https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Doctorstrangelove

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Doctorstrangelove

A guerra da sintonia

 
A guerra da sintonia



Verdejantes beijos
boca procurando boca
suspiros
de corações apertados
verdadeira paixão
em mentes alucinadas


Correrias loucas
de mãos
por corpos frementes
e pontas de dedos
tocando as teclas
do prazer

Olhos devorando olhos
sussurros inundando
os sentidos
arrepios percorrendo a pele
da base ao vértice
e voltando

Sinfonia
de sons guturais
respirações entrecortadas
por arfares rápidos
e gemidos poéticos
de leite e mel

Estímulos
avanços e recuos
procurando a sintonia
de corpo invadindo corpo
em busca de uma dor doce
gradualmente inebriante

Trovoada quente
de fim de tarde de Verão
deixa a terra húmida de prazer
em abraço absoluto
de conquista
ofegantemente partilhado

Já não se escutam
as fortes trombetas
nem ecoam sons repetidos
de tímbales ensurdecedores
pois terminou a batalha
e repousam os guerreiros

Corpos cansados da guerra
os espíritos pacificados
árduos soldados
na mesma trincheira
em busca de glória
e sintonia


Doctorstrangelove
 
A guerra da sintonia

A razão

 
A razão

Sei que havia uma razão
para não escrever
este poema

Era uma grande razão
uma bela razão
uma razão formidável

Mas como esqueci
qual a razão existente
...aqui está ele!


Doctorstrangelove, Junho 2006
Doctorstrangelove © 2006 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
Written Under My Pen Name DOCTORSTRANGELOVE
Copyright © 2007 All Rights Reserved
 
A razão

Beijo ardente

 
Beijo ardente


Entrei numa guerra
onde por mais que lute
não saio vencedor
nem vencido

Desejo esquecer-te
e amo-te cada vez mais

Por isso te mando
o meu beijo ardente
que nunca te dei
mas que me queima os lábios
se não to entregar


Doctorstrangelove
 
Beijo ardente

A dois

 
A dois


Absolutamente clássico
belo romântico
momento especial
o encontro
a atracção imediata
sabendo que o outro é a metade
a partilha

O Tempo testará o amor
sem que se preocupem
com o tempo
só o amor importará
as carícias
as coisas simples
a dois


Doctorstrangelove, Junho 2006
Doctorstrangelove © 2006 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
Written Under My Pen Name DOCTORSTRANGELOVE
Copyright © 2007 All Rights Reserved
 
A dois

Semente de Lótus

 
Semente de Lótus

Quero tê-la nos meus braços
até que o fogo dos Céus
se transforme em gelo
beijar-lhe a alma
e não a deixar
até que os mares sejam pedra
e os rios sejam fracos
quero mantê-la sublime e eterna
tão perto como os verdes abraços
guardá-la bem dentro
até que o Tempo se tranforme
em simples semente de Lótus

Doctorstrangelove
Doctorstrangelove © 2007 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
Written Under My Pen Name DOCTORSTRANGELOVE
Copyright © 2007 All Rights Reserved
 
Semente de Lótus

São vozes... apenas

 
São vozes... apenas


São essas vozes
vozes escondidas
sob as pedras
que não me deixam dormir

São essas vozes
que não ouves
mas que se não calam
e não me deixam repousar

São essas vozes
vozes de injustiças
vozes de justiças
que não me deixam sossegar

São as vozes
ouves?
as vozes dos que já foram
que se não calam

São as vozes
dos homens inocentes
as vozes dos culpados
já são só vozes

Vozes apenas
de quem sempre falou
vozes tão só
de quem nunca o fez

São vozes pequenas
eu sei
sumidas
mas são vozes

São vozes
não as ouves?
as vozes...
não te chegam?

Essas vozes eu oiço
no coração
são vozes humanas
como a minha

Vozes que tu não ouves
não és humano?
não as ouves
como eu?

Como pudémos permitir?
como podemos permitir
que se elimine uma vida
fingindo resolver um problema?

Não as ouves?
não somos humanos
tu e eu?

Eu entendo...
sao só vozes...
...apenas vozes.

Doctorstrangelove, 21 Janeiro 2007
 
São vozes... apenas

Preciso

 
Preciso



Preciso dizer-te
a todos os momentos
e em qualquer lugar
como és única
para mim.

Preciso dizer-te
que nunca me aconteceste
e que escreves silenciosa
com a força de uma tempestade
dentro e fora do meu corpo.

Preciso dizer-te
que devolves a parte de mim
que perdi com o tempo...
a parte que a vida comeu
e foi corrosivamente usurpando.

Preciso dizer-te
que estou a lembrar-me do que já fui
e que tu és a razão desta viagem
desta aventura de recuperação do eu
do eu que ainda amo.

Preciso dizer-te
quão grande é a dor
como a viagem é penosa
mas que está a acontecer
e que esse é o tesouro.

Preciso dizer-te
que ressurgiu o medo
o temor do abismo
da deriva total
mas que voltou o sorriso.

Preciso dizer-te
que voltou o prazer de ver
e ser visto
a vontade de estar
e o gosto de dar.

