https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Labaredas

 
Meu amor se assemelha à brasa:
Um assopro vindo das suas veredas
Mesmo ressentido, se reacende
Ferozmente em línguas-labaredas.

Às vezes ele se parece com semente
De uma flor que ainda não desabrochou
Porém foi fecundada profundamente
No âmago do meu primeiro amor.

E sendo o meu amor, do seu, diferente
( O seu parece que se acabou aos poucos)
Percebo que amor de coração e de mente
Só os tem os adolescentes e os... Loucos!

Como eu já passei por cima dos montes
E vejo em minha frente uma longa descida
Fico daqui, do cume, a desenhar horizontes
A rimar meus amores com a metade da... Vida!




Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
547
Favoritos
5
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
57 pontos
7
5
5
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 26/01/2017 14:41  Atualizado: 26/01/2017 14:41
 Re: Labaredas
Oi
As labaredas acesas acenam para um final feliz...
Muito bom ler-te
Sempre...
Bjo


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 28/01/2017 12:20  Atualizado: 28/01/2017 12:20
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: Labaredas
Muito lindo, como sempre! Abraço Vólena

Se o amor
é morrinhento
queima
fica carvão.
Mas se
o espevitar
fica em brasa
o coração.
Só vejo
a subida
a rimar
com a vida!
Não esquecer
de médico e louco
todos temos
um pouco!

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 28/01/2017 12:21  Atualizado: 28/01/2017 12:21
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: Labaredas P/Gyl
Muito lindo, como sempre! Abraço Vólena

Se o amor
é morrinhento
queima
fica carvão.
Mas se
o espevitar
fica em brasa
o coração.
Só vejo
a subida
a rimar
com a vida!
E não esquecer...
de médico e louco
todos temos
um pouco!


Enviado por Tópico
Eureka
Publicado: 31/01/2017 12:37  Atualizado: 31/01/2017 12:37
Colaborador
Usuário desde: 02/10/2011
Localidade: Lisboa
Mensagens: 4280
 Re: Labaredas P/ Gyl
Bom dia Gyl,

Mas que belas labaredas, aquecem este poema.

Mas continue a rimar poeta, por favor, continue sempre a rimar, como o fez aqui, a nos fazer sonhar nesse amar, nesse amor, que em todos encontra lugar para desabrochar.
E,continue a desenhar horizontes, para dar lugar aos inúmeros versos de amor que todos nós haveremos de compor.

Tão belo, tão adequado que se faz inspiração Gyl.
Gostei tanto dessa partilha, mas tanto, mesmo. Parabéns.

Beijos
Eureka