https://www.poetris.com/
Olavo Bilac : Nel mezzo del camim...
em 14/12/2008 22:50:00 (10488 leituras)
Olavo Bilac

Nel mezzo del camim...

Olavo Bilac


Cheguei. Chegaste. Vinhas fatigada
E triste, e triste e fatigado eu vinha.
Tinhas a alma de sonhos povoada,
E alma de sonhos povoada eu tinha...

E paramos de súbito na estrada
Da vida: longos anos, presa à minha
A tua mão, a vista deslumbrada
Tive da luz que teu olhar continha.

Hoje segues de novo... Na partida
Nem o pranto os teus olhos umedece,
Nem te comove a dor da despedida.

E eu, solitário, volto a face, e tremo,
Vendo o teu vulto que desaparece
Na extrema curva do caminho extremo.



**************************************************


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
cleo
Publicado: 15/12/2008 12:24  Atualizado: 15/12/2008 12:24
Luso de Ouro
Usuário desde: 02/03/2007
Localidade: Queluz
Mensagens: 3857
 Re: Nel mezzo del camim...
Muito bonito, sem dúvida!

Tomei a liberdade de ir pesquisar algo com algum som, que ilustrasse melhor este poema e o que encontrei foi só isto...

http://www.youtube.com/v/RxJNUeijL5c&hl=en

Beijo Helen

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/12/2008 18:03  Atualizado: 24/12/2008 18:03
 Re: Nel mezzo del camim...
Verdadeiramente é um belíssimo poema de despedida. A vida é assim, repleta de chegadas e de partidas, e onde ninguém fica de verdade...
Um escolha perfeita.

Links patrocinados

Visite também...