Preciso dizer-te
porque preciso que saibas
que és tudo isso para mim
até que o saibas
sem ser preciso dizer-te.

Doctorstrangelove, Fevereiro 2006
Doctorstrangelove © 2007 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
 
Preciso

Rodopio

 
Rodopio


No Mar
do teu olhar
em profundidade
de azul escuro
sofrido

Na areia
do teu cabelo
a luz do Sol
invasão colorida
em cascata

No céu
da tua Alma
o coração voa
persistente
em harmonia

Na concha
da tua mão
sobrevivo
transformado
em rodopio de ti

Doctorstrangelove, Outubro 2006, Porto Santo
Doctorstrangelove © 2006 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
Written Under My Pen Name DOCTORSTRANGELOVE
Copyright © 2007 All Rights Reserved
 
Rodopio

O muro

 
O muro


Lágrimas no muro
são sussurros
que sangram na pedra
abraçando o gelo
deixadas à morte

Os sons pungentes
sob a mortalha
em movimentos larvares
elevam-se grotescos
afundam-se no solo

Mas as palavras
continuam em fogo
cortando pedaços
do espesso muro
que é a minha alma

E por entre as pedras
as pequenas flores
de uma nova Primavera
captam a luz
matizam o negro
do muro


Doctorstrangelove
 
O muro

Através da janela

 
Através da janela


Olho através dela
e vejo através da luz
através dos prismas
que a minha vista trespassa

Olho através da janela
e a visão mantém-se
sombras de cores
apenas reflectem a noite

Olho através dela
vejo a vida em ebulição
olho de novo
e vejo-me por dentro

Olho através da janela
está lá tudo
onde sempre esteve
para onde nunca olhei

Através da janela


Doctorstrangelove, Julho 2006
Doctorstrangelove © 2006 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
Written Under My Pen Name DOCTORSTRANGELOVE
Copyright © 2007 All Rights Reserved
 
Através da janela

Tu em mim

 
Tu em mim



Não sei porque em mim
o tempo passa
e tu não passas,
ficando sempre aqui...
na minha mente,
aconchegada.

Em nenhum momento estou só,
mesmo estando sózinho.
O tempo passa
como passam as nuvens,
os rios,
os ventos,
tudo,tudo enfim.
Sem fim.

Olha
olha para mim.
Diz se ainda sou o mesmo
a quem amaste
a quem te deste...
diz.

O meu coração é teu
instintivo,
como é devido...
natural e carnal,
como o teu amor é meu.
Não morre como tu
como eu.

Por mais que o tempo passe,
por mais que o relógio corra
tu vais ficando em mim,
cada vez mais.
Mãe.

Doctorstrangelove
 
Tu em mim

Novo dia

 
Novo dia


Dedilhantes fios de luz
arranham as janelas
balanceiam selvagens
e entram por debaixo da porta

Invadem os silêncios madrugadores
empalidecendo as sombras
ameaçadoras e rastejantes
e derretem o frio da noite

Abraçam as paredes nuas
encontram pasto para as chamas
que com sede desmedida
vão devorando a escuridão
no alinhavar de um novo dia

Doctorstrangelove
 
Novo dia

Vou a caminho

 
Vou a caminho

Vou a caminho
da tua pele macia
da tua boca
dos teus olhos
do cabelo perfumado
e dos beijos suaves

Vou ao encontro
do teu carinho
qual lâmpada mágica
que transforma
a minha dor
em alegria

Vou sentir o respirar
do teu corpo
no meu

Vou bastar-me
de olhar
o teu olhar

Espera-me amor
que já vou a caminho

Doctorstrangelove, 25/02/2007
 
Vou a caminho

Não sou poeta

 
Não sou poeta

Não sou poeta sem as palavras
não sou poeta sem a música
não sou poeta sem os versos
não sou poeta sem a inspiração
não sou poeta sem a musa
não sou poeta sem o sonho
não sou poeta sem a beleza
não sou poeta sem os sentimentos
não sou poeta sem as emoções
não sou poeta sem a dor
não sou poeta sem o desejo
não sou poeta sem o Amor
não sou poeta sem a paixão
não sou poeta sem a Natureza
não sou poeta sem a Vida
não sou poeta sem o Sol e a Lua
não sou poeta...
não sou!

Doctorstrangelove, Maio 2006
 
Não sou poeta

Escrevo...

 
(História de mim?)

Escrevo...

Escrevo por necessidade.
Urgente necessidade de materializar.
Materializar as ideias.
Materializar os sonhos.
Materializar as filosofias.
Materializar os sentimentos.
Materializar as emoções.

Não escrevo por escrever.
Não escrevo para os outros.
Não escrevo para publicar.
Escrevo para mim e por mim.
Para mim e, para aqueles com quem gosto ou necessito partilhar o que dentro de mim fervilha.
Por mim, porque me é impossível não o fazer.

Eu sou o X e o Y.
Sou o princípio e o fim.
Sou um Deus menor, parte da Energia Universal.
Sou completamente incompleto.
Imortal, como outro qualquer.

