido tudo um sonho, fui vencido pela inércia, sem esperança, sem poesia. Não celebrei o sol, não saí para caminhar... E nada me aconteceu.

(Ronan Cardoso)
Leia mais em: www.ronancardoso.blogspot.com
 
Atitude

Leve

 
Eu não sou o tipo de pessoa que fica "pisando em ovos". Eu não estou nem aí para o seu conceito de certo ou errado, ordem ou desordem, importante ou banal... Para mim, você não sabe de nada! Só o que te sobrou do que veio de fora. Mas por dentro, o que é que você oferece a partir daí? Ovos, talvez... Algo quebrantável, cascas, vida... Você oferece a própria vida ao tempo, ao existir, a troco de quê, mesmo? Ovos, talvez, algo insustentável! Útil, quem sabe bom, às vezes, mas pouco, sozinho. Já eu... Eu sobrevoo as cascas, orbito a dúvida, não creio em lógicas só porque fazem sentido, eu quebro a cara... Aprendo o mundo como quem examina universalidades, eu não busco agradar quem quer que seja, eu sou o seja, o resto é o faça-se e, no centro, há a terra, a extensão viva de sonhares, o planeta rodopiando os seres, deixando-os confusos, trocando os olhares, tentando entender... E eu ali, assistindo tudo e aprendendo a viver-me mais que pensar-me, no bem. Eu sou o tipo de pessoa que gosta de pisar o pé no chão, sabendo que está voando no meio do espaço... Afinal, na esfera existencial, todo ponto é um centro, inclusive o ovo pode ser o centro do universo, mas esse papo não é novo. Importante é você saber: tudo se vive interiormente, então repense (com poesia) as paisagens que te habitam o ser. Te sobrevoo o ter. Choque teus ovos. Cheque teu ver. Eu piso firme... Feito a luz do amanhecer.

Ronan Cardoso
 
Leve

"Espionagem amorosa nos tempos de hoje". Ou: "A flecha do cupido é a seta do mouse".

 
Aquele lance virtual silencioso
Coisa de admirador
Ou agente secreto?
Será que é pós-moderno?
Você sabe do que estou falando...
Nestes tempos de rede social
A gente fica curtindo as fotos
Numa paquera unilateral
Passando o dedinho do mouse,
Acariciando a imagem,
Fazendo cafuné e massagem
Vai que a pessoa sente... ?
Aí digita qualquer coisa e apaga
Só para mostrar que perde palavras
Que faz escolhas estratégicas
Para enviar uma mensagem
Vai que a pessoa nota?
E desenrola aquele "agora diz"...
A telepaixão, às vezes, para ocorrer
Só precisa de um clique do acaso!
E a gente ri - o coração é bobo.
É gostoso amar em imaginário,
Ficar se declarando para a tela
Delirar um "se você topar eu caso".
Quem precisa conhecer o outro?
É isso que quase nunca dá certo!
... Mas a gente não diz nada, claro...
Geralmente o melhor amar é o secreto!

Leia mais em: http://ronancardoso.blogspot.com
 
"Espionagem amorosa nos tempos de hoje". Ou: "A flecha do cupido é a seta do mouse".

A Brasília que ninguém vê

 
Passo o tempo por entre vias
Entrequadras, entre passos e vento
Além da cidade antecipada
Do olhar vazio voando baixo
Nos bosques de pedras e gentes...
A Brasília que ninguém vê
São os amigos perdidos, distantes,
Ausentes...

(Ronan Cardoso)
https://ronancardoso.blogspot.com.br/2 ... silia-que-ninguem-ve.html
 
A Brasília que ninguém vê

Endereço

 
Quando alguém diz: "o amor está morrendo"
Não é com o amor que fico surpreso
Não sou inquilino da razão, mas veja bem
Amor não morre
Ele só muda de endereço
Ainda que demore.

(Ronan Cardoso)
 
Endereço

Ressoar

 
A música do SEU espírito.
Se você não a dançar, você adoece.
Ouça. Dance. Vibre.

