https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Deixar como está

 
Tags:  jeito    PRANTOS    tempo.    peteca  
 
Deixar como está.

Nesse instante eu me sinto angustiado
Mas eu não quero deixar a peteca cair
E não havendo ninguém para me ouvir
Esse poema eu vou deixar aqui gravado

Talvez algum dia eu poderei me abrir
E dizer a causa dos meus desencantos
Poder dizer o porquê dos meus prantos
E com alguém os meus lamentos dividir

Mas tem coisas que ninguém quer falar
Por eu ter medo que ainda pode piorar
Então, o melhor de deixar desse jeito

O tempo consegue quase tudo apagar
Então do jeito que está eu vou deixar
Porque o que um dia se fez já está feito.

Jmd/Maringá, 23.10.19


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
208
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
13
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AZKLUZODEMENCIA
Publicado: 23/10/2019 21:03  Atualizado: 31/10/2019 14:34
Novo Membro
Usuário desde: 23/10/2019
Localidade:
Mensagens: 8
 .
.










Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/10/2019 22:08  Atualizado: 23/10/2019 22:08
 Re: Deixar como está
espero que esta merda rebente por todos os lados. atrasados mentais. ireis ser recordados como uma ninhada de atrasados mentais.
esta é a minha última intervenção nesta casa de ratos. é deveras difícil enganar os meus olhos. o que publiquei fica mas que ninguém conte comigo para fazer parte deste mundo de ratos. o luso não tem literatura. o luso tem uma ninhada de ratos dementes, salvo raríssimas excepções. aqui não há escritores poetas ou artistas, aqui há uma ninhada de atrasados mentais a brincar como se estivessem na disneyland. entre o facetrook e o lusopoemas venha os irmãos metralha e escolham que eu estou fora. não me peçam para fazer parte da desumanidade.

agora tu, devias internar-te ou mesmo suicidar-te e podes fazê-lo à vontade porque não é pecado. honestamente se eu fosse como tu já o teria feito. vós gostais é de festas e brincar às casinhas. enquanto houver cães e ratos o mundo será sempre uma merda. metei o dedo no cu. ponto final.
adios (mete o dedo)