https://www.poetris.com/
 
Crónicas : 

O HOMEM QUE VIA ALÉM DOS OLHOS II

 
Januário com sua paranormalidade, enxergava além do que os olhos do ser humano normal, podiam ver: outras dimensões, outros seres, outras épocas...

O ano era 2001...
Certa vez, Januário resolveu plantar milho no terreno da casa que tinha alugado, até que encontrasse uma para comprar, pois nessa que ele estava, era de 'posse', sem documentação, e ele não iria correr o risco de comprar um imóvel sem os devidos papéis em dia legalmente...
A casa era pequena, mas de grande terreno.
Tinha apenas 1 quarto, sala, cozinha e banheiro, Januário queria comprar uma de 2 quartos, porque ele e sua esposa, tinham uma filha de 4 anos e meio. O ideal era que ela tivesse o próprio quarto já que havia saído do berço...

Mas, voltando ao desejo que ele teve de fazer seu milharal:
Já que a propriedade era grande, comprou os grãos roxos de milho, porque lhe disseram na loja agrícola, serem os melhores para esse tipo de plantação artesanal...
Ele, a esposa e a pequena Catarina, fizeram o plantio durante uma manhã. E nos dias seguintes molhavam na parte da tarde, cuidando com carinho...
Quando o milharal se formou, Januário ficava sentado entre os pés de milho, tomando uma 'fresca' de tardinha e observando sua obra.
Até que chegou a época da colheita...
Januário estava ansioso para colher o produto de seu esforço, e nesse dia, se sentou como de costume, entre os pés de milho para começar a retirada, foi quando algo estranho se deu:
Ele viu a figura mórbida da MORTE!
Tal qual aparece nos filmes, desenhos, contos...
Uma entidade que ele imaginou que fosse apenas fruto da criação humana, mas que estava ali, em sua frente, do outro lado do milharal:
De capa preta, rosto enevoado e foice...

Ele ficou nervoso, e achou que isso queria dizer que estava prestes a morrer, revelando para sua esposa, o que havia visto minutos antes...
Certo é que, ele durou ainda, exatos 7 anos, (2008) desde o dia que viu 'A MORTE'...

Fátima Abreu
É verídico!
 
Autor
FátimaAbreu
 
Texto
Data
Leituras
556
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.