https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 4 »
Offline
maria.ana
Dissonância
Abrir a janela e atravessar a solidão da manhã a linha liquefeita dos verdes da folhagem. Mo...
Enviado por maria.ana
em 22/09/2022 07:01:10
Offline
maria.ana
Por esses dias
Chegaste tu e deste-me a palavra. Não era para ser assim porque eu ainda não sabia articular ...
Enviado por maria.ana
em 21/09/2022 06:45:00
Offline
maria.ana
Mas há o mar...
Muito além do reflexo. A mergulhar em águas desnudas de sílabas retocadas de sussurros de fo...
Enviado por maria.ana
em 20/09/2022 10:41:48
Offline
maria.ana
Perfis de setembro
Nos olhos, uma trajetória ainda inclinada ao prolongamento da cor. Um lugar abrigado no ei...
Enviado por maria.ana
em 14/09/2022 15:45:28
Offline
maria.ana
Sou um nome sentado num banco de jardim
Sou um nome a procurar-se dentro de mim. Palavras que vêm de um outro lugar que nasceram num...
Enviado por maria.ana
em 11/09/2022 14:56:33
Offline
maria.ana
Saudade
Caminho repartida por entre longes e metamorfoses do tempo. Envelhecendo pólen e certezas ...
Enviado por maria.ana
em 08/09/2022 12:06:24
Offline
maria.ana
Silhuetas
Não nos consentimos no que imperfeitamente somos nem deitamos fora os rostos sem voz. Soletr...
Enviado por maria.ana
em 28/08/2022 19:27:01
Offline
maria.ana
Mariposa
Aquela é a mulher que tem medo da sombra. Insinua-se na parede caiada de branco pelo in...
Enviado por maria.ana
em 25/08/2022 20:52:59
Offline
maria.ana
Declino me
O lápis a repousar na distância. Na brancura do lugar ou na limpidez da voz. Há palavr...
Enviado por maria.ana
em 15/08/2022 09:07:37
Offline
maria.ana
Desvios
As vozes dissolviam o nevoeiro porque saboreavam os significados das palavras gravadas na...
Enviado por maria.ana
em 14/08/2022 12:08:17
Offline
maria.ana
Os tempos e o verbo
Incontrolável o desconforto das sílabas. Retraem-se na ausência de lonjuras. Confundem-se no...
Enviado por maria.ana
em 12/08/2022 11:56:46
Offline
maria.ana
A preto e branco
Consumimo-nos num abismo onde desenhamos frases de arrependimento. E tecemos histórias de a...
Enviado por maria.ana
em 09/08/2022 13:02:10
Offline
maria.ana
De um tempo de aves
Há um livro pousado sobre a mesa e uma voz que lhe chega de um tempo de aves ateadas de luz...
Enviado por maria.ana
em 06/08/2022 12:45:39
Offline
maria.ana
Escrevo pontes dentro de mim
Debruço-me sobre o rio e escrevo pontes dentro de mim. Penso em nós límpidas palavras d...
Enviado por maria.ana
em 05/08/2022 12:10:35
Offline
maria.ana
Linguagem desfocada de um fio de água
Ontem, pintava telas em poemas de linho dedilhava sílabas como quem poisa num beijo de borb...
Enviado por maria.ana
em 02/08/2022 12:21:26
Offline
maria.ana
Breve será o sal
Tu ainda não o sabes, mas o teu olhar às vezes tem a vastidão do mar. Vês ao longe o t...
Enviado por maria.ana
em 28/07/2022 19:53:44
Offline
maria.ana
Caem as horas
Instalar-me na fenda ou numa chuva de luz o coração multiplicado inesgotável. Abrigar-me no silê...
Enviado por maria.ana
em 27/07/2022 07:09:02
Offline
maria.ana
A linguagem do sol
Nunca soube onde guardar o silêncio que surge numa tarde vagarosa em que o sol tem tantas ...
Enviado por maria.ana
em 22/07/2022 14:38:11
Offline
maria.ana
Entretanto, florescem os girassóis
A instabilidade dos espaços a desdobrarem falhas e desabamentos. [ Versos inabitáveis corp...
Enviado por maria.ana
em 02/07/2022 11:41:34
Offline
maria.ana
Tons de terra
Poder explicar as formas densas que caem das paredes. Tons de terra a estenderem as raízes da...
Enviado por maria.ana
em 17/06/2022 10:23:02
(1) 2 3 4 »