https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

HIPÁTIA, A GRANDE

 
Tags:  OITAVAS  
 
HIPÁTIA, A GRANDE

"Reservai-vos o direito de pensar. Mesmo pensar errado é melhor do que não pensar." Hipátia d'Alexandria¹-

Opróbrio dos cristãos d'Alexandria...
Anátema a seus santos assassinos!!!
Por que Hipátia foi morta?! Bruxaria?
Monstros esses irmãos alexandrinos!...
Que n'um acto d'extrema covardia
Da igreja silenciam missas e hinos
Para a lapidação d'essa inocente
Fiel à Filosofia tão-somente…

Desnudaram-na bem diante do altar 
E a mataram debaixo de calhaus…
Morreu por ser mulher, livre pensar!
Não se curvando a santos homens maus,
Que, interessados antes em mandar,
Arrastam o seu corpo por degraus
E nas ruas, em triunfo, eles a expõem
Àqueles que consigo se indispõem.

Malditos sejam! Corja de ignorantes!
Sequazes a serviço de tiranos!
Cristãos de Satanás que, militantes,
Cumprem de poderosos mortais planos...
Àquela que no céu via os Errantes²-
Indiferente aos óbices mundanos,
Vêm matar para a glória d'uma igreja
Que senhora do mundo se deseja.

Tentam calar a voz dos que, pensando,
Evitavam das crenças os grilhões.
E a despeito dos fiéis, de quando em quando,
Sustentavam a suas convicções,
Insubmissos ao dogma venerando.
Tirando as suas próprias conclusões
Da Natura e de sua realidade,
Às voltas tão somente co'a verdade.

Ainda assim se movem as estrelas
Em órbitas que os sábios, confundidos,
Tentam fazer caber em curvas belas
Muito embora não vejam resolvidos
Os problemas do Cosmos com querelas...
Por ideais, negavam-se os sentidos
No afã de impôr respostas ilusórias
Que igrejas fazem crer satisfatórias.

A metrópole d'Alta Biblioteca,
Reputada por séculos guardiã
Das fontes do saber ora resseca
Feito o Saara ao redor, sem amanhã...
Quem quer conhecimento agora peca
Conforme a lei estúpida cristã,
Aniquilando em plena luz do dia
Co'a astrônoma, a própria Astronomia!

Não contentes a lançam à fogueira
E queimam com seu corpo seus escritos!
A celebrar co'a fúria costumeira
A morte de pagãos e de proscritos...
Cegos de diviníssima cegueira,
Preferem absolutos a infinitos,
Propondo Deus e a Terra bem no centro
D'olhos que apenas olhem para dentro.

Não restou nada... Rolos e mais rolos
De papiros de cálculos, teoremas,
Desenhos de astrolábios e monjolos...
Além das efemérides, sistemas
Co'o sol estacionário que esses tolos
Fizeram olvidar sem mais dilemas.
E a despeito de tudo, ao credo seu,
Condenaram de Hipátia a Galileu...

Por razões semelhantes, por mil anos
Mulheres vão morrer assassinadas...
E, bruxas, em castigos desumanos
Serão por seus saberes condenadas,
Enquanto os tribunais com mais enganos
Mantêm mesmo as mais sábias subjugadas
À autoridade d'outros patriarcados,
Que se alternam no mando dos Estados.

Maldita Alexandria! As maravilhas
Ruem uma após outra em cataclismos
Ou ainda com milícias e guerrilhas
Cuja barbárie abraça fanatismos...
Perdida a mais audaz de suas filhas
Em febres de cristãos e cristianismos,
Antes mesmo dos hunos e suas levas
Principia em ti a Época das Trevas…

Maldita Cristandade! Todo o Egito,
Além da Líbia, Núbia e Mauritânia,
Perdidos para a fé de arábio rito!
Depois de enfraquecida na cizânia,
Que da Iconoclastia fez conflito
O povo que Bizâncio leva à insânia
De mais ceder o Império dos Augustos
Em troca d'um falaz reino dos justos...

Maldito Patriarcado! P'lo poder
Que de temporal torna-se teocrata:
Um bispo que a invejar uma mulher
Inspira enfim a turba que lhe mata...
E faz o que melhor se lhe aprouver
Ao arrepio da metrópole que ingrata
Silencia em face d'este crime
Que nem a santidade lhe redime!...

Calai-vos, religiosos assassinos!
Tão confiantes em Deus e sua amizade
Que ainda a repetir tais desatinos
Denegais às mulheres liberdade,
Impondo com versículos divinos
Toda sorte de vã obscuridade...
Calai-vos de vez, cheios de vergonha.
Enfim deixai em paz quem pensa e sonha.

E, mais que a Biblioteca ou que o Farol,
Alexandria lembre de seus sábios!
Reescrevam-se papiros em seu prol,
Devolvendo-lhe os muitos alfarrábios
Onde outra vez no centro esteja o sol.
E, a despeito de gregos e de arábios,
Da cátedra a filósofa comande...
Ali, eternamente: Hipátia, a grande!

Betim - 11 03 2019
---

¹-Hipátia de Alexandria (c. 351/370 - Alexandria, 8 de março de 415) foi uma filósofa neoplatônica grega do Egito Romano. Foi a primeira mulher documentada como tendo sido matemática. Como chefe da escola platônica em Alexandria, também lecionou filosofia e astronomia. fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hip%C3%A1tia

²- Os Errantes: Para Pedro Nunes, a Machina do Mundo era composta de dez esferas celestes concêntricas. No centro estava a Terra, formada pelos quatro elementos: terra água, ar e fogo, e sobre ela estavam dez esferas: as das sete estrelas errantes (os planetas, o Sol e a Lua), a das estrelas fixas e ainda mais duas esferas que explicavam uma o movimento diurno das estrelas (as fixas e as errantes), e outra o movimento de precessão dos equinócios, na altura chamado movimento dos auges e estrelas fixas. fonte: http://vintage.portaldoastronomo.org/tema_pag.php?id=37&pag=1

³- No tempo de Hipátia, ocorreram cismas na Igreja acerca das naturezas divina e humana de Jesus Cristo. Era denominado Monofisismo e sua antítese, o Nestorianismo. O Monofisismo nasceu na "Escola Teológica de Alexandria" e estabelecia que Jesus tinha apenas a natureza divina. O Nestorianismo, por outro lado, é atribuído à pregação de Nestório, Patriarca de Constantinopla no século V, e estabelecia que Jesus possuía claramente divididas sua natureza humana da divina. Ambas doutrinas foram declaradas heréticas pelo Concílio de Calcedônia, em 451.

4- Refere-se ao famoso processo movido pela Inquisição contra Galileu Galilei no séc. XVII por causa de seu livro " Diálogo sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo" onde tece comparações entre a teoria geocêntrica e a heliocêntrica. 
fonte: https://www.terra.com.br/noticias/educ ... errou-ao-condenar-galileu,400811f48735b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html
E ainda: Galileu queixou-se de que alguns dos filósofos que se opunham às suas descobertas se recusaram até a olhar através de um telescópio:
"Meu prezado Kepler, desejo que possamos rir da estupidez notável do rebanho comum. O que você tem a dizer sobre os principais filósofos desta academia que estão cheios da teimosia de uma víbora e não querem olhar os planetas, a lua ou o telescópio, apesar de eu ter oferecido livre e deliberadamente a oportunidade mil vezes? Verdadeiramente, assim como a víbora fecha seus ouvidos, esses filósofos fecham os olhos à luz da verdade."
fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Processo_de_Galileu_Galilei


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
462
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.