Escrevo com saudade, alegria, nostalgia, dor, felicidade, mágoa, ilusão e desilusão, esperança, mordacidade, irreverência, humor mas, nunca, nunca com tristeza.

Sou feliz.
Feliz, apesar de tudo.
Feliz por pouco e quase nada.
E amo.
Amo tudo e todos.
Amo e confio.
Sou rigoroso e puro.
Honesto e leal.
Terno e tolerante.
Sensível.
Sou ingénuo e gosto.
E, defeitos tenho, até.

Sou alto e forte.
Nada temo.
A ninguém ataco.
Estou pronto para morrer.
Pronto para morrer e, de novo viver.
Quero paz.
Estou em paz.
Estou nú, sempre.
Transparente.
Não me oculto.
Não uso capa.
De outro modo não quereria viver.
De que outra maneira poderia viver?

Doctorstrangelove
 
Escrevo...

A guitarra e tu

 
A guitarra e tu


Fala-me dos teus sonhos
deixa que os oiça
enquanto marco o compasso
ao teu ritmo
enquanto tocas as minhas cordas
enquanto acaricias a minha alma
vai sentido a harmonia
a compasso.


Doctorstrangelove, 2006
Doctorstrangelove © 2007 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
 
A guitarra e tu

Parte de mim

 
Parte de mim

Que parte de mim
sou eu?
aqui
sou só
uma face do eu
de tantos eus
até chegar a Deus
lá em cima
sou o azul de asas
daquela ave?
e do sal
que sou
e da nuvem
que parte
e do pedaço de cortiça
que vai na onda
sem saber quão profundo é o mar
e de ti?
que parte sou?
que parte de mim és tu?
daquela estrela
que brilha e reflecte
no fundo
de um olho triste
que a fita
quase sem querer
que parte sou?
da gota de chuva
que veloz cai
nas barbas brancas
daquela onda
que reluz na areia
triste
da praia deserta
que um homem
para trás deixou
há muito
muito tempo
que parte sou?
da voz suave
e meiga
do vento que
me traz a tua
em turbilhão de saudade
em confusão de sentimento
que parte sou?
do fogo
calor de luz e de cor
que de dentro
se solta e te envolve
sem saber
de ti
que parte sou?

E afinal
que interessa
que parte sou
ou que parte de mim é?

Doctorstrangelove 2004
 
Parte de mim

A própria cama fazer

 
A própria cama fazer


O modo como me falava
era tão desprendido
tão desprovido de sentimento
como se pedisse um café

Não foram as suas acções
que me magoaram
nem as palavras que não me disse
mas as palavras que me atirou

Não me magoará mais
nem mais uma dor
estou tão cansado
de estar cansado

Sem vergonha em admitir
o sofrimento do passado
escolho agora não ter dor
decido apenas por mim

Não quero ter mais dor
nem ponta de desespero
bani o sofrimento e a tristeza
matei o choro no silêncio

Deixei de ser vítima das atitudes
vítima do meu conformismo
fiz a minha escolha
agora decido por mim

Todos podemos escolher
a cama onde nos deitamos
só não escolhe quem não quer
a sua própria cama fazer


Doctorstrangelove
 
A própria cama fazer

O Livro do Amor

 
O Livro do Amor



Mastigo as palavras
soletro as ideias
fundo-me com ambas
dança louca
frenética
no papel

Não sei
sonhei...
vi tudo, tudo
com os olhos fechados
os lábios sorrindo
o coração apertado
mas tranquilo

Frases tão cheias
espírito tão leve
letras lentas e pensadas
sentimento solto
forte e intenso
de luz
e dor

Escrevi e escrevo
e volto a escrever
sem descanso como se fosse sempre
a primeira vez
como se escrevesse hoje
a primeira frase
do Livro do Amor

Doctorstrangelove, 26 Outubro 2005


Doctorstrangelove © 2007 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
 
O Livro do Amor

Reflexo de vida

 
Reflexo de Vida


Vejo o reflexo
na água que desce no ribeiro
com os raios de luz
a mostrarem um estranho
...como num sonho

Coisas que não controlo
imagens que nunca vi
quando o Sol expõe
a minha Alma lívida
assustada com a descoberta

Nem as copas das árvores
nas margens
me conseguem esconder
da amarga Vida
que me magoou o coração

Nesta vida insidiosa
mesmo para alguém como eu
existe uma réstea de Esperança
que solta o peito
e o deixa voar

O Espírito é forte
porque é eterno
e alimenta-se no Céu
contrariando preocupações
remando contra marés

E bem no fim
quando a Vida fenecer
será ele o vencedor
triunfará sobre a Morte
na água do ribeiro

E a sua voz troará
pela encosta da montanha
pelos cantos do Universo
por mim chamando
de novo à Vida.

Doctorstrangelove, Março 2006
Doctorstrangelove © 2006 (Permission to reprint and use granted so long as no modifications are made and appropriate credit is given)
Written Under My Pen Name DOCTORSTRANGELOVE
Copyright © 2007 All Rights Reserved
 
Reflexo de vida

Doctorstrangelove - Portugal