https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Crítica : 

Até o mais fino "emerda" (aos atritos na Luso)

 
Open in new window

Há no homem inata apetência
Para meter a mão na merda.
Por fado ou desinteligência
É uma coisa que se herda!
Nunca vi rei ou presidente
Chegar se perto da gente
E dizer limpem-me o cu.
E lá vai a mão, limpar a dita
Levando um papel fino
Que por vezes o destino
Ou a força de o limpar,
Muitas vezes faz rasgar
Sujando a tal mãozinha
Levanta-se e sobe as calças
E descarrega a sanita.

Cavaleiro.sem.dama

 
Autor
cavaleiro.sem.dama
 
Texto
Data
Leituras
302
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/02/2018 14:13  Atualizado: 05/02/2018 14:17
 Re: Até o mais fino "emerda" (aos atritos na Luso)
Se Deus fosse temer o atrito não teria criado o homem.
Se temesse a cruz não viria homem.
Isto do ponto de vista criacionista.
Na maioria das vezes um comentário simples como este já é motivo de me apedrejarem.
O que não existe aqui é a discussão de ideias.


Enviado por Tópico
Legan
Publicado: 05/02/2018 21:51  Atualizado: 05/02/2018 21:51
Super Participativo
Usuário desde: 26/01/2010
Localidade: Algures em Trás-os-Montes
Mensagens: 165
 Re: Até o mais fino "emerda" (aos atritos na Luso)
Diria mais isso é o que se passa no mundo infelizmente.
Quando ao Luso sempre houve atritos e sempre haverá...

Abraço

José Coimbra