https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Guiné chora a morte do PAIGC de Cabral

 

PAIGC de Cabral
Morreu nos becos de Bissau,
Cremado nos fogões afogados
Nas lágrimas da gente do povo,
Das suas cinzas se emergiu
paigc de “djitu ka tem”.
paigc com noção política em falta,
paigc com noção patriótica deturpada,
paigc d’olhos postos nos cofres
Do estado,
Paigc que varre tudo, até tostões
Arrecadados pra acudir a quem sofre.
O egoísmo cegou os bissauenses,
Cofres do estado varridos pelas mãos
Sujas dos (des)governantes, que confundem
Política com politiquice, que se ouve na casa
Do povo como nas tascas de “ataia”.
Que política é essa, onde a verdade
É sentença de morte pra quem a professa?
Guiné-Bissau está doente e há-de falecer,
Se não for resgatada das garras dos falsos
Políticos, que fazem politiquice pra se apoderarem
Dos bens da Nação.
Povo da Guiné, acordai-vos desse profundo
Sono, que dormis há décadas, após a independência
Proclamada pelo PAIGC de Cabral nas matas de Boé.
Acordai, acordai-vos irmãos, pra que retomemos
Nosso lugar na arca do desenvolvimento,
Que este país tanto carece.
É chegado a hora de dizer basta:
Ao nepotismo
À demagogia
À ganancia
À corrupção
E aos constantes assaltos à dignidade do povo guineense.
Urge a ressurreição do PAIGC de Cabral, pra que a Guiné entre
Na rota do desenvolvimento, seguida pelos vizinhos, que riem
Da nossa incompetência em gerir este país que tem tanto pra dar.

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
488
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 08/08/2022 08:04  Atualizado: 08/08/2022 08:04
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 7547
 Re: Guiné chora a morte do PAIGC de Cabral
O PAIGC da praça não sabe amarrar a barriga
e fugiu dos pensamentos de Cabral