https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

cores da ablepsia

 
(reeditado)


Nos olhos em profundo sono

toco o fundo lacustre do

perfil tisnado do meu olhar.


Entre vultos sonolentos ouço

mistérios azul cobalto

nas conchas das tuas mãos.



Ensombradas e moribundas ogivas

entram nos dias rasos

sombras em pura surdina.


De mim tudo esqueço

correndo na penumbra do odor

da cor amortecida da vida.


E, pelo baço olhar dos dedos

acho o tingido das papoilas

na aragem dos trigais.


Se os olhos sonhassem

levar-me-iam nas asas da tua voz

pintar o nascer do sol

e subir na olência

do carmesim da tua boca.








Zita Viegas















 
Autor
atizviegas68
 
Texto
Data
Leituras
430
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 27/12/2014 00:13  Atualizado: 27/12/2014 00:13
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
Online!
 Re: Olhos em profundo sono
Sentimentos que se traduz nas esplenoncias que regem pela vontades trigais amortecido pelos cheiros de uma essência que vem das olências d e nossas peles que se tocam