https://www.poetris.com/
Poemas -> Amor : 

Renascimento

 
Open in new window
Renascimento


A agua se extinguia

em sua volta.

Um movimento continuo como uma mola que se solta.

Sentia a força que o empurrava e o atraia,

como um redemoinho.

Ouvia vozes, alaridos e gritos que

ele já em um passado remoto conhecia.

Porem tão difícil era abandonar

aquele ninho.

Tão confortável quanto quente e aquele louco torvelinho

anunciava que era chegada a hora.

Mais um pouco a frente em um chão macio.

Era uma dor que se espera

em um dia tão frio.

Um difícil retorno ao encontro da aurora.

Então como um raio,

verteram-se no horizonte luzes como alvas auras

que traziam doces memorias e lembranças

Verteram-se assim

vulneráveis como inocentes crianças

Então como uma brisa

morna e leve que um berço embala;

ouviam-se o cício de lindos sentimentos

Raros e de momentos de incompreensível sentido,

às vezes o próprio tempo,

é a razão que escorre pelo cordão do umbigo.

Mas mesmo assim

era uma luz linda e brilhante vinda de você.

De um amor

que se vislumbra em um instante

e que fez aquele coração

estremecer. .


Alexandre Montalvan

 
Autor
montalvan
Autor
 
Texto
Data
Leituras
124
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.