https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Espera

 
Nem sei quanto tempo leva
Para que chegue o meu amor,
Digo, a minha pequena Eva,
Abaixo da linha do Equador.

Que pena que aqui não neva!
Mas sou compensado pelo calor
Que dissipa toda tênue treva
Que insista em nos interpor.

Espero que venha num dia calmo
Quando soprar suave a suave brisa
para que nos alivie e nos refrigere.

Que seja confortante como um salmo;
Macio e manso como as águas do Tâmisa;
Que não doa, por mais que eu... Te espere!


Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
639
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
20 pontos
6
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/12/2014 14:09  Atualizado: 06/12/2014 14:09
 Re: Espera
Mais uma pérola...às vezes demora um pouco para crescer, e as vezes nem vem...mas acreditar que chegará já é o primeiro passo...Parabéns meu amigo, gosto muito de estar aqui. Abração.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/12/2014 14:25  Atualizado: 06/12/2014 14:25
 Re: Espera
a paciência é a grande virtude dos poetas e dos amantes. belo soneto, Gyl.


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 06/12/2014 15:09  Atualizado: 06/12/2014 15:09
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Espera
Saber amar, implica em saber esperar. Que a espera seja de fato confortante como um salmo!

Parabéns!


Abraços,e feliz final de semana!