(Ronan Cardoso)
Leia mais em: http://ronancardoso.blogspot.com
 
Ressoar

A poesia

 
A poesia
 
A poesia não é a cadeira de balanço da consciência
É a árvore intacta, plena de possibilidades
Árvore professora, mestra natureza, universidade transubstancial
O poeta não corta a árvore para dela se servir
O poeta sabe que a árvore é um ser magnífico
O que encanta o poeta é a beleza inerente e a inteligência da semente
Linhas e cores
Quando a vida é mais fresca à sombra de uma árvore
Quando o vento alucina as folhas
Quando o fruto está maduro
Tudo isso, o aroma intrínseco, a vida harmônica
É natural o sonho do poeta
A poesia não é a cadeira de balanço da consciência
É a árvore intacta, universidade transubstancial...

(Ronan Cardoso)
 
A poesia

A casa

 
A casa tem uma música
Gravada nas paredes
A música é a sua vibração
O tom da sua voz, suas palavras
O que emana de você
As coisas ficam impregnadas
Viver é consequência
Causa é direção...

(Ronan Cardoso)
Leia mais em: www.ronancardoso.blogspot.com
 
A casa

Fogo, Língua e Flor

 
E-BOOK GRATUITO HOJE !!!!!!!
Olá! Boa noite. Peço licença poética, [:

Gosta de conhecer novos escritores e poesias? Fogo, Língua e Flor é uma reunião de poemas sobre o amor e a natureza (e alguns eróticos). É um e-book de visual simples, rs (fiz para ser um presente e não sou lá muito bom com isso de capa, todavia... Nas poesias é que o verdadeiro valor é encontrado). Hoje o e-book está custando R$ 0,00... Isso mesmo, você pode baixar de graça (não estará assim por muito tempo). Convido o grupo a conhecer meu trabalho, são apenas alguns cliques para baixar por este link (abaixo).

Quando falamos de amor, de que falamos? Do fascínio que sentimos diante do poder que outra pessoa nos pode ter? De um exercício espiritual para a sublimação dos atributos da alma? Quantas formas tem o amor? Este livro não responde a estas questões, mas delas se serve. Encontrar correspondência no amor pode ser a chave para a plena vivência das potencialidades espirituais humanas, ou uma forma divertida de assim brincar: brincar com palavras, brincar com o destino, com coisa séria, tecer ocasos para os vestir... Vestido do aroma de sua musa, este poeta encontra a Floresta Celestial, mãe do mundo, fonte de poesia cristalina. Neste espaço místico de um pensamento, de um batimento cardíaco e toda a jornada sanguínea que somos, dividimos nossas experiências para compor um quadro maior: este momento no universo. Aqui é descrita parte da alegria da peça escritora e escritura da Natureza do mundo que sou, graças a um encontro de almas profundamente rico em amor.

http://www.amazon.com.br/gp/product/B01BK6HZSW?*Version*=1&*entries*=0

Sem mais, desde já agradeço, e deixo abreijos. Bons ventos!
Ronan Cardoso
 
Fogo, Língua e Flor

Perder-se, sem deixar de saber onde está

 
Quase nunca escrevo sobre mim, muito embora haja quase sempre muito de mim no que escrevo. Para escrever, eu medito alucinadamente: é um transe poético. O poeta vive o sonho, ele não é quem é, nem é o que escreve. É um mensageiro. A maioria dos pensamentos é que me encontram, quando não me dito. Muitas vezes acabo sendo outra mente, em algum outro lugar ou tempo neste ou noutro planeta... Eu vivo outra vida, para não virar um museu... Essa é a poesia, a palavra pupação em movimento perene. O poema é um mapa para chegar ali. Mas não existem direções definidas, então... Cada cabeça lê o mapoema de uma forma diferente... A labuta é escrever um mapa que todos possam ler de qualquer forma e sempre dê em poesia. Por isso, ser um só não basta. Por vezes pode soar controverso, confuso, estranho, mas isso só ocorre se se ignorar a licença poética e a existência do eu lírico... A labuta de quem lê é perder-se no poema, sem deixar de saber onde está.

