https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

*Erma*

 
Ah solidão de alegro!
Que caminhas comigo esse rumo na escuridão,
Vestindo os meus medos de negro,
E apanhando os meus cacos do chão,
Como te posso recusar a compaixão?


E como exaltas de ti essa alegria,
Em risos de criança mimada,
Soltando de ti essa nostalgia,
Que arrasta e puxa de mim a vida,
Que tanto proclamei como querida…


E tu que te vestes de egoísta,
Só olhando para o teu vestido rosa,
Matas mais um sentimento altruísta,
Deixando de presente o vazio da furiosa,
E o peso na alma penosa.


Ah solidão de alegro!
Que te ris quando te expões a me olhar,
Pintando a minha alma de negro,
Secando todo o meu mar,
Que já não verte águas de caiar…


Marlene Carneiro

O meu Blog: http://ghostofpoetry.blogspot.com


Open in new window


 
Autor
Ghost
Autor
 
Texto
Data
Leituras
565
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.