https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Muitas Lágrimas

 
Tags:  solidão    tristeza    Muitas Lágrimas  
 
Quantas vezes diante do mar caí aos prantos
E de mim saíram lágrimas vermelhas?
Por quanto tempo chorei estes meus tantos
Queimando-me como as fortes centelhas

Quantos dias pude habitar este inferno
Devorador de almas,denso e cálido?
Matando cada sentimento terno
Por ser de força do meu próprio hábito?

Tanto quero ver a felicidade
Pela qual o coração me esconde
Impossibilitando-me de à ter

Apesar de minha pouca idade
A dor de minha mágoa não responde
Qual a razão da tormenta aparecer


 
Autor
MatheusBelfort
 
Texto
Data
Leituras
853
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
10
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
kripy
Publicado: 14/04/2015 07:13  Atualizado: 14/04/2015 07:13
Membro de honra
Usuário desde: 26/05/2010
Localidade:
Mensagens: 3060
 Re: Muitas Lágrimas
meu grande amigo MatheusBelfort,na vida nunca é cedo demais para sofrer nem nunca viveremos tempo que chegue para esquecer,aquele abraço amigo,Kripy.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/04/2015 11:03  Atualizado: 14/04/2015 11:03
 Re: Muitas Lágrimas
Um lindo poema sentimental


A lágrimas são as dores em sentimentos de nossos corações se expondo pelos olhos em forma de emoções.


Enviado por Tópico
Ro_
Publicado: 15/04/2015 01:58  Atualizado: 15/04/2015 01:58
Membro de honra
Usuário desde: 25/09/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 3985
 Re: Muitas Lágrimas
Tão lindo e triste, Matheus!
Um beijinho, querido!


*-*


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/04/2015 06:40  Atualizado: 15/04/2015 06:40
 Re: Muitas Lágrimas
Bravo!
Dizem que as lágrimas apesar de serem
salgadas adoçam a alma.
Eu prefiro viver sem elas e usá-las
para adoçar os versos.

Amei a leitura!

Parabéns poeta Matheus


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 18/04/2015 06:24  Atualizado: 18/04/2015 06:24
 Re: Muitas Lágrimas
Que dizer de tamanha belezura nesse poema