https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Sopro-te palavra

 
Sopro-te, palavra fresca nesta manhã clara de retórica. É neste artifício de vivencia que imploro o poema, zangada com o sentimento que teima em ficar. Rastejas em frases libidinosas que em festas suaves tocam a minha pele deixando-a manchada de ti. Não te eleves só, não te eleves muda. Deixa que a tua voz me embale nos dias frios e cinzentos dos meus sonhos. A voz, que sai das tuas mãos, é o sol que procuro, como um girassol amarelo e ansioso. E a terra húmida dos pingos de amor que se soltam dos poemas, alimentam a alma e regeneram as memórias.

Sopro-te, palavra morna nesta tarde de desejo. É nesta vontade de viver que imploro o calor do teu corpo. Deixando as folhas em branco e ocupando-me na escrita da tua pele, cada traço, cada ruga, cada silêncio. Não te eleves só, leva-me contigo ao cume do prazer. Murmura-me os sonhos e faz-te nuvem no céu da minha boca. Humedece as minhas coxas e deixa o momento fazer memórias para podermos recordar.

Sopro-te, palavra quente nesta noite de prazer. É neste orgasmo da vida que imploro que não pares. Que escrevas até ao fim o romance de nós dois em cada pedaço de nós suado e quente. Traz-me à terra em teu abraço e deixa que a minha alma ferva para que sinta o teu calor, até à próxima vez.

 
Autor
manucodiata
 
Texto
Data
Leituras
648
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 07/06/2010 11:46  Atualizado: 07/06/2010 11:46
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2696
 Re: Sopro-te palavra
Esse sopro é um alimento que faz das palavras uma forma de vida em amor.

Um bom texto. Gostei

Abraço


Dolores Marques