(Ronan Cardoso)
http://ronancardoso.blogspot.com.br/2 ... r-de-saber-onde-esta.html
 
Perder-se, sem deixar de saber onde está

CULPA

 
Todos querem falar em culpa
Eu não os culpo se gritam ou sussurram isso
São apenas desculpas reconfortantes
Eu não nos vejo cientes, empoderados
Eu vejo cinzas... provocadas pelo fogo
À mercê do ar, destinadas a nutrir a terra
Bocas, numa íntima conversa entre fenômenos
Poderia não ser assim?
Poderíamos, de fato, ter poder sobre nossas vidas?
Quanta grandeza sentimos? Quantas realizamos?
Somos falhos?
Apertamos contra o peito a bandeira do orgulho
Passeia de mão em mão nosso melhor legado
Sorrimos, confusos diante uns dos outros
Desejamos a tempestade, mas nós a somos e passamos
Espera-se que todos saibam sempre fazer o seu melhor
"É sua história aqui, sua existência! Queime tudo!", dizem
Mas o sangue esfria e a chuva cai sem nada de especial
Isso é falta de poesia
Não há culpados, o que há é quem culpe!
E isso é falta de consciência
Não de capacidades
Esse olhar para x e não para y é nossa realidade
Somos um sonho com pernas, mas nossa vida desperta
É uma busca por asas
E quando voamos, queremos nadar
E quando nadamos, queremos culpar alguém
Porque não voamos
Nós não vemos a pessoa, vemos nossas ideias sobre ela
Sobre nós mesmos...
Sobre o que "aprendemos" a pensar?
Pensar não é um ato estático, condicioná-lo é insanidade!
Questiono o momento que sou, porém não ouso culpar-me
Meus limites nunca foram para os de fora não entrarem
Eles apenas me aprisionaram em ideias que guardei
E eu posso ver além disso, eu posso sentir, eu sei
Este momento em que somos é tão vastamente complexo
Tudo é tão profunda e perfeitamente costurado
Maravilho-me diante do momento
Como posso perder meu tempo buscando desculpas
Não me culpo, ocupo. Ocupo o espaço de minha identidade
Nada está sob controle! Viver não tem mapas!
Sou porque o mundo me é sem aspas
Eu não sigo a correnteza, eu a sou
Compreender este aqui é, talvez, o maior dos passos
Não se dança conforme a música, mas conforme o ritmo
O ritmo é resultado do mundo
Ou o mundo é resultado do ritmo?
Cabe apenas a você decidir
Mas decida apenas por si mesmo
Não é um espelho, nem a luz, nem a visão
Não há somente uma causa para o reflexo
Nem somente um efeito.
Olha direito.

Ronan Cardoso
 
CULPA

(m)Alquimia

 
O tempo muda o sabor das pessoas
Conheci gente doce, muito doce...
Que azedou-se.

(Ronan Cardoso)
Leia mais em: http://ronancardoso.blogspot.com
 
(m)Alquimia

Voar alto

 
A espera é a segunda asa da realização
A primeira é embelezar cada ato...

(Ronan Cardoso)
 
Voar alto

Dentro

 
Hoje o dia começou curioso... Entrou um sujeito bem vestido no ônibus. Segurava uma bíblia e começou a esbravejar:

- Deus não é senhor do mundo, mas de si mesmo. Assim ecoa fractal o seu verbo: "eu sou"! Não nascemos para sermos senhores de nada, exceto de nós mesmos!...

Passou os preocupados olhos pelos passageiros, encarando um a um, depois sentou-se em silêncio, para ler.

(Ronan Cardoso)
Leia mais em: http://ronancardoso.blogspot.com
 
Dentro