https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Roubo de banco

 
Tags:  cidade    desespero    bicicleta    gerente    moço.  
 
Open in new window

Roubo de banco

Houve um roubo de banco na cidade
Montei em minha bicicleta e fui lá ver
Então, do meu saldo eu quis saber
Para me inteirar de toda a realidade

Sentei na cadeira próximo ao gerente
Em sua frente fui logo lhe perguntar
Como faço para o meu saldo sacar
Espero que não haja inconveniente

O gerente foi atender um fazendeiro
Que estava demonstrando desespero
E assim tranquilizou aquele moço

Voltou sorrindo e se sentou à mesa
E foi me dizendo com toda clareza
O seu saldo eu posso pagar do bolso.

jmd/Maringá, 02.12.20


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
101
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 02/12/2020 22:41  Atualizado: 02/12/2020 22:52
Da casa!
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: BRASIL
Mensagens: 392
 Re: Roubo de banco
Como diria meu Tio " com grana é fácil "

Enviado por Tópico
João Marino Delize
Publicado: 03/12/2020 19:27  Atualizado: 03/12/2020 19:28
Colaborador
Usuário desde: 29/01/2008
Localidade: Maringá-
Mensagens: 3085
 Re: Roubo de banco
O gerente achou o meu saldo tão insignificante que podia pagar do bolso.

Nos tempos antigos havia quem achasse que o saldo de cada cliente do banco ficava dentro do cofre, como se fosse uma joia deixada em penhor.