https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A morte pela janela

 
Espreito pelo vidro da janela,
E vejo a morte a passar,
Ainda lhe aceno para ver se ela me vê,
Mas ela vai sempre a andar!

Ainda não chegou a minha hora,
Mas estou morto por chegar,
Estou farto disto!
Para sempre quero descansar…

Num sitio onde não me criticam,
Onde não sou alvo de chacota,
Onde tudo é ilusão,
Onde só existe “sim” e nunca “não”

Num sitio onde não me apaixono,
Para depois não sofrer,
Num sitio onde para sempre posso chorar,
Porque ao teu lado, nunca pude estar!

Que posso eu fazer, se não for morrer!?

Os comentarios são o alimento pelo qual me alimento.
Comentem.
 
Autor
gustavobastoz
 
Texto
Data
Leituras
496
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
carolcarolina
Publicado: 28/02/2010 00:38  Atualizado: 28/02/2010 00:38
Colaborador
Usuário desde: 24/01/2010
Localidade: RS/Brasil
Mensagens: 9300
 Re: A morte pela janela
Oi poeta!
Cá estou eu de novo, teus versos retratam muita tristeza, não retratam um menino de 15 anos.
Espero que sejam só inspirações poéticas.

Bjo no teu ♥
♫Carol