https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Aos olhos do poeta fingidor

 
Open in new window

Se atrás do verso esconde o reverso,
O poeta não escreve, solta o mal
Que lhe come a alma parcial,
Na hora de atonar o seu lado imerso

Se a rima vem antes ou depois do verso,
Cabe ao poeta situar suas emoções
N’opinar livre de obscenas presunções,
Que lhe come o coração perverso

Se o poeta se tornar num crítico ou professor,
A poesia perde a subjetividade e a razão
Aos olhos dos leitores atravancados

Se aos olhos do poeta fingidor
A poesia se converter no oposto da paixão,
A verdade foge da razão no reino dos desalmados

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
433
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
2
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 07/03/2016 14:37  Atualizado: 07/03/2016 14:37
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9249
 Re: Aos olhos do poeta fingidor
Bom dia Adelino, teus versos enredam as premissas que devem reger a aura do poeta com muita premência, e circunstâncias, parabéns pelo vosso eloquente poema, um abraço, MJ.