Poemas : 

Útero

 


Há um lugar indizível
onde recolho os traços
das primeiras águas

onde o tempo errante
reúne em mim as sílabas
que me vestem
na cumplicidade de imprecisas vozes

numa claridade onírica
que se dissolve
nas insubornável transparência
do espelho.

Há num lugar invisível
a eternidade de um útero
o genético apelo da profundeza da terra
o calor inteiro da protetora vigília
quando o frio me rasga as veias

e não passa
e não passa…





 
Autor
maria.ana
Autor
 
Texto
Data
Leituras
485
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
28 pontos
6
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 08/06/2023 07:18  Atualizado: 08/06/2023 07:18
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3708
 Re: Útero p/ maria.ana
olá maria.ana

que dizer deste poema?
ulterino, abraçou.me quente e leve , quis voltar ao últero da minha mãe, abraçacei.a por dentro, já que por fora não posso...é o efeito quando se lê algo como este poema , transcendente, transporta...
se gostei? claro que gostei.

atenciosamente
HC


Enviado por Tópico
Alpha
Publicado: 08/06/2023 17:31  Atualizado: 08/06/2023 17:31
Membro de honra
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1992
 Re: Útero
Esse templo maravilhoso
Onde todos lá passamos
De seu cariz majestoso
E que muito o amamos.

A poesia no afagar de seu âmago, mas quantas vezes também dolorosa!


Enviado por Tópico
Abissal
Publicado: 11/06/2023 21:32  Atualizado: 11/06/2023 21:32
Membro de honra
Usuário desde: 27/10/2021
Localidade:
Mensagens: 592
 Re: Útero
Um poema indizível, de muito calor. Gostei da leitura.
Abraço