https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de ZESILVEIRADOBRASIL

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de ZESILVEIRADOBRASIL

"O escritor com sua obra tanto pode ascender num salto, como de degrau em degrau. As duas formas concedem a ele o mesmo prazer, mor. O de ter escrito".

ALUMBRAMENTO (Letra/Vídeo)

 
 
Título - ALUMBRAMENTO
MPB - Samba canção
Letra/Melodia/Voz/Violão - ZéSilveira
https://youtu.be/4vvYMlkDVGk

Deixe, que a noite te tenha
Segura em seus dedos, silentes e mais...
Com esse brilho na face
Das tantas estrelas, do além, sideral...
Mas que não seja, somente poesia
Após a boemia, quando se bebe demais
Nasce o fio da noite, com alumbre, e afoites
O enlace distal...
Mas noutro firmamento, faz sentido o momento
Do tinto bebido, em taças de cristal
Vai ficar na memória, parte da nossa história
No frescor da manhã...
Afasto a lucidez; e toda timidez
E adolescer sem demora
Te prometo na aurora, te amar outra vez
O primórdio é agora

https://m.facebook.com/story.php?story ... 797837&id=100005322645796

https://m.facebook.com/story.php?story ... 481876&id=100002372520895
 
ALUMBRAMENTO (Letra/Vídeo)

ANJO DE LUZ (Letra/Vídeo)

 
 
Título - ANJO DE LUZ
MPB - Canção
Letra/Melodia/Voz/Violão - ZéSilveira
https://youtu.be/u6cfkvMAbfo

Marina Morena,
chegaste até mim, pelas mãos da lua
Misteriosa e pequena,
olhar passarinho, Marina Morena

Ao cruzar meu caminho,
foste um anjo de luz...
Pra eu sonhar primaveras;

Marina flor bela
Tão divina, reluz
em milhões de aquarelas...

Te agradeço Marina,
pelo canto  d'agora
e do chorar, não mais...

Passei crer mais no céu,
e no Deus do amor
No Pai Nosso Senhor.
Marina Morena!

https://m.facebook.com/story.php?story ... 733946&id=100005322645796
 
ANJO DE LUZ (Letra/Vídeo)

MINHA BELLA (Letra/Vídeo)

 
 
Título: MINHA BELLA
MPB - Canção
Autor: Letra/Melodia//Voz/Violão - ZéSilveira
https://www.youtube.com/watch?v=DjMwIeUumbE

Bella...
Flor, singela!...
Vejo, teu lindo sorriso,
Através, da janela...

Nisso, me bate a saudade
De um tempo, ainda criança
Que, nenhum tempo do mundo
Me apagará, da lembrança...
La, laia, laia...Bela...

E, a emoção que ecoa
Das cordas, do meu violão...
Vibre, com toda alegria
No teu coração
La, laia, lai...Bella...

*Compus para minha primeira neta, Bella*
 
MINHA BELLA (Letra/Vídeo)

GENUFLEXÃO

 
.
.
.
Sinto sua falta pai, mas nem tanto
vocifero mais essa eterna ausência;
pois sabido, era desse cair de folhas
amarelecidas sem breve aviso...

Inimaginável saber da sua dor por
me ver partir tão precocemente...
Os prados acordaram  em cerração
e a colheita ainda não começara.

Perdão, mas o destino ceifou meu
tempo antes do brilho da alvorada
enquanto Morfeu seu sono embalava...

Um dia qualquer, que não agora seja,
não antes do milho colhido e silado;
recomeçaremos a interrompida prosa...

...aos pais, filhos e suas perdas.
 
GENUFLEXÃO

AR-180415

 
observava a rota do colibri
atraído pelo encantamento,
voava confiante, mas,
estancou cintilante no ar
ante a pequenina flor...
desencantou-se ao travo
sabor daquela inflorescência,
apesar de atraente em cor...
optou arremeter-se, não voltou...
dest'arte, prevalece, penso;
de o mel que adoça a boca
sem nada impor, se amargor
ao se provar, opte ir sem
retornar se desilusão for...
'beija-flor'
 
AR-180415

IDIOSSINCRASIA POR VOCÊ

 
Hoje acordei
ainda com o brilho dos teus olhos em mim,
com tua saliva ainda quente misturada a minha.
Misto de etílicos e gozos que regaram nossa ceia,
da mesa ao chão, e na cadeira da escrivaninha.

Hoje eu acordei
anormal. O sol intenso beijando a minha cara,
igual o calor das tuas coxas entre as minhas.
Misto de movimentos desvairados e volúpias,
ultrapassando tudo o que dita o Kama Sutra.

Hoje eu acordei
com seu perfume impregnado no meu corpo, queima,
mesmo após a sauna, mesmo após o banho.
Misto de embriaguez, e ardido nos arranhos,
resquícios do que amamos, e ganhos, e ganhos.

Hoje eu acordei
com o sorriso que roubei dos lindos lábios teus,
e do breakfast, com sabor da tua boca que beijei;
misto de delírios, desejos, e que de você eu trouxe.
Estou em ebulição, só relâmpagos e arpejos.

Hoje eu acordei... Feliz!
Levantei-me
com você em pensamento;
Próprio de mim...
 
IDIOSSINCRASIA POR VOCÊ

SÃO ÁGUAS APENAS...

 
.
.
.
o ‘olho d'água’ cessara, mas,
ainda chovia feito escumilha
em rajadas frias e constantes.
gotas imaculadas enxaguavam
os musgos das telhas de mão,
escorriam pouco ruidosas
pelas velhas calhas acobreadas,
caindo em golfadas, espalhando-se
sonolentas pela alameda e jardins
do antigo casario hospedagem.
deixei o olhar no correr das águas...
aprendera, analgésico natural
pra enganar a dor previsível,
manifestada, pelos espasmos
ao assistir de longe uns restos
de palavras sujas soltas no ar,
valorada talvez aos que as usavam...
absorto, tenso, rabiscara no papel
algumas letras sem nexo, dispersas;
era o mesmo que num papel vazio,
desgraçadamente desvalorizado...
veio-me então uma sensação
estranha, de sentir as mãos sujas,
demoníacas, deformando versos...
e num vórtice sem fim vi a poesia
sendo arrastada, tragada,
violentada bem ao lado de mim...
saio da escrivaninha atormentado;
circunspecto, triste semblante.
debruço-me meio corpo pra fora
do parapeito da janela, quase em
pêndulo, e ainda deu para eu ver
beirando a linha das telhas úmidas
a lua esconder–se envergonhada;
as estrelas, opacas, dependuradas
no final da linha do varal do céu...
o poema, cabisbaixo me acompanhara
e ao meu lado, próximo à janela; chorava...
 
SÃO ÁGUAS APENAS...

HUMANO - Homenagem ao amigo e parceiro musical FREDERICO SALVO

 
HUMANO - Homenagem ao amigo e parceiro musical FREDERICO SALVO
 
 
Samba bossa extraído do Poema com mesmo título. Homenagem ao autor, amigo, e parceiro musical FREDERICO SALVO

Letra: Frederico Salvo
Melodia/Voz: zesilveiradobrasil
Violão: Jobab Silva

O mar... ah o mar...
mesmo após a tormenta ainda se agita.
Em mim...
não há só
essa água que corre tranquila,
Nem é...
só essa brisa que calma sibila.
A boca que cala
é a mesma que grita.
A boca que cala
é a mesma que grita.

Se fui tanto esse rio que deságua sereno,
Também...
[fui a língua na boca]
da fala aflita,
Que fere...
e inocula o exato veneno.
A dor lancinante,
a palavra maldita.
A dor lancinante,
a palavra maldita.

Que saldo tens de mim
tu que me sabes?
Em ti, sou mais que a dor
que te magoa?
Sou mais que o vento
que essa água agita?
Sou mais que o vento
que essa água agita?

Porque...

Ninguém é só flores; ninguém é só males;
Ninguém só certeza; ninguém só engano;
Pois ser inconstante
é também ser humano.

Pois ser inconstante
é também ser humano...

o mar....
 
HUMANO - Homenagem ao amigo e parceiro musical FREDERICO SALVO

ÁGUA MARINHA

 
Vejo-te ir, sentindo-te pulsar no meu peito,
e sem jeito; expiro-te e respiro-te, mar...
Aninhas-te junto a mim no marulhar das ondas
ainda bem calmas, acalma-me o pranto e a alma.
Ausência prévia de ti é ausência de sopro, de ar, de ar...
Dói-me tanto, e este velho coração que não mais marinha.
O vento frio soprou mais forte e insistente hoje,
sibilando qual uma canção dolente, apagando da areia
teu nome; como se despedindo de ti por mim...
Afastei-me abruto antes que a alta maré te levasse.
Nos olhares marejados d’água azulada; silêncios.
Restou, lembrar-me do teu olhar de despedida.
 
ÁGUA MARINHA

CONVERSA DE MARES

 
.
.
.
Tendo-se um mínimo de mar nos olhos,
é possível de se entender facilmente os
assombros que há nas águas revoltas;
domínios marinhos, enseadas e remansos,
refúgios, reinos das sereias que cantam,
encantam e matam todos aqueles levados
pelas cegas paixões impossíveis...
Belas são as canções, jamais se cansam,
melodias compostas no marulhar das ondas;
falam de maremotos, alvo sal, oceanos azuis,
verdes mares, vermelhos, profundeza abissal...
Elas, musas dançarinas mergulhadoras entre
golfinhos e orcas; guardiões quais querubins
e serafins aquáticos, ninfas e fadas
habitantes `poesia` das florestas de algas...
Artifício para atrair atenções às suas belezas...
Deambulo quase todo santo dia à beira mar,
e naqueles dias infernais; também caminho...
Favoreço-me do reponto, repondo energias...
Deitado no berço cristalizados das areias;
é quando mais ouço essas belas criaturas...
Repouso merecido para minh`alma combalida.
De olhos cerrados, sinto-as; mas sem paixão...
Sei que sorriem da astúcia engendrada pelo poeta, e, no preamar, ordenam as ondas virem me beijar os pés... Com o meu admirar; conversa-se de mar,
beijos de mar,
cheiro de mar até o preamar.
 
CONVERSA DE MARES

INSPIRAÇÃO, BEBIDA E CANÇÃO

 
 
Título: INSPIRAÇÃO, BEBIDA E CANÇÃO
MPB - Samba bossa
Autor: Letra/Melodia/Voz/Violão - ZéSilveira
https://youtu.be/qx7LgCmz4W4

São tantas razões, ando fora mim,
mas daqui eu não saio...
Deste mesmo lugar, cercado de vozes e todos os sons...
Bebida e canções, não me fazem de lobo, sempre eu soube ser cão...
Não confundo latidos, desejos,
delírios, sentires e tons...
Estar fora de mim,
é não ter a brisa-fresca, soprada do mar...
do vagueio dos sonhos, das vozes vorazes, vindos de algum lugar...
Impossível saber...
Impossível saber...
Pois me foge a razão...
Mente adormecida,
contornam as letras, ao final, redenção...
Eu apenas queria,
uma melodia, um verso emoção,
cantar junto as cigarras, rolar solto na relva e curtir o verão...

" ...quero estar fora de mim
com meu corpo liberto
dentro das madrugadas...

...com excertos do poema "Bourbon e canções" do Carlos Correa, poeta dos bons daqui,
sabidamente um roqueiro raiz, ainda assim, sem a intenção de contrariá-lo, desviei o sentido e compus um samba bossa usando alguns versos considerados ao meu olhar, musicais!
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=361108

https://m.facebook.com/story.php?story ... 292974&id=100005322645796
 
INSPIRAÇÃO, BEBIDA E CANÇÃO

AR-190513

 
Testemunhei.
Ante a eminente
morte, que ronda,
não mais ameaça;
promessa velada.
Vi-a noutra face,
transfigurou-se;
mortalha andante
vestindo negro e
falsos adornos...
Morrerei,
sem temor.
Tu sujarás
tuas mãos do
meu sangue;
mas deixarei
rastros indeléveis
contra a impunidade
nas mãos de Deus, e
dos homens.
'prevenção'
 
AR-190513

'SPELL'; CAMINHO D'UMA PERSONALIDADE DESVIADA

 
.
.
.
...mas;
Diz a lenda, que outrora; coruja, abutre, águia e corvo eram utilizados pelas bruxas más, que os agregavam aos seus interesses alquímicos malévolos, e por sadismo, satisfaziam seus egos diminutos e deturpados alimentando-se de outras aves silvestres, vivas...
Iletradas, sim, eram, não perdiam tempo com contos e poesia de versos bons; dedicavam-se unicamente às maldades, aos maldizeres e por esse motivo viviam geralmente associadas a antipatia, ao enxofre do pântano, a má vida e má sorte, desprezadas até o fim, à época, na fogueira, hoje; bastando o desprezo, e um olhar desviado. Saibam, elas ainda existem, só que nesses tempos contemporâneos sem porções e caldeirões, se mostram pseudo protetoras, ativistas, feministas e os escambaus... Umas até aparentam alguma beleza, comum, outras, só porque sem a habitual verruga no nariz se acham belas no País das Maravilhas, no entanto, horrendas de interior, ignóbeis, cerne duro, e com as mesmas almas traduzidas pela lenda; enrrugadas, obscuras, falsas, sádicas, iguais as das bruxas do passado... Difícil distingui-las de pronto, mas se atento, ao se dobrar as esquinas penumbrais, calçadão descalçado beira rio camarajipe, pelourinho, ou até mesmo deambulando disfarçadas em sites de poesia; as encontraremos lá, quais gralhas em voos furtivos, durâmens metamorforseadas de gente...
O 'spell' agora em sinistro é a tentativa da provocação, o maldizer, a mentira, as insinuações, a aproximação oca tendenciosa e encurtada para que suas línguas ferinas não errem o alvo com suas vãs e toscas palavras, envenenadas...
Tenho pena desses pobres seres nas infalíveis mãos de Oxalá!
 
'SPELL'; CAMINHO D'UMA PERSONALIDADE DESVIADA

CANTO QUANDO FALO DE VOCÊ

 
 
Título:CANTO QUANDO FALO DE VOCÊ
MPB - Samba canção
Autor: Letra/Melodia/Voz - ZéSilveira
Violão: Maestro Jobab Silva

Já cantaram
que as rosas não falam.
E que elas perfumam também.
E falaram que são amorosas.
Mas que espinhos, todas elas tem.

Acontece
que eu tenho um amor.
Bem guardado
aqui dentro do peito.

É uma rosa e tão especial,
flor de amor sem defeitos.

Seus espinhos
Arranham o meu ser.
Mas com jeito
para não machucar.
Só poesias,
carícias de amor,
faz meu corpo gritar...

(Da sua boca,
os beijos, molhados.
E na cama,
Jogos sensuais...
Com você
meu amor.
Não tem jeito,
o deleite é demais!...)

Projeto Autoral:
Por Aí, Aqui e Ali... Samba&Poesia
Registro Poético Musical em CD
 
CANTO QUANDO FALO DE VOCÊ

DECRÉPITO

 
todas as sextas feiras vestia branco;
branco imaculado, até as meias.
Alvo dos olhares dos que ao largo
passavam e não entendiam.

Apenas um velho que lá ficava, inerte,
insólita figura, sentado inadvertidamente
à beira mar; de pernas cruzadas em padmasana.

Brancura nos cabelos encaracolados
sacudidos ao sabor do vento.
Branco algodão como as espumas
chegadas nas cristas brandas das ondas;
marolas que lambiam, e lambiam,
sonolentamente a fina areia.

Havia um emaranhado de pensamentos
que o fazia sorrir insistentemente,
até ao inexistente hilário;
cantava e gargalhava de braços erguidos
saudando os céus, e inclinando-se,
reverenciando o mar.
Seu corpo era pluma, alma, parecia levitar.
Com as mãos em concha areava o rosto
parecendo oferecer-se ao imaginário...

A densa neblina treva não o impedia
de sorrir; sorria, sorria, e agradecia...
Bom dia meu dia! Bom dia!,
com aquele olhar disperso como se nada via.
Era sábio; sabia manipular os sonhos...
O tempo o ensinara não precisar ver.
Sentia pelo som quando era poesia,
ou era mar com a mesma e velha cantoria.
 
DECRÉPITO

FAÇO POESIA POR NÃO PODER DIZER QUE TE AMO

 
Meu coração grita você.
Ame-a. Por favor. Clemência!
Anuncie o nome desse amor,
depois de apor as reticências.

Peço-te. Grite, pois eu não posso,
é um senão, não é demência.
Por isso guardo aqui no meu peito
todo esse sabor, de te amar.

Perdoe se o poeta é brejeiro,
e que sorrateiramente flerta,
fazendo-se por vezes de menino,
para que você não o esqueça.

Quisera que o ontem fosse agora,
que o tempo não tivesse hora
para o tanto que temos a dizer.
Segundo, passa a ser demora.

Não, não posso dizer que te amo
como grita o meu coração.
Por isso faço de você poesia
no clamor dessa minha paixão.
 
FAÇO POESIA POR NÃO PODER DIZER QUE TE AMO

COLHEITA

 
.
.
.
queria ele morrer num sorriso teu...
digo; não porque isso pareça poesia,
ou por que talvez alguém possa sofrer...

não; é que pressinto a morte do poeta,
o tempo urge ceifando o trigo maduro,
e o último poema ainda está por escrever.

ele sofre por não querer deixá-lo inacabado.
na pena, não há mais lágrimas, nem sangue.
imprescindível é teu sorriso neste momento.

sorria! faça com que o poeta vá sossegado.
envelheceu, e nem bebeu o tinto todo da taça.
 
COLHEITA

POETEIRO

 
.
.
.
Ser errante e seus fardos,
abarrotados de mil temas,
sombras de enes palavras,
raros intermináveis dilemas...
Tendo a pena em sua mão,
vendo a lua flertar com o astro,
ou o riscar do invejoso cometa;
descerra logo o poema na canção...
A mente, num voar inconsequente,
transpassa o viajante, aloucado,
para além, bem além do inconsciente;
ou d'algum olhar mais indiferente...
Deixa-se levar nesse sequestro,
quais os poetas `madrugueiros`,
de deambulares tão corriqueiros;
sempre só num partir e num voltar,
sem decidir se se avizinha pra ficar...
É boêmio, é compulso, é confesso;
mas mente que no ostracismo está...
Está nas ruas calçadas de pedras,
nas esquinas notívagas, sombrias,
perfumadas de amor e (a)amar...
Arguido faz-se poeta no momento,
diz franco dos ébrios fragmentos;
de fumaça, bebidas, do ar escasso,
no mármore frio d'uma mesa de bar...


https://photos.google.com/photo/AF1Qip ... IpMPljOFc280LYhjiiz9iwRUw

https://www.facebook.com/permalink.php ... 097353&id=100005322645796
 
POETEIRO

CAÇADOR DE BORBOLETAS (Letra/Vídeo)

 
 
Título: CAÇADOR DE BORBOLETAS
MPB - Canção
Autor: Letra/Melodia/Voz/Violão - ZéSilveira
(inspirado numa obra da poeta HelenDeRose)
https://www.youtube.com/watch?v=Cwh2FaNHBxk

Eu entrei, no portal dos teus olhos,
são jardins encantados
Inda lembro, sua alma sorrindo,
teu coração a pulsar
Caçador, que sou de borboletas,
a correr pelos campos...carmesins
Colorindo, a poesia que sinto...em mim
Nas paineiras, os frutos eclodem,
revoam em nuvens de algodão
Bem fazendo, um bailado singelo,
que faze sorrir, meu coração
No instante, sou aquele menino, com olhar fantasia
Verdes heras, na cor da quimera...entrelaçando alegrias
Se sozinho, nas noites estreladas, canto uma canção de amor
Teu chorar, é igual melodia, saudade de mim...despedida sem dor
Vislumbrei, borboletas azuis, voando do céu, ao meu coração
Onde mora, minh'alma esquecida, do seu beijo emoção
-
No instante, sou aquele menino, com olhar fantasia
Verdes heras, na cor da quimera, entrelaçando alegrias
Caçador, que sou de borboletas,
a correr pelos campos...carmesins
Colorindo, a poesia que sinto...em mim
 
CAÇADOR DE BORBOLETAS (Letra/Vídeo)

APESAR DE; SERÁ NATAL!

 
.
.
.
Já estávamos em confinamento social quando ares outonais frutificaram, e, em meio aos diferentes e verdejantes brilhos, pareceu-me até que as folhagens maduras desprenderam-se mais breves e tristes este ano, cada qual no seu momento, desde as das frondosas árvores aos mais tenros e perfumados arbustos quaresmais... O inverno, plúmbeo como sempre, até que tentou aquecer-nos com inesperados veranicos, talvez para recepcionarmos a primavera com aquela alegria contumaz, dela chegando para nos saudar, estampando sua face florida e ensolarada de olores! Hoje o verão já se faz sentido na tez, iniciando esses tempos de Natal, o que não tenho certeza, é se será iluminado, festivo e presenteado como os anteriores; tomara que esteja eu completamente enganado; tomara! Todavia, ao invés de lamentarmos-nos, elevemos as mãos ao céu e agradeçamos poder, mesmo sem festas, mas com toda pompa e circunstância, comemorarmos por sabermos sobreviventes e saudáveis, junto aos nossos queridos entes e todos quais consideramos amigos irmãos; desejando-os com saúde e paz no coração. Que o Natal seja também um templo virtual às nossas preces de bons augúrios, e sem lamentos pelos que foram ceifados abruptamente do nosso alegre convívio. Ao invés de lamentos; toda alegria, confiança e fé de trespassarmos as adversidades impostas, alheias a nossa vontade!
Já é Natal, e sem dúvida, creio num Ano Novo melhor para todos nós!
BOAS FESTAS!

(ZéSilveira)

https://m.facebook.com/story.php?story ... 297217&id=100005322645796
 
APESAR DE; SERÁ NATAL!