https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

*Amor e Ódio*

 


"Se te pudesse compreender nessas ondas do meu mar, e delas retirar esse sal que me caia o sangue e arde ao tomar esses teus beijos como estalos de desejos..."

Open in new window


Se as correntes desse teu inferno,
Que não beijam mais esses meus sonhos de mar,
Vierem martelar o desejo terno,
De poder ainda te encontrar,
Para lá do precipício que insistes em criar!

E tilintam essas correias cavalgando pelo mar,
Que tão cinza se bebe!
Que tão negro se quer tornar!
São ásperos os desejos dos gritos da plebe,
Enclausurada nos confins da tua sebe.

Ah como desnudo o meu corpo,
E devolvo essa vida que tomaste ao afogar,
Nas ondas que embatem e quebram,
Com a ira que vai e que quer voltar,
Ao te querer, ao te odiar e na morte ao te amar!

Marlene Carneiro


Open in new window


______________________________________________
Amor-ódio é um sentimento estranho ou a proximidade dos dois, que despertam em nós seres humanos a vontade de fugir e de permanecer.
 
Autor
Ghost
Autor
 
Texto
Data
Leituras
3075
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
varenka
Publicado: 21/10/2011 00:23  Atualizado: 21/10/2011 00:23
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2009
Localidade:
Mensagens: 4211
 Re: *Amor e Ódio*
Arrasou querida poetisa!Marlene vivas!Mil beijos.Varenka


Enviado por Tópico
Transversal
Publicado: 21/10/2011 03:36  Atualizado: 21/10/2011 03:36
Colaborador
Usuário desde: 02/01/2011
Localidade: Fortaleza - Lisboa
Mensagens: 3687
 Re: *Amor e Ódio*
"Se te pudesse compreender
(n)esses meus sonhos de (a)mar
são ásperos os desejos
ao te querer, ao te odiar,
e...na morte ao te amar!"

Bem, um texto que "arde...como estalos de desejos", "com a ira que vai e que quer voltar", Excelente esse amor-ódio(?), que interrogo assim como o "afogar". Leitura minha apenas. Como estava a ouvir Os Humanos (a cantar António Variações) deixo um pequeno trecho que me parece coincidir com "Amor e Ódio"


"A culpa não, não é do mar, se o meu olhar se perder
A culpa não, não é do mar, se o meu olhar se perder

A culpa é da vontade, que tenho de te ver,"


Abraço-te