https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Quando digo de mim

 
Tags:  memórias "in"  
 

Quando digo de mim
há um bocal ofuscado que me suga
nos beirais dos olhos insanos
um ciclo perigoso cola-se ao peito
e desdiz as mares secas dos olhos

Quando digo de mim
da ponta do espinho solta-se
o reverso do tempo por onde escorre
enxames de beijos roubados
presos à boca.

Alucinando…

Quando digo de mim
o aço estremece
na lisura dos dedos febris
e as partículas adormecidas
gemem ao lado do vento
famintas de ti

Quando digo de mim
calo-me num rosário aceso
na sombra da noite


Escrito a 14/11/14
 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
755
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
2
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 16/11/2014 05:21  Atualizado: 16/11/2014 05:21
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Quando digo de mim
calo-me num rosário aceso
na sombra da noite.

só esse verso é um poema inteiro.
obrigada